As melhores corretoras para investir em ações via home broker

Pesquisa mostra quais plataformas oferecem o melhor custo-benefício para investir em ações online, sem intermediários

São Paulo – Quem planeja investir em ações pela internet, sem intermediários, precisa buscar uma plataforma de home broker que funcione bem e ofereça custos baixos.

Para auxiliar o consumidor, a associação de consumidores Proteste analisou o serviço oferecido por dez corretoras: Ativa, Banco do Brasil, Bradesco, Easynvest, Itaú, Mirae, MyCap, Rico, Santander e XP. Foram escolhidas as corretoras que registraram mais operações em 2017, segundo ranking divulgado pela Banco Central.

Como resultado, as três corretoras com melhores avaliações foram: XP, Ativa e Rico. Apesar da Mirae oferecer os menores custos, não pôde ser analisada completamente. Portanto, a escolha certa, segundo a Proteste, é a plataforma da Rico Corretora, que oferece a melhor relação qualidade e preço.

A Mirae e o Santander não puderam ser qualificadas em alguns quesitos relacionados a operações devido a problemas de liberação do acesso por parte das empresas, mesmo que a Proteste tenha seguido todos os passos necessários para começar a operar.

A Proteste dividiu a análise em qualitativa e de preço, com base em três perfis de investidores: os que realizam três operações de 2 mil reais cada por mês, os que fazem cinco operações mensais de 5 mil reais cada, e os que realizam 10 operações de 10 mil reais cada por mês.

Na análise qualitativa, avaliou a experiência investidor na plataforma e eficiência do produto, tópicos para os quais atribuiu nota de 75%, e segurança, para a qual atribuiu 25%. “Colocamos uma nota menor para segurança porque verificamos que ela não varia muito entre uma corretora e outra. Todas as plataforma cumprem com os requisitos de segurança”, explica Veronica Dutt-Ross, responsável pelo estudo.

Na experiência do investidor, foram avaliados os processos de cadastramento ou renovação, uso da plataforma pelo celular, clareza nas informações sobre as operações, navegabilidade, problemas nas execuções das ordens, entre outros.

A associação de consumidores avaliou o custo de duas taxas: de corretagem e custódia.

Veja abaixo o resultado da pesquisa da Proteste:

Tabela Proteste Pesquisa Home Broker

Resultado

As taxas de corretagem variam de 0,99 real (Mirae) a 20 reais (Banco do Brasil). O Bradesco cobra taxa que oscila entre 0,1% a 0,25% do valor da ordem. Santander e Itaú cobram uma taxa fixa de 10 reais mais 0,25% e 10 reais mais 0,3% do valor da ordem respectivamente.

Entre as corretoras que cobram taxa de custódia mensal, ela varia de 0,013% sobre o valor da ordem até 30,88 reais. As corretoras Easynvest, XP e Rico não cobram essa taxa. Mycap, Bradesco e Ativa isentam os clientes de acordo com o volume ou número de operações no mês ou de acordo com o plano escolhido. Incidem ainda sobre todas as operações as  taxas da B3 (0,0325% do valor da operação) e o ISS (em geral 5%).

Veja também

A maioria dos serviços disponibiliza análises para auxiliar clientes nas decisões de investimentos. Mas a Proteste recomenda não confiar piamente nessas avaliações. “As corretoras têm interesse em operações longas, onde podem lucrar mais com corretagem, o que pode levar a uma escolha não tão lucrativa”, diz Verônica.

Entre as corretoras avaliadas, XP, Easynvest, Rico e Ativa também oferecem investimentos em renda fixa, o que permite ao investidor moderado formar uma carteira dentro da própria corretora. Dessa forma, ele não precisa abrir uma conta em outra corretora, o que geralmente gera um custo adicional.

Como contratar

Para usar a plataforma, o primeiro passo é fazer um cadastro no site da corretora e enviar cópias de documentos de forma eletrônica. A corretora do Banco do Brasil foi a única a exigir o comparecimento na agência do banco.

O segundo passo é transferir recursos de uma conta corrente da sua titularidade para a corretora. Empresas vinculadas a bancos fazem este tipo de transação automática com o saldo da conta corrente, com exceção do Santander.

A primeira transação deve ser feita por telefone. O investidor deve informar qual valor quer comprar em ações. Esse valor irá definir o limite operacional, que pode aumentar posteriormente.

A maior parte das empresas determina um lote mínimo de compra e venda de ações. Mesmo assim, as corretoras permitem que o cliente diga o valor financeiro ou a quantidade com a qual deseja operar. É possível consultar movimentações pela plataforma.