Bancos poderão cortar limite do cartão de crédito de devedor mais depressa

O Conselho Monetário Nacional aprimorou as regras sobre o limite do cartão de crédito. Veja o que muda

Para melhorar a qualidade do gerenciamento de risco das instituições financeiras, o Conselho Monetário Nacional (CMN) aprimorou as regras sobre o limite do cartão de crédito. Com a mudança, o limite poderá ser reduzido mais rapidamente, em caráter excepcional, nos casos de deterioração do perfil de risco de crédito do cliente, informou o CMN. A nova regra estabelece que as instituições financeiras deverão comunicar a alteração ao cliente até o momento da efetiva redução do limite.

Pela regra anterior, a instituição financeira tinha que observar o prazo de 30 dias contados a partir da comunicação ao cliente para só então reduzir o limite de crédito, o que permitia que o endividamento crescesse e superasse a capacidade de pagamento do devedor.

Ao tornar mais eficiente o processo de gerenciamento de risco das instituições financeiras, há benefício para o usuário do sistema financeiro, diz o CMN. “Menos risco significa menos custo da linha de crédito, menos spread e menos subsídio cruzado, o que contribui para a adoção de taxas menores”, diz o BC. A lógica do BC é que se os bancos perderem menos com os devedores poderão cobrar juros menores dos clientes em geral pois terão menos prejuízos para compensar.

*Esta matéria foi publicada originalmente no site Arena do Pavini