Calculadora gratuita ajuda você a quitar suas dívidas

Não sabe por onde começar? Esta ferramenta lançada pela plataforma Geru permite enxergar o tamanho das suas dívidas

São Paulo – Você tem dívidas, mas não sabe exatamente quanto deve no total, nem tem ideia de como quitá-las? Uma calculadora lançada pela plataforma de empréstimo online Geru pode ajudar a organizar seu planejamento financeiro.

A ferramenta é gratuita e aberta a qualquer usuário, no site da Geru, mesmo para quem não é cliente da plataforma. Não é preciso fazer cadastro para usá-la.

O site permite calcular o valor total de dívidas de cartão de crédito, cheque especial, empréstimo em banco, financiamento de veículos e empréstimo com familiares e amigos. O cálculo leva em conta a taxa de juros praticada em cada modalidade de crédito, de acordo com as informações do usuário.

O usuário pode adicionar quantas dívidas quiser, para enxergar o tamanho total do seu endividamento. Também pode simular o valor da parcela para quitar sua dívida, conforme o prazo que escolher.

Para isso, precisa inserir sua renda mensal, o tipo da dívida, o montante que ele deve e a taxa de juros do seu empréstimo. Se não souber a taxa, a calculadora usa a média praticada pelo mercado, de acordo com o Banco Central.

“As pessoas têm bastante dificuldade de enxergar a real situação do seu endividamento. Devem um pouquinho no cartão de crédito, um pouquinho no cheque especial e, quando somam as dívidas, percebem que elas não cabem no bolso”, diz o fundador e CEO da Geru, Sandro Reiss.

A ferramenta também oferece ao consumidor a possibilidade de fazer um empréstimo pessoal online para refinanciar sua dívida pela plataforma, a juros mais baixos. No entanto, o usuário não é obrigado a contratar esse crédito para usar a calculadora.

A Geru cobra taxas de juros entre 2% e 5% ao mês, para empréstimos de 2 mil reais a 50 mil reais, com prazos de até 36 meses. Segundo o CEO da plataforma, 60% dos clientes tomam crédito para refinanciar dívidas mais caras.

Trocar um empréstimo mais caro por outro mais barato pode ser uma opção para conseguir quitar suas dívidas, mas é preciso lembrar que só vale a pena dar esse passo depois de organizar seu orçamento. É essencial pesquisar taxas no mercado antes de contratar qualquer empréstimo.

Segundo o Banco Central, a taxa média de juros do crédito pessoal não consignado para pessoas físicas ficou em 7% ao mês em junho deste ano. Mas, segundo o BC, algumas instituições financeiras chegam a cobrar bem mais do que isso.

No site do Banco Central é possível encontrar uma tabela com as taxas praticadas por cada instituição, para cada modalidade de crédito.

Além de comparar as taxas, vale a pena checar qual é o tipo de crédito mais indicado para você. Os empréstimos consignados, por exemplo, que descontam as parcelas diretamente da folha de pagamento, têm taxas bem menores. Segundo o BC, a taxa média de juros do crédito consignado para trabalhadores do setor privado ficou em 3% ao mês em junho —para funcionários públicos, foi de 1,9% ao mês.

Antes de pegar um empréstimo, revise suas despesas e corte gastos desnecessários, com a ajuda de uma planilha para organizar o orçamento, para amortizar ou quitar dívidas. Você também pode tentar renegociar o débito direto com os credores.

Pague primeiro as dívidas de serviços essenciais, como contas de luz e água. Em seguida, quite ou renegocie dívidas que têm bens em garantia, que podem ser retomados em caso de inadimplência, como financiamentos de imóveis e veículos. Na sequência, pague as dívidas com juros maiores, como as do cartão de crédito e do cheque especial.