As 14 ações que mais pagaram dividendos nos últimos anos

Estudo da RIWEB mostra quais ações deram mais retorno em dividendos nos últimos quatro anos, sendo assim recomendadas aos investidores mais interessados em renda do que em valorização de papeis

São Paulo – Uma pesquisa da RIWEB, desenvolvida por Clodoir Vieira, economista-chefe da corretora Souza Barros, mostrou quais foram as ações que tiveram maior retorno na forma de dividendos (dividend yield) e juros sobre capital próprio (JCP) nos últimos quatro anos e meio, de dezembro de 2008 a junho de 2013. 

A comparação foi feita entre as ações que fazem parte da base de dados da consultoria Economática, que é composta por um grupo de 370 empresas negociadas em Bolsa.

As ações que pagam bons dividendos (lucros das companhias repassados a acionistas) costumam ser de empresas líderes de mercado ou que atuam em segmentos com demanda estável. Por essas características, são papéis que não sofrem como aqueles mais influenciados por fatores macroeconômicos e têm baixa necessidade de reinvestimento no negócio, por isso repassam boa parte de seus lucros aos acionistas. 

Essas empresas geralmente se concentram em setores de utilidade pública, como saneamento e energia (cuja demanda não se modifica diante de crises) e telefonia, bem como nos setores financeiro e de consumo inelástico, como fabricantes de bebidas alcoólicas e cigarros.

Segundo Clodoir Vieira, ações com caráter defensivo são recomendadas a investidores de longo prazo, que se preocupam mais em obter uma renda com a aplicação do que uma forte valorização do papel. “As empresas que pagam bons dividendos são menos voláteis. Todas as ações têm risco, mas uma Souza Cruz e uma Ambev são ações que não caem nem sobem muito, sempre mantêm certa constância”, afirma. 

Veja a seguir a tabela com os resultados da pesquisa. O ranking considera as ações que distribuíram mais JCP e dividendos em relação ao seu valor de cotação e não aquelas que mais se valorizaram. 

Nome Dividend yield médio de dez/2008 a jun/2013 (%)* Retorno Dez 08 até Jun 13 c/div (%) Retorno dez/08 até jun/13 s/div (%) Retorno obtido ao aplicar 1.000 reais c/div (R$) Retorno obtido ao aplicar 1.000 reais s/div (R$)
Oi PN 35,39 -37,68 -64,81 623,2 351,9
Eletrobras PNB 20,33 -34,74 -58,18 652,6 418,2
Cemig PN 17,01 120,37 33,83 2.203,70 1.338,30
AES Tiete PN 13,64 156,2 57,98 2.562,00 1.579,80
Taesa UNT 12,7 443,43 220,6 5.434,30 3.206,00
Coelce PNA 12,41 225,03 90,35 3.250,30 1.903,50
Eternit ON 11,07 214,31 108,27 3.143,10 2.082,70
Telef Brasil PN 11,01 81,7 18,4 1.817,00 1.184,00
Sid Nacional ON 10,54 -39,43 -53,66 605,7 463,4
Pine PN 9,62 566,07 330,78 6.660,70 4.307,80
Contax PN 8,34 218,24 131,48 3.182,40 2.314,80
Energias BR ON 7,94 127,9 68,32 2.279,00 1.683,20
Providencia ON 7,91 246,98 156,06 3.469,80 2.560,60
Cesp PNB 6,26 62,04% 39,83% 1.620,40 1.398,30


*Cálculo do dividend yield inclui também os juros sobre capital próprio.


Conclusões

Segundo Clodoir Vieira, se em dezembro de 2008 tivessem sido aplicados mil reais em cada uma das 14 empresas (totalizando 14 mil reais), sem considerar os dividendos, em junho de 2013 o investidor teria 24.792 reais (+77%). Mas se na conta fossem incluídos os dividendos, ao final do período ele teria 37.504 reais (+167%).

Ou seja, o ganho seria 51,27% maior com os dividendos. “O retorno com os dividendos é muito maior. E no caso das ações que se desvalorizaram, sem os dividendos a perda seria maior. Se fossem investidos mil reais na Oi, por exemplo, e ela não tivesse distribuído nenhum dividendo, o investidor teria 351 reais, mas como ela pagou, o prejuízo seria reduzido e o investidor teria 623 reaia”, diz Vieira.

Ele explica que, enquanto o sobe e desce das ações está muito relacionado às percepções do mercado, a distribuição de dividendos e juros está ligada diretamente aos resultados das empresas. 

Como interpretar os resultados

Saber quais ações pagaram mais dividendos e juros é um indicador muito relevante, mas o investidor não deve acreditar que aplicar nesses papéis é o segredo para o enriquecimento. 

No mercado acionário, assim como em qualquer tipo de investimento, o retorno passsado não é garantia de rentabilidade futura. Por isso, tomar uma decisão de investimento levando em consideração apenas as ações com melhor desempenho no passado não é recomendável.  

Observar o histórico de uma ação é uma parte importante da análise sobre quais empresas podem ter melhor desempenho nos próximos meses e anos, mas também é crucial que o investidor estude os fundamentos da companhia para ponderar se ela tem chances de trazer bons resultados no futuro.

Montar uma carteira de ações apenas com as empresas que tiveram maior dividend yield também pode ser arriscado. Como o yield nada mais é que a relação entre o dividendo pago e o valor da ação, se a ação teve um péssimo desempenho e sua cotação caiu, o valor recebido na forma de dividendos será proporcionalmente maior. 

Vale destacar que um ponto positivo da pesquisa é que a comparação foi feita em um período de quase cinco anos e é sempre bom observar o histórico das ações no longo prazo. Em cinco anos é possível avaliar se a empresa mantém certa constância de resultados tanto em momentos mais, quanto menos favoráveis da economia. Já em um prazo de seis meses, por exemplo, fatores momentâneos podem máscarar o resultado da ação. 

Calculadora 

A pesquisa divulgada pela RIWeb foi feita em virtude da inauguração de uma ferramenta da empresa, uma calculadora de dividendos que será incorporada a sites de de Relações com Investidores de companhias com capital aberto. 

Com a ferramenta, os investidores poderão navegar nesses sites e calcular qual foi o rendimento das ações da respectiva empresa considerando os dividendos distribuídos. Para que o cálculo seja feito, bastará ao usuário informar o valor do investimento, a data inicial e a data do resgate das ações.