Caixa: dividendos do FGTS serão pagos aos que tiverem direito

A distribuição será feita a todos os trabalhadores que tiverem saldo na conta do fundo ao término de 2016

São Paulo – O presidente da Caixa Econômica Federal, Gilberto Occhi, afirmou que a distribuição de dividendos será feita a todos os trabalhadores que tiverem direito, ou seja, com saldo na conta do fundo ao término de 2016.

Os recursos, que serão distribuídos à população pela primeira vez, correspondem ao resultado do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) no ano de 2016 e serão proporcionais ao valor existente em cada conta.

“A distribuição de dividendos do FGTS está prevista na mesma medida provisória que liberava o pagamento do fundo das contas inativas. O resultado do fundo ainda não foi fechado. Estamos finalizando os detalhes e as regras serão anunciadas na próxima quinta-feira”, explicou Occhi, em conversa com a imprensa, ao participar de evento em São Paulo.

De acordo com o executivo, a Caixa terá de fazer o pagamento dos dividendos até 31 de agosto. As pessoas que tiverem contas inativas, conforme ele, poderão sacar os recursos. No entanto, quem for adquirir um imóvel e se enquadra nos requisitos exigidos também terá a possibilidade de abater esse valor no financiamento.

Mais cedo, o presidente Michel Temer, também presente no mesmo evento que Occhi, antecipou que o valor a ser liberado em dividendos do FGTS é de cerca de R$ 7 bilhões.

Na medida provisória das contas inativas, que injetaram R$ 44 bilhões na economia brasileira, também ficou determinado que, todo ano, metade do lucro do fundo será repartida com os trabalhadores.

Linha pró-cotista

O presidente da Caixa Econômica Federal também afirmou que o banco vai retomar a linha pró-cotista, que oferece juros menores a trabalhadores titulares de contas vinculadas ao FGTS, no financiamento imobiliário a partir de janeiro do ano que vem. O volume de recursos, segundo ele, ainda não foi definido.

Financiamentos no âmbito do pró-cotista estão suspensos desde junho último por conta da falta de recursos.

A Caixa, de acordo com o vice-presidente de Habitação do banco, Nelson Antônio de Souza, atingiu o limite disponibilizado pelo Conselho Curador do FGTS para este ano, de R$ 6,1 bilhões.

Crédito imobiliário

Souza afirmou também que o banco estuda um movimento de redução dos juros no crédito imobiliário. “Estamos avaliando, mas o que vamos lançar são juros customizados.

Ofereceremos crédito imobiliário com taxas de juros sob medida para cada tomador”, disse ele, ao participar de evento, em São Paulo.

De acordo com Souza, o “novo” crédito imobiliário da Caixa, que terá juros sob medida, deve ser anunciado até o mês que vem. A análise de risco de cada cliente, conforme ele, será diferente e mais acurada. Levará em conta o rating do cliente, o tempo de relacionamento com a Caixa, o histórico, se é bom pagador ou não.

“Vamos criar um produto diferente. Nunca ninguém ofereceu juros sob medida no crédito imobiliário”, garantiu o vice-presidente da Caixa.