Fundos de renda fixa cobram até 4,5% de taxa de administração. Veja lista

Apesar de movimento recente de redução de taxas de administração, muitos fundos ainda cobram 2% ou mais em taxas com Selic na mínima histórica

São Paulo – Um movimento recente causou um burburinho na internet: a constatação de que alguns fundos de renda fixa passivos oferecidos no mercado cobravam até 5,5% de taxa de administração em um momento no qual a Selic está na mínima histórica, o patamar de 5,5%.

Pressionados, alguns bancos, como o Santander, resolveram reduzir suas taxas, mas ainda existem diversos produtos com valores que chegam a 4,5% ou podem chegar a 5%. É o que aponta um levantamento da Economatica. Em alguns casos as taxas de administração seguem as mesmas desde 2017. Desde então, a Selic caiu praticamente pela metade.

Segundo especialistas, esses fundos, por aplicarem 95% de suas carteiras em títulos públicos e operações compromissadas, não deveriam cobrar mais do que 0,5% de taxa de administração, a exemplo dos ETFs, que também são fundos passivos, acompanham a taxa DI e não exigem uma gestão sofisticada. Existem fundos de passivos que inclusive já zeraram suas taxas de administração, como o da Rico.

Uma simulação no site do Tesouro Direto mostra como uma taxa de administração de 4% pode acabar com rendimentos.

Caso o investidor decida investir 5 mil reais no Tesouro IPCA+ 2024 pela plataforma de venda de títulos públicos irá resgatar, ao final do prazo, 6.390 reais, já líquido de impostos e taxas. Ou seja, terá uma rentabilidade de 5,21%.

Já em um fundo DI com taxa de 4% o investidor teria 5.231 reais no vencimento do título. Ou seja, uma rentabilidade pífia de 0,94%. No mesmo período, caso deixasse o dinheiro na poupança, o investidor teria 6.198 reais, um retorno de 4,54%.

Entre os fundos passivos com maior taxa está o Super do Banrisul, que cobra 4,5% de taxa de administração; o Mapfre Soberano e o Aspecir Soberano JMalucelli, que cobram taxa de administração de 3%. O Safra Executive Plus derrubou sua taxa de administração de 4,3% para 2%, mas ainda aparece na lista.

Alguns fundos não divulgam a taxa de administração cobrada, apenas a taxa máxima. Entre eles, os que têm a maior taxa são o Caixa Prático (5%), o Caixa Liquidez (3,10%) e o BB Supremo Setor Público (3%).

Os fundos que mais reduziram taxas de administração e taxas máximas de administração recentemente pertencem a três grandes bancos: Santander, Safra e BB.

Contudo, são poucos os fundos que ainda cobram taxas exorbitantes, diz o professor. “Entre mil fundos que analisamos na FGV, apenas 12 cobram taxas de administração maiores do que 4%, sendo que oito deles são voltados para o público de alta renda”.

Conveniência e incerteza

Para Michel Viriato, professor do Insper, os grandes bancos acabam cobrando conveniência. “Mas isso não quer dizer que só existam fundos ruins em bancos”, pondera.

Fábio Gallo, professor de finanças da PUC-SP, aponta que é importante buscar um fundo de renda fixa passivo mais barato porque, mesmo com a Selic baixa, pode valer a pena investir no produto. “Os fundos DI são importantes em uma carteira diversificada”. Ele não vê sentido na cobrança de taxas tão altas no produto. “A tecnologia já diminuiu boa parte dos custos de uma gestora”.

Para William Eid, professor do Instituto de Finanças da FGV, o cenário exige uma adaptação. “As gestoras de fundos terão de aumentar seu volume ou diversificar cada vez mais produtos para compensar a queda das taxas”.

Ele argumenta que muitos gestores podem demorar para ajustar taxas ao novo cenário da Selic porque temem que o cenário de juros baixos não se sustente. “Não sabemos se o movimento é sustentável. A Selic não está baixa porque chegamos no patamar dos países civilizados, mas porque temos milhões de desempregados que não estão indo às compras e não criam pressão inflacionária”.

Veja abaixo o levantamento da Economatica, que incluiu fundos com taxas iguais ou acima de 2%. “Muitas gestoras pequenas quebrariam se derrubassem as taxas para 0,5%”, diz Eid, da FGV.

Fundos com maior taxa de administração

Fundo Taxa de administração 31/12/18 Taxa de administração 30/09/19 Data de vigência da taxa de administração
Banrisul Super FI RF 4,5 4,5 26/07/2017
FI RF Mapfre Tr Soberano 3,0 3,0 03/06/2019
Aspecir Soberano FI RF Jmalucelli 0,2 3,0 12/08/2019
Safra Exec Plus Fc FI RF 4,3 2,0 23/09/2019
Banrisul Vip FI RF LP 2,0 2,0 26/07/2017
BNB Classico FICFI RF Ref DI 2,0 2,0 30/08/2018
Bradesco FICFI RF Simples Onix 2,0 2,0 19/04/2016
Caixa FIC Capital Ind Precos RF LP 2,0 2,0 12/09/2018
Caixa FIC Facil RF Simples 2,0 2,0 12/09/2018
Caixa FIC Pml RF CP 2,0 2,0 27/09/2018
Caixa FIC Teka II RF 2,0 2,0 09/10/2018
FI RF Cedro Porto Seguro 2,0 2,0 07/08/2019
FI Ruralprev Excl RF Cred Priv Mhft 2,0 2,0 23/08/2018
Icatu Vanguarda Renda IGPM Sob FI RF 2,0 2,0 06/02/2018
Icatu Vanguarda Renda IPCA Sob FI RF 2,0 2,0 06/02/2018
Icatu Vanguarda XI FI RF 2,0 2,0 23/03/2017
Icatu Vanguarda Xxxiii FI RF Cred Priv 2,0 2,0 23/03/2017
Icatu Vanguarda Xxxiv FI RF 2,0 2,0 23/03/2017
Safra Exec Special Fc FI RF 2,0 2,0 15/05/2019
Esp Cash Star FICFI RF Ref DI Cred Priv Reliance 1,9 1,9 15/08/2017

Fundos com maior taxa máxima de administração

Fundo Taxa de administração máxima 31/12/2018 Taxa de administração máxima 30/09/2019 Data de vigência da taxa de administração
Caixa FIC Pratico RF CP 5,00 5,00 11/09/2018
Caixa FIC Liquidez RF CP 3,10 3,10 11/09/2018
BB RF CP Supremo Setor Publico Fc FI 4,00 3,00 26/09/2019
Caixa FIC Transferencia Voluntaria RF CP 3,00 3,00 21/09/2018
Esp Cash Star FICFI RF Ref DI Cred Priv Reliance 3,00 3,00 15/08/2017
Santander FICFI Jud RF Ref DI 3,00 3,00 28/10/2016
Top FI RF Brpp 3,00 3,00 24/03/2017
Itau Daily RF CP FICFI 2,75 2,75 27/02/2018
Itau Federal Dynamic RF Curto Pr FICFI 2,75 2,75 10/12/2018
Itau Federal Provision RF C Prazo FICFI 2,75 2,75 27/02/2018
Itau Pp Mega RF CP FICFI 2,75 2,75 27/02/2018
Itau Pp RF CP FICFI 2,75 2,75 27/02/2018
Itauvest RF CP FICFI 2,75 2,75 27/02/2018
Itauvest RF CP Plus FICFI 2,75 2,75 27/02/2018
Santander Fc Inteligente RF CP 5,50 2,70 19/09/2019
Santander Fc Classic RF Ref DI 5,00 2,70 19/09/2019
Santander Fc Empresas RF CP 5,00 2,70 19/09/2019
Santander Fc Extra RF Ref DI 4,20 2,70 19/09/2019
Safra Exec Plus Fc FI RF 4,80 2,50 23/09/2019
Bradesco FICFI RF Ref DI Produzir Bahia III 2,50 2,50 22/03/2018
Bradesco FICFI CP Poder Publico 2,50 2,50 02/07/2019
Bradesco FICFI CP Rio de Janeiro 2,50 2,50 22/03/2018
Bradesco FICFI CP Versatil 2,50 2,50 22/03/2018
Bradesco FICFI RF Simples Brilhante 2,50 2,50 19/04/2016
Bradesco H Fc FI RF CP Over 2,50 2,50 22/03/2018
Bradesco H Fc FI RF Ref DI LP 50 2,50 2,50 22/03/2018
Bradesco Mega Pp RF CP Fc de FI 2,50 2,50 22/03/2018
Itau Advantage RF Refer DI FICFI 2,50 2,50 18/01/2016
Itau Extra Premium RF CP FICFI 2,50 2,50 14/03/2016
Itau Plus RF CP FICFI 2,50 2,50 22/01/2016
Praticbec – FI RF CP Bram 2,50 2,50 22/03/2018
Safra Exec Special Fc FI RF 2,50 2,50 15/05/2019
Santander Fc Senior RF Ref DI 2,50 2,50 31/03/2016
Santander FICFI Liquidez Simples RF CP 2,50 2,50 21/06/2016
BB Nc RF Ref DI LP Principal Fc FI 2,47 2,47 12/09/2017
Santander FICFI RF Simples 2,20 2,20 13/04/2017
BB RF CP Classico Setor Publico Fc FI 2,00 2,00 29/09/2016
BNB Classico FICFI RF Ref DI 2,00 2,00 30/08/2018
BNB Essencial FICFI RF Ref DI 2,00 2,00 27/05/2019
Bradesco H Fc FI RF Ref DI LP 1.000 2,00 2,00 10/10/2016
Bradesco H Fc FI RF Ref DI LP Pj 2,00 2,00 10/10/2016
Itau Inflation Index RF FICFI 2,00 2,00 15/01/2016
Itau Personnalite CP FICFI 2,00 2,00 19/01/2016
Itau Year Fix RF FICFI 2,00 2,00 14/10/2015
Santander Fc Extra Plus RF Ref DI 2,00 2,00 16/03/2017
Santander FICFI Corporate RF CP 2,00 2,00 27/06/2016
Tb Itacare FI RF LP Tag 2,00 2,00 28/01/2019
Western Asset Price FICFI RF 2,00 2,00 22/11/2018

Fundos que mais reduziram taxas de administração máxima

Fundo Taxa de administração máxima 31/12/2018 Taxa de administração máxima em 30/09/2019 Diferença Data de vigência da taxa de administração
Santander Fc Inteligente RF CP 5,5000 2,7000 -2,800 19/09/2019
Santander Fc Classic RF Ref DI 5,0000 2,7000 -2,300 19/09/2019
Santander Fc Empresas RF CP 5,0000 2,7000 -2,300 19/09/2019
Safra Exec Plus Fc FI RF 4,8000 2,5000 -2,300 23/09/2019
Santander Fc Extra RF Ref DI 4,2000 2,7000 -1,500 19/09/2019
BB RF CP Supremo Setor Publico Fc FI 4,0000 3,0000 -1,000 26/09/2019
Itau Institucional RF Inflacao 5 FICFI 0,4000 0,1800 -0,220 18/03/2019
Itau RF Imab5+ FICFI 0,4000 0,1800 -0,220 18/03/2019
Órama DI – FI RF Simples Longo 0,2000 0,0100 -0,190 05/04/2019
Bradesco Private FICFI RF Simples Fed Plus 0,3000 0,1500 -0,150 28/08/2019
Itau Private RF Ima-B II FICFI 0,4500 0,4000 -0,050 23/08/2019
Itau Soberano RF Irfm 1 FI 0,2000 0,1800 -0,020 18/03/2019
Bradesco FI RF Ref DI Tasc 0,1000 0,0800 -0,020 31/07/2019

Taxa não deve ser única referência

Ainda que fundos passivos exijam que as taxas de administração cobradas sejam mais baixas, já que dispensam uma gestão sofisticada, para Michel Viriato, professor do Insper, existe uma preocupação exagerada com relação a taxas. “O que cobra menos não necessariamente rende mais. Dessa forma, todos os fundos convergem para a mediocridade”.

Ele aponta que mesmo entre os fundos de renda fixa podem haver produtos que precisem cobrar uma taxa maior. “Tem os fundos DI, mas também tem os que investem em crédito privado, que exigem uma análise maior do gestor”.

Para Eid, se o fundo cobra uma taxa alta, mas dá um bom retorno, está fazendo um bom trabalho. “É difícil encontrar um fundo que cobre uma taxa alta que não dê como retorno ao menos o CDI”.

Para Viriato, a taxa deve ser mais um componente na análise do fundo, mas não o principal. “O foco principal deve ser a rentabilidade. A qualidade da equipe de gestão também deve ser considerada”.

 

Conte com a ajuda da assessoria BTG Pactual digital na hora de investir. Abra sua conta!