Cartão de crédito que dá dinheiro de volta vale a pena? Veja comparativo

O cashback está na moda também no cartão de crédito, mas há cobrança de anuidade pelo serviço. Faça as contas!

São Paulo — Quanto você gasta por mês com cartão de crédito? E se uma parte desse valor voltasse para você? Isso já é realidade para muitos brasileiros, que aderiram aos cartões de crédito com cashback — mas o produto exige uma série de cuidados.

Cada vez mais na moda, os cartões de crédito com cashback têm regras individuais que variam bastante. Todos eles cobram uma anuidade pelo serviço e esse é o principal ponto de atenção que você deve considerar antes de contratar o produto.

Não se iluda achando que é melhor ganhar alguma coisa do que não ganhar nada, já que você iria fazer as compras no cartão de qualquer jeito. Isso porque se você receber um valor de cashback menor do que a anuidade paga, vai ter prejuízo.

“Geralmente o cartão de crédito com cashback vale a pena para quem está acostumado a pagar uma fatura alta. Como cada empresa tem uma regra para a devolução de parte do dinheiro, você deve estar ciente das condições e dos seus gastos mensais, assim vai poder fazer as contas e ver se o produto é interessante para você”, diz o consultor financeiro André Massaro, autor do blog “Você e o Dinheiro”.

Outra recomendação do especialista é para que você nunca aumente o seu consumo no cartão de crédito só para ter mais dinheiro de volta. Os gastos devem ser muito bem pensados já que o produto pode passar a ideia falsa de que você tem mais dinheiro do que realmente tem. Você pode até ter crédito disponível agora para comprar o que você quiser, mas em alguns dias vai precisar ter o dinheiro para pagar aquela conta.

O cartão de crédito é um dos produtos que mais fazem os brasileiros se enrolarem financeiramente. Os juros do rotativo do cartão — quando você paga só uma parte da fatura e o restante entra na conta do mês seguinte — são altíssimos, geralmente de três dígitos. Até mesmo em fintechs descoladas como Nubank você pode pagar uma taxa de mais de 300% ao ano, dependendo do caso.

Para ajudar quem está na dúvida sobre escolher um cartão de crédito com cashback ou não, o site EXAME mostra abaixo um comparativo de quatro opções de produtos das principais empresas no mercado.

Trigg

Como funciona?

Cartão de crédito da bandeira Visa Gold Internacional com tecnologia NFC para pagamento por aproximação. Relacionamento com a empresa é digital via aplicativo. É possível ter uma band (pulseira) que funciona como cartão.

O percentual de cashback varia de acordo com o seu gasto. Começa em 0,55% para quem gasta até 1 mil reais, sobe para 0,70% para quem gasta entre R$ 1.000 e R$ 2.000, depois vai para 0,90% para quem gasta entre R$ 2.000 e R$ 3.000, aumenta para 1% para quem gasta de R$ 3.000 a R$ 5.000 e, enfim, chega a 1,3% para quem consome acima de R$ 5.000 por mês.

Qual é a anuidade?

A anuidade é de R$ 9,90 por mês. Todos são obrigados a pagar para ter o cartão.

Quando vale a pena?

Ter um cartão Trigg só vale a pena quando você gasta mais de R$ 1.400 por mês — só assim tem de volta o valor pago em anuidade.

Nubank

Como funciona?

O cartão Nubank é gratuito, mas a fintech tem a opção de você pagar para ter o Rewards, programa de fidelidade que gera pontos que valem dinheiro, literalmente — você usa os pontos para “apagar” contas da sua fatura. Cada real gasto equivale a um ponto.

Esses pontos podem ser usados para apagar da fatura gastos com serviços parceiros, como Netflix, iFood, Evino, Amazon ou serviços de streaming de música.

Para restaurantes, hospedagem ou serviços parceiros do Rewards, cada 100 pontos apagam R$ 1 da fatura. Para passagens aéreas, cada 80 pontos apagam R$ 1 gasto com bilhetes aéreos.

Qual é a anuidade?

O Nubank Rewards funciona por meio de assinatura — custa R$ 190 ao ano ou R$ 19 ao mês. A adesão aos usuários do cartão é opcional.

Quando vale a pena?

Aderir ao programa compensa para quem consome acima de R$ 1.600 por mês no cartão Nubank. Assim, você já consegue receber vantagens em pontos que superam o valor da assinatura.

Méliuz Banco Pan

Como funciona?

Cartão de crédito Mastercard Internacional. Cada compra feita gera 0,8% de cashback. Se a compra foi feita nos sites de um dos 1.600 parceiros da Méliuz, há um bônus de 1% de cashback — o percentual é cumulativo, ou seja, quem compra em um dos parceiros ganha 1,8% do valor de volta.

O bônus extra aparece no extrato do Méliuz em até 15 dias após o rastreamento da compra e é confirmado após a liberação do cashback pela loja parceira. O benefício pode ser revogado mediante comunicação prévia, com 90 dias de antecedência.

Após o pagamento da fatura, os valores são confirmados no extrato. Ao completar R$ 20 de saldo, você resgata o valor para sua conta corrente ou poupança, sem pagar nada por isso.

Qual é a anuidade?

Desde o lançamento, em março de 2019, o cartão Méliuz Banco Pan com cashback não cobra anuidade. Mas esse benefício também pode ser suspenso no futuro. Se isso for acontecer, você será avisado com 90 dias de antecedência. Se você decidir não ficar com o cartão depois disso, pode cancelar sem custo.

Se a isenção de anuidade for suspensa, a cobrança será de R$ 15 por mês para quem gasta até R$ 750 mensais. Quem gastar mais de R$ 750 por mês vai pagar a metade, ou seja R$ 7,50 por mês. Já quem gastar mais de R$ 1.500 por mês permanecerá isento do pagamento.

Quando vale a pena?

Enquanto houver isenção do pagamento de anuidade, o cartão sempre vai valer a pena, independentemente do seu gasto mensal. Lembre-se apenas que a escolha de um cartão de crédito deve sempre considerar outros quesitos, como limite e juros em caso de um eventual atraso de pagamento ou uso do rotativo. Considerando apenas o quesito cashback, o cartão vale a pena quando há isenção de anuidade.

Se você tiver que pagar anuidade, então o cartão Méliuz Banco Pan passa a valer a pena se você gastar a partir de R$ 938 por mês fora dos parceiros Méliuz — com cashback de 0,8%. Esse é o valor mínimo que deve ser gasto para o cashback cobrir o custo da anuidade.

O cartão Méliuz Banco Pan também passa a valer a pena se você gastar a partir de R$ 750 por mês nos 1.600 parceiros Méliuz — com cashback de 1,8% e redução pela metade da taxa de anuidade. Esse é o valor mínimo que deve ser gasto para o dinheiro do cashback possa cobrir o custo da anuidade.

Itaucard Ipiranga

Como funciona?

Cartão de crédito Mastercard Platinum Internacional. Você recupera 3,5% do valor dos pagamentos efetuados nos postos Ipiranga (incluindo lojas am/pm) e 1% do total das compras realizadas fora da rede (exceto no segmento de postos e lojas de conveniência de outras bandeiras). Há ainda um desconto de 5% na hora de abastecer o tanque com pagamentos feitos pelo app Abastece Aí. O desconto é cumulativo aos 3,5% de cashback na rede Ipiranga.

Quem tem o cartão também não paga mensalidade no ConectCar – sistema de pagamento eletrônico que atua na abertura de cancelas de pedágios e estacionamentos – durante dois anos para o titular e durante seis meses para os demais adesivos, desde que esse cartão seja utilizado como forma de pagamento. Após esses prazos, o desconto será vitalício de 30% no valor da mensalidade do serviço.

Qual é a anuidade?

A anuidade do cartão é de R$ 360 — R$ 30 por mês. Todos são obrigados a pagar para ter o cartão.

Quando vale a pena?

Ter o cartão compensa para quem consome acima de R$ 3.000 por mês fora da rede Ipiranga — com cashback de 1%. Esse é o valor mínimo que deve ser gasto para o cashback cobrir o custo da anuidade.

Já quem utiliza o cartão dentro da rede Ipiranga começa a ter vantagem quando gasta a partir de R$ 353 por mês — com cashback de 3,5% e desconto de 5% ao abastecer via app Abastece Aí. Esse é o valor mínimo que deve ser gasto para o cashback cobrir o custo da anuidade, neste caso.