BB atribui liderança em reclamação do BC a portabilidade

Banco foi a instituição com o maior índice de queixas de clientes, segundo levantamento do Banco Central

Brasília – O Banco do Brasil atribuiu a liderança das queixas de clientes contra a instituição em setembro a motivos excepcionais causados por um pico de reclamações relacionadas a adaptações em procedimentos de portabilidade de crédito. De acordo com levantamento realizado pelo Banco Central e divulgado nesta terça-feira, 15, o BB foi a instituição com o maior índice no mês passado (1,65), levando em conta o número de reclamações e o total de clientes cobertos pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC).

O banco oficial tirou a liderança do espanhol Santander, que estava em primeiro lugar há sete meses consecutivos. O BC revelou que foram contabilizadas 585 queixas contra o banco oficial em setembro, das quais 95 por cobrança irregular de tarifas por serviços não contratados, 94 por débitos não autorizados em conta e 73 por restrição à portabilidade no caso de liquidação antecipada em crédito consignado.

“Como esses processos já foram revistos e ajustados, a expectativa do BB é que o ranking de outubro apresente uma substancial redução no número de reclamações, que deve manter-se alinhado à curva descendente de reclamações registrada até agosto”, argumentou o BB por meio de sua assessoria de imprensa.

A instituição salientou também que o volume de reclamações procedentes contra a empresa registradas no Banco Central reduziu em 27% de abril a agosto. Em abril, foram 562 queixas que descumpriram normas do Conselho Monetário Nacional (CMN) ou do BC e, em agosto, quando o BB estava na terceira posição no mesmo ranking, 410 reclamações.