8 dicas para aproveitar a Black Friday sem cair em roubadas

Veja como aproveitar da melhor forma os descontos da Black Friday sem cair em ciladas

São Paulo – A Black Friday deste ano está marcada para o dia 27 de novembro. Importada dos Estados Unidos, a sexta-feira negra, na tradução em português, é uma data na qual empresas dos mais variados segmentos realizam promoções, em alguns casos bem agressivas, para atrair consumidores e elevar suas vendas.

Em tese, a Black Friday é uma maravilha, mas, infelizmente, o histórico do evento mostra que alguns comerciantes aproveitam a euforia dos clientes para criar descontos artificiais e empurrar promoções que não são nada vantajosas. Assim, é importante ficar atento para aproveitar o lado bom da Black Friday, deixando de lado as ciladas.

O evento acontece sempre na última sexta-feira do mês de novembro, mas, ainda que a maioria das promoções se concentre nessa data, algumas varejistas aproveitam para estender as ofertas por todo o mês de novembro. 

Em parceria com EXAME.com, o aplicativo de controle financeiro GuiaBolso listou oito dicas que mostram como aproveitar as melhores oportunidades da Black Friday e como se esquivar de eventuais roubadas. Confira a seguir. 

1) Antecipe as compras de Natal

De acordo com o site oficial da Black Friday no Brasil, os descontos oferecidos pelas empresas no evento chegam a até 80%. Por isso, o mês de novembro – e o dia 27 em especial – pode ser um bom momento para comprar os presentes de Natal

Além de evitar as lojas lotadas e filas em caixas típicas do período natalino, ao antecipar as compras você elimina o risco de deixar os presentes para a última hora, quando os preços estão no seu auge e as opções são mais restritas.

Ao fazer as compras com antecedência, também é possível pensar com calma em ideias de presente que tenham um bom custo-benefício. É o oposto do que acontece quando você entra no shopping correndo, em pleno 24 de dezembro, porque esqueceu de comprar o presente da sua mãe e acaba deixando seu 13º salário inteirinho lá dentro.

2) Compre móveis para a casa nova

Bens de alto valor, como móveis, também podem ser vendidos com bons descontos na Black Friday. Mas, como esse tipo de compra costuma ser mais caro, é importante se planejar para não se empolgar com os descontos e acabar comprando mais itens do que você precisa.

Para isso, vale a pena rondar os sites e lojas de móveis desde já para fazer uma boa pesquisa de preços e listar quais são os móveis que você precisa. Ao se planejar e fazer uma pesquisa com calma, as compras serão feitas com mais consciência e as chances de seu cartão de crédito estourar são reduzidas.

3) Renove sua biblioteca

O evento também é uma boa oportunidade para renovar sua estante de livros a ou a biblioteca do seu tablet ou smartphone. É comum que livrarias aproveitem a data para realizar saldões de livros e de e-books.

4) Mantenha produtos importados no radar

A Black Friday já é realizada há décadas nos Estados Unidos, mas com a expansão da internet, nos anos 2000, ela se espalhou para outros países. Por isso, os descontos do evento são oferecidos não apenas no Brasil e nos Estados Unidos, como na Europa e em países da América Latina.

E como muitas das vendas são feitas online, é possível aproveitar os descontos dos produtos importados facilmente navegando pela internet

Vale ressaltar, contudo, que comprar produtos lá fora já foi mais interessante antes do dólar chegar aos 4 reais, por isso pense bem se a compra vale a pena. Depois de fazer a conversão do valor para real, lembre-se de incluir na conta o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras), de 6,38% para compras internacionais com cartões, e eventuais taxas de entrega.

5) Avalie se vale a pena trocar seu celular ou sua TV

Com vendas mais tímidas ao longo do ano por causa da crise, fabricantes de eletrônicos devem aproveitar a Black Friday para desovar seus estoques. Quem já estava pensando em trocar de celular, ou comprar uma nova televisão, pode encontrar bons preços. 

Mas, para não se encantar com descontos falsos, não deixe de pesquisar os preços do mesmo produto em diferentes lojas (veja a dica número oito).

6) Demore para fechar a compra

Com a proximidade da Black Friday, as promoções passam a ser divulgadas exaustivamente. Para que você não seja o perfeito alvo dos publicitários e gaste à toa, faça uma lista do que você realmente precisa e pode pagar de acordo com sua capacidade financeira. 

Procure também não realizar a compra imediatamente. Ao demorar algumas horinhas ou até dias para decidir se você deve mesmo realizar a compra ou não, fica mais fácil evitar os impulsos de consumo e se concentrar apenas no que é realmente necessário.

7) Busque referências sobre o site

Apesar de lojas físicas participarem da Black Fiday, no Brasil o evento era voltado ao comércio eletrônico inicialmente. Por isso, até hoje muitas das promoções se concentram na internet. Caso você não conheça o site no qual pretende realizar a compra, faça uma pesquisa para checar se ele é confiável. 

No site do Procon-SP é possível consultar uma lista de sites que devem ser evitados por já terem sido alvo de reclamação de consumidores. Também vale fazer uma busca no Google para checar eventuais referências sobre o site, além de consultar se ele consta no Reclame Aqui, que é especializado em registrar queixas de clientes.  

8) Compare preços

Em edições anteriores, a Black Friday virou motivo de piada nas redes sociais. Como alguns comerciantes elevavam os preços dos produtos dias antes do evento para oferecer descontos artificiais, a frase que dizia que na Black Friday tudo é vendido “pela metade do dobro” viralizou e choveram reclamações nos órgãos de defesa ao consumidor.

Assim, novamente, vale a recomendação de pesquisar e comparar preços em diferentes sites e lojas antes de finalizar a compra. Sites comparadores, como o Buscapé e o Zoom, podem ajudar bastante na tarefa: eles mostram os valores praticados por um mesmo produto em diferentes lojas.

Confira as promoções de imóveis realizadas por construtoras que entraram na Black Friday.