65% dos devedores no rotativo parcelarão a dívida, diz estudo

Apesar de mais barato do que o rotativo, o parcelamento ainda é uma alternativa com taxa de juros muito alta para financiar as dívidas do cartão

Uma pesquisa da plataforma de crédito Just mostra que 25% dos consumidores endividados no cartão de crédito pretendem parcelar a fatura depois de 30 dias de uso do rotativo.

O porcentual é ainda maior se incluídos os entrevistados que ainda não sabem o que fazer quando a fatura chegar e aqueles que, mesmo com pendências no rotativo, não se reconhecem endividados.

A soma desses três casos eleva para 65% o percentual de pessoas que potencialmente vão usar o parcelamento do cartão.

Apenas 24% afirmaram que vão pagar a fatura com recursos próprios, enquanto outros 12% pretendem pegar outro tipo de empréstimo pessoal para quitar a dívida.

cartão_rotativo_crédito_parcelado (Reprodução/Arena do Pavini)

(Reprodução/Arena do Pavini) (/)

Pelo novo regulamento, aquele consumidor que não fizer nada após um mês de endividamento terá sua dívida transformada em um débito parcelado.

É por isso que a pesquisa considera que aqueles que não sabem o que fazer ou não se reconhecem endividados também devem recorrer ao parcelamento, por inércia.

Apesar de mais barato do que o rotativo, o parcelamento ainda é uma alternativa com taxa de juros muito alta para financiar as dívidas do cartão.

O estudo foi realizado com 1.554 usuários da plataforma de crédito Just e do aplicativo GuiaBolso que pagaram juros do rotativo nos últimos 30 dias.

Querem pagar

Do total de entrevistados, 24% informaram que pretendem fazer o pagamento integral do que ficou atrasado.

Contudo, não é garantido que, apesar da intenção, isso realmente aconteça.

Isso porque todos os entrevistados são consumidores com dívidas no rotativo, ou seja, já estão com atraso no pagamento da fatura, o que indica descontrole no orçamento.

O Just (justonline.com.br) é uma plataforma de crédito 100% online criada em 2016 pelos sócios do site de planejamento financeira GuiaBolso.

A empresa diz já ter permitido a economia de R$ 76 milhões para seus usuários ao trocar dívidas caras no cheque especial e cartão do rotativo por empréstimos com taxas menores.

A empresa atua como um correspondente bancário da financeira Sorocred , conectado com o GuiaBolso, aplicativo de finanças pessoais com mais de 3 milhões de usuários.

Este conteúdo foi publicado originalmente no site da Arena do Pavini.