Alugar imóvel para morar em São Paulo está 20% mais caro

Para especialista, não há previsão de estabilidade nos preços, pois imóveis para alugar são raros e concorridos

São Paulo – O valor do aluguel residencial na capital paulista continua em trajetória de alta e bateu mais um recorde. O aumento médio para os contratos novos de locação chegou a 19,8% nos últimos 12 meses terminados em novembro.

A variação é a maior registrada na série histórica do Secovi (Sindicato da Habitação) de São Paulo, iniciada em 2005. Só no mês passado, a alta dos valores negociados foi de 1,7%. “Infelizmente, não há previsão de estabilidade nos valores, porque continua difícil encontrar imóvel para alugar na Capital. Mal são desocupados, casas e apartamentos são disputados por vários locatários”, informa Francisco Crestana, vice-presidente de Gestão Patrimonial e Locação do Secovi-SP. 

As moradias que registraram os maiores acréscimos nos aluguéis em novembro foram as unidades de 1 quarto, que tiveram seus aluguéis reajustados em 2,5%, em média. A locação das residências de 2 dormitórios teve alta menor (1,5%), ao passo que os imóveis de 3 quartos ficaram com seus valores relativamente estáveis, com pequena elevação de 0,5%.

As residências alugadas mais rapidamente em foram as casas e os sobrados. Essas moradias foram locadas num período médio de 12 a 28 dias. Os apartamentos demoraram um pouco mais para serem ocupados. Seu IVL (Índice de Velocidade de Locação), que mede em número de dias quanto tempo um imóvel leva para ser locado – variou de 18 a 36 dias.