Ações brasileiras geram retorno financeiro em 10 anos

Levantamento realizado pela gestora BBT mostra que o capital investido em ações do Brasil retorna em um prazo menor do que o de outros países

São Paulo – Um levantamento realizado pela gestora de investimentos BBT Asset mostra que as ações brasileiras estão baratas, se comparadas às ações negociadas em outros quatro países: Chile, Colômbia, Estados Unidos e México

O resultado mostra que o retorno do capital investido nas ações brasileiras acontece em 9,8 anos. Já no Chile, o retorno acontece em 16 anos, na Colômbia, em 18, nos Estados Unidos em 17 anos e no México em 19,5 anos.  

Esse prazo de retorno é medido a partir de um indicador bastante utilizado por analistas do mercado financeiro para avaliar se as ações de um mesmo setor, segmento, ou mercado estão baratas ou caras umas em relação a outras: o índice Price/Earning (Preço/Lucro). 

“O indicador mostra que as empresas estão baratas em relação aos países da América Latina e aos Estados Unidos. As ações estão bastante precificadas com a atual realidade econômica do país. A situação pode piorar, mas se melhorar, como elas estão baratas essa melhora será um gatilho para um rally das ações no mercado”, afirma Raphael Juan, gestor da BBT Asset, responsável pelo estudo. 

Na visão de Juan, portanto, o estudo indica que as ações estão baratas e já incorporaram no seu preço boa parte do pessimismo em relação à economia. Portanto, se surgirem mudanças positivas, como o anúncio de uma equipe econômica que agrade o mercado, as ações sofreriam um forte movimento de alta, o chamado rally, porque com o atual desconto o espaço para valorização seria maior.

O que o P/L indica

O Preço/Lucro, também chamado de P/L é um dentre os diversos múltiplos usados para analisar ações. Esses múltiplos são obtidos pela divisão do valor de mercado da ação (sua cotação, multiplicada pela quantidade de ações da empresa) por alguns indicadores financeiros. 

No caso do P/L, o indicador usado é o lucro líquido, mas outros múltiplos podem considerar também o resultado operacional da empresa, seu valor patrimonial, etc.

De forma resumida, a interpretação de um P/L de 9,8 seria de que o investidor receberia de volta o dinheiro investido em 9,8 anos se a empresa: repassasse todo seu lucro aos acionistas, se os lucros dos próximos anos fossem iguais ao lucro do ano analisado (2014) e se a cotação da ação não se alterar. 

Esse é um indicador bastante usado na análise fundamentalista, que busca avaliar a saúde financeira das empresas, projetar seus resultados futuros e determinar o preço justo para as suas ações a partir dos fundamentos da empresa, ou seja, dos fatores macro e microeconômicos que influenciam seu desempenho. 

Metodologia da pesquisa

O levantamento da BBT Asset analisou o P/L de 70 empresas negociadas na bolsa brasileira e de grupos de 30 a 40 empresas das bolsas internacionais dos respectivos mercados analisados.

No caso das empresas brasileiras, Rapahel Juan diz que as ações escolhidas são praticamente as mesmas ações que fazem parte do IBR-X (Índice Brasil), que mede o retorno de uma carteira teórica composta pelas 100 ações selecionadas mais negociadas na Bovespa, em termos de número de negócios e volume financeiro.

Já nos outros países, foram escolhidas as ações com maior valor de mercado ou ações que a BBT Asset acompanha por considerá-las estratégicas de acordo com critérios próprios.

Foi tomado como base o lucro líquido das empresas em 2014, considerando o lucro divulgado em seus balanços dos três primeiros trimestres de 2014 e o lucro projetado pela gestora para as empresas no último trimestre do ano.

A cotação utilizada para chegar ao valor de mercado foi referente ao dia 30 de outubro de 2014.

Índice não deve ser olhado isoladamente

O múltiplo P/L é utilizado para comparar um grupo de ativos com características parecidas. Ele pode não ser eficaz para comparar empresas de diferentes segmentos porque o tempo que a empresa demora para gerar ganhos varia muito de um setor para outro. 

Uma varejista de moda, por exemplo, pode ter um retorno muito mais rápido do que uma siderúrgica, já que o prazo que a varejista leva entre confeccionar roupas, vendê-las e obter lucros pode ser muito menor do que o tempo que uma siderúrgica gasta para extrair metais, fundi-los e obter ganhos com a operação.

Além disso, o P/L considera apenas uma parte dos ganhos que podem ser obtidos no investimento na ação, que seriam os ganhos obtidos por meio da distribuição dos seus lucros. 

No cálculo não é considerado o lucro, ou prejuízo, gerado pela valorização ou desvalorização do preço da ação.”O P/L diz qual é o tempo que se leva para recuperar o capitaldada a rentabilidade da empresa. Ele mostra que, dentro de uma familia de países, o nível de alavancagem das ações brasileiras é o menor, já que o seu retorno mais rápido”, diz Luiz Antônio Pardal, sócio da TCX gestão de recursos. 

Ele explica que o P/L considera o tempo em que o dinheiro aplicado retorna ao investidor desconsiderando as flutuações da cotação. Portanto, se o P/L é de 9,8 anos e a ação foi comprada a 10 reais, em 9,8 anos o investidor terá recebido seus 10 reais de volta sem vender sua ação. 

Ocorre que, se a cotação da ação cair a 5 reais e o investidor a vender por esse valor, seu rendimento não será de 100% em 9,8 anos, como indica o P/L, uma vez que houve uma queda de 50% no preço da ação.

Além de não considerar a valoração da ação, o P/L verifica o retorno do papel a partir de dados coletados em um determinado espaço de tempo.

No estudo presente, foi usado o lucro no período de um ano e a cotação no período de um dia. Portanto, o resultado poderia ser diferente se fossem usadas as cotações de outro dia e o lucro de outro ano.

O estudo mostra ainda que as ações podem estar baratas em relação aos mercados internacionais, mas não mostra quais ações do mercado brasileiro estão descontadas na comparação com pares do mesmo setor, o que seria mais razoável como parâmetro para investimento.

A comparação de P/L de diferentes bolsas, portanto, pode ser um indício de que um mercado está barato em relação a outro, mas, para tomar uma decisão de investimento, outros fatores devem entrar em jogo.

Veja no vídeo a seguir qual o momento ideal para investir em ações: