Banco Inter reduz juros de crédito imobiliário para 7,7%

Taxa anterior era de 8,5% ao ano. Anúncio vem horas depois de a Caixa também divulgar cortes nos juros para aquisição da casa própria

São Paulo – A tradicional corrida entre os grandes bancos pelos menores juros do financiamento imobiliário ganhou mais um competidor: o Banco Inter também anunciou, nesta terça-feira (8), que está baixando suas taxas no empréstimo para a compra da casa própria.

Os juros cobrados pelo banco digital passam dos atuais 8,5% ao ano mais TR para 7,7% ao ano mais TR. A TR, ou Taxa Refencial, é uma das taxas de juros de referência do Banco Central e está zerada atualmente. As taxas dizem respeito ao crédito imobiliário para pessoa física e imóveis residenciais.

 

De acordo com o Inter, é o terceiro corte realizado em um ano. Antes, o banco cobrava 9,5% mais a TR ao ano pelo financiamento imobiliário.

O anúncio veio horas depois de a Caixa Econômica Federal divulgar novos cortes nas taxas de seu financiamento imobiliário. No caso da Caixa, as taxas passam a ser de 7,5% a 9,5% ao ano, mais a TR, ante os 8,5% a 9,75%, mais TR, praticados atualmente. Os juros variam de acordo com o grau de relacionamento do cliente com a Caixa.

Diferentemente da Caixa e dos demais grandes bancos, que costumam trabalhar com uma faixa de juros mínimos e máximos, os juros do Inter são únicos e aplicados igualmente a qualquer pessoa que tomar o financiamento imobiliário – qualquer cliente pagará os 7,7% ao ano.

“O cliente abrirá uma conta no Inter, porque o débito da fatura [do financiamento imobiliário] é feito direto em conta, mas a nossa conta é digital e zerada de taxas”, disse o vice-presidente executivo do Inter, Marco Túlio Guimarães.

Possuir conta-corrente, investimentos e o volume de dinheiro movimentado e aplicado são alguns dos critérios que os outros bancos costumam olhar para dar juros maiores ou menores ao cliente no financiamento imobiliário.

Bancos seguem Selic

Desde que o Banco Central começou a cortar gradativamente os juros básicos da economia, a Selic, tornou-se uma espécie de tradição os grandes bancos anunciarem a redução das taxas em seu crédito imobiliário logo depois do anúncio do BC.

A taxa Selic saiu do pico de 14,25% ao ano em 2016 para 5,5% ao ano atualmente. No corte mais recente, em setembro, o BC reduziu a Selic de 6% para 5,5%. De lá para cá, antes da Caixa e do Inter, Itaú Unibanco e Bradesco também já haviam cortado seus juros para o financiamento imobiliário.

O alerta comum entre especialistas, entretanto, é não olhar apenas para os juros oferecidos na hora de escolher por qual banco financiar seu imóvel, mas sim o Custo Efetivo Total (CET), que também inclui taxas adicionais de serviços, administração e seguro.