22 corretoras recomendam ações para dezembro

Seguindo trajetória do Ibovespa, carteiras recomendadas apresentam desvalorização em novembro e corretoras não esperam grandes melhorias para dezembro

São Paulo – Revertendo a recuperação dos meses anteriores, o Ibovespa, principal indicador da bolsa brasileira, perdeu o fôlego e teve queda de 3,27% em novembro, acumulando no ano desvalorização de 13,90%. Seguindo os passos do índice, as carteiras recomendadas de ações da maior parte das corretoras registrou queda no mês.

Pesaram para o mau desempenho da Bolsa principalmente as perspectivas de resultados fracos das contas públicas tanto para os próximos meses quanto para 2014. Foi anunciado, por exemplo, que o superávit do Governo em outubro foi de 5,436 bilhões de reais, inferior ao piso das projeções, que era de 6 bilhões de reais, e o pior resultado para o mês desde 2004.

Para dezembro, as corretoras também não esperam grandes melhorias e destacam que o mercado acionário pode ficar bastante volátil com a divulgação de resultados fracos do PIB do terceiro trimestre, no dia 3 de dezembro, e com a divulgação dos parâmetros da metodologia de cálculo de reajuste dos combustíveis da Petrobras.

As ações mais recomendadas para o mês foram a Vale (VALE5), presente em 14 portfólios e o Itaú Unibanco (ITUB4), sugerido por 10 corretoras. 

Veja a seguir as ações que compõem as carteiras recomendadas das corretoras para o mês de dezembro.

Alpes/Wintrade
Ativa

BB Investimentos
BTG Pactual

Citi
Concórdia

Geração Futuro
Gradual

HSBC
Omar Camargo

Pax
Planner

Quantitas
Rico/Octo Investimentos

Santander
Solidez

Souza Barros
Spinelli

TOV
Um Investimentos

Walpires
XP Investimentos


Alpes/Wintrade

A carteira recomendada da WinTrade, home broker da Alpes Corretora, teve leve alta de 1,50% em novembro, e no acumulado de 2013 apresenta desvalorização de 16,52%.

Papéis incluídos: Itaú Unibanco. Papéis retirados: Petrobras.

As ações da Petrobras deixam a carteira em função da mudança de perspectiva sobre a divulgação da nova metodologia de precificação de combustíveis, que se manteve interna. Se fosse divulgada, daria maior visibilidade e transparência aos números da empresa, diz a corretora. Para os analistas, ao ter anunciado ao mercado que iria passar a divulgar a metodologia e depois recuar, a Petrobras enviou um sinal negativo sobre sua governança, já penalizada pela forte influência do governo.

O Itaú Unibanco entra na carteira em função de uma melhora na qualidade dos seus ativos, com redução da inadimplência e nas provisões para devedores duvidosos. Houve ainda um crescimento acima do esperado nas receitas tarifárias e, pela primeira vez desde o quarto trimestre de 2011, o índice de eficiência do banco apontou uma redução (quanto menor, mais eficiente). O retorno sobre o capital da empresa voltou a ficar acima de 20% (20,9% no trimestre), o que justifica o prêmio em relação a seus pares.

Ação Código Preço-alvo Peso
Alupar ALUP11 ND 10,0%
Anhanguera AEDU3 ND 10,0%
CCR CCRO3 ND 10,0%
Cosan CSAN3 ND 10,0%
Gerdau GGBR4 ND 10,0%
Itaú Unibanco ITUB4 ND 10,0%
Minerva BEEF3 ND 10,0%
Multiplus MPLU3 ND 10,0%
Vale VALE5 ND 10,0%
Vanguarda VAGR3 ND 10,0%

Ativa

Em novembro, a carteira Ativa teve queda de 1,89%. No ano, a carteira apresenta desvalorização de 1,48%.

Papéis incluídos: Estácio. Papéis retirados: Brasil Pharma e Anhanguera.

A Estácio foi incluída por ter terminado sua reestruturação e possuir caixa suficiente para direcionar operações de aquisição de pequeno e médio portes, o que deve possibilitar altas taxas de retorno, tendo em vista os baixos preços por aluno, altos potenciais de crescimento e as oportunidades de expansão. Segundos os analistas da Ativa, a estratégia vem em boa hora, uma vez que a companhia não deve ter competição na área de aquisições, dado que seus dois maiores concorrentes concentrarão as atenções na integração e processo de fusão. Além disso, a Estácio se mostra barata em relação a seus pares (Anhanguera e Kroton).

Ação Código Preço-alvo Peso
BR Malls BRML3 ND 7,0%
CCR CCRO3 ND 8,5%
Duratex DTEX3 ND 7,5%
Equatorial EQTL3 ND 7,5%
Estácio ESTC3 ND 9.0%
Itaú Unibanco ITUB4 ND 10,0%
Pão de Açúcar PCAR4 ND 10,0%
Petrobras PETR4 ND 8,0%
Suzano SUZB5 ND 8,0%
Telefônica (Vivo) VIVT4 ND 8,0%
Tractebel TBLE3 ND 7,5%
Vale VALE5 ND 9,0%

BB Investimentos

Em novembro, a carteira do BB Investimentos teve queda de 1,20% e acumula alta de 3,40% no ano.

Papéis incluídos: EcoRodovias, Estácio, Klabin, M. Dias Branco, Raia Drogasil e Tupy. Papéis retirados: CCR, Cielo, Eztec, Fibria, Pão de Açúcar e Ultrapar.

Em seu relatório mensal, o BB destaca que em dezembro estarão no foco dos investidores os dados econômicos norte-americanos referentes ao mercado de trabalho e os indicadores chineses. No Brasil, as atenções se voltarão à divulgação do PIB do terceiro trimestres de 2013, no dia 3 dezembro, e à decisão sobre os parâmetros da metodologia de cálculo de reajuste de combustíveis da Petrobras, que não foi divulgada na última reunião do Conselho de Administração da empresa. Não foram feitos comentários específicos sobre as alterações no portfólio. 

Ação Código Preço-alvo Pesos
BICBANCO BICB4 ND 7,5%
EcoRodovias ECOR3 ND 5,0%
Equatorial EQTL3 ND 5,0%
Estácio ESTC3 ND 5,0%
Gerdau GGBR4 ND 10,0%
Hypermarcas HYPE3 ND 5,0%
Itaú Unibanco ITUB4 ND 7,5%
Klabin KLBN4 ND 7,5%
M. Dias Branco MDIA3 ND 5,0%
Petrobras PETR4 ND 7,5%
Raia Drogasil RADL3 ND 5,0%
Tupy TUPY3 ND 10,0%
Usiminas USIM5 ND 10,0%
Vale VALE5 ND 10,0%

BTG Pactual

Em novembro a carteira 10SIM™ do BTG Pactual teve leve queda de 0,60% e acumula alta de 11,20% em 2013.

Papéis incluídos: Itaú Unibanco, Qualicorp e Tupy. Papéis retirados: Estácio, Light e Petrobras.

A Petrobras sai da carteira porque, apesar do anúncio da nova metodologia de reajuste dos combustíveis, os parâmetros ainda não foram divulgados e podem decepcionar o mercado, segundo os analistas. O Itaú entra no lugar da Petrobras, pois os maiores spreads (diferença entre o que o banco paga para captar recursos e o que recebe fazendo empréstimos) no setor bancário e o crescimento nas vendas de seguros devem beneficiar as ações do banco. A Qualicorp entra porque deve apresentar crescimento nos lucros e a Tupy foi incluída porque os analistas acreditam que a empresa tem uma forte posição competitiva, com perspectivas de ganhos atrativos, e porque 65% de sua receita é proveniente do exterior. 

Empresa Código Preço-alvo Pesos
BB Seguridade BBSE3 ND 15,0%
Cosan CSAN3 ND 10,0%
Duratex DTEX3 ND 10,0%
Hering HGTX3 ND 10,0%
Itaú Unibanco ITUB4 ND 15,0%
Pão de Açúcar PCAR4 ND 10,0%
Qualicorp QUAL3 ND 5,0%
Tupy TUPY3 ND 5,0%
Vale VALE3 ND 15,0%
Valid VLID3 ND 5,0%

Citi Corretora

A carteira Top Picks teve queda de 1,60% em novembro. No ano, a carteira acumula queda de 1,30%.

Papéis incluídos: Klabin, Gerdau, BB Seguridade e Mills. Papéis retirados: Duratex, Vale e Itaú Unibanco.

A carteira Top Picks da Citi Corretora focou em empresas que se beneficiam da desvalorização cambial e que vêm apresentando bons resultados, por conta da expectativa de valorização do dólar, do risco de rebaixamento da nota de crédito soberano brasileiro e do crescimento fraco da economia.

A Duratex foi retirada porque deve apresentar resultados mais fracos no quarto trimestre, por questões sazonais e por causa de maiores custos operacionais com o início das operações da unidade fabril. A performance das ações da Vale, também retirada, pode ser afetada pela tramitação do novo código de mineração no Congresso, que pode aumentar os royalties cobrados sobre o minério de ferro. Já o Itaú Unibanco foi retirado em função da questão da correção das cadernetas de poupança dos anos 1980 e 1990.

Do outro lado, Klabin foi incluída uma vez que o Projeto Puma será financiado pela emissão de debêntures conversíveis, o que elimina o risco de uma oferta de ações, pressionando menos os papéis. A Gerdau entra por vir apresentando bons resultados e pela demanda forte por aços longos. O BB Seguridade é incluído como uma alternativa mais defensiva no setor financeiro, com boa perspectiva de pagamento de dividendos e possível inclusão no Ibovespa. Já a Mills deve se beneficiar dos fortes investimentos governamentais em infraestrutura.

Ação Código Preço-alvo Peso
Localiza RENT3 R$ 41,00 ND
Klabin KLBN4 R$ 15,00 ND
Brasil Foods BRFS3 R$ 69,60 ND
Cosan CSAN3 R$ 53,00 ND
Mills MILS3 R$ 41,00 ND
Ultrapar UGPA3 R$ 60,70 ND
Gerdau GGBR 4 R$ 18,00 ND
BB Seguridade BBSE3 R$ 22,70 ND
Tractebel TBLE3 R$ 35,00 ND
CCR CCRO3 R$ 21,50 ND

Concórdia

A carteira da Concórdia apresentou retração de 0,88% em novembro e no ano acumula alta de 2,73%.

Papéis incluídos: Telefônica (Vivo), Grendene, Marcopolo, EcoRodovias e Ultrapar. Papéis retirados: Copasa, Duratex e Petrobras.

Os analistas da Concórdia destacam que questões relevantes são aguardadas para dezembro, como a divulgação do PIB do terceiro trimestre, o possível anúncio de extensão dos incentivos econômicos (desonerações) e a continuidade dos leilões em transporte e energia. Como o mês reservará “grandes desafios”, os analistas optaram por trocar o perfil da carteira buscando oportunidades que possam surgir em um momento de ajustes. Eles ainda ressaltam que veem um viés de alta para o Ibovespa, mas não neste último mês do ano.

Ação Código Preço-alvo Peso
Ambev* ABEV3 R$ 19,11* 6,0%
Banco do Brasil BBAS3 ND 6,0%
Bradesco BBDC4 R$ 38,84 8,0%
CPFL Energia CPFE3 R$ 30,20 6,0%
EcoRodovias* ECOR3 R$ 19,07 8,0%
Gerdau GGBR4 R$ 20,65 6,0%
Grendene* GRND3 R$ 22,50 6,0%
Itaú Unibanco ITUB4 R$ 39,42 6,0%
Klabin* KLBN4 R$ 13,84* 8,0%
Marcopolo POMO4 R$ 6,59 8,0%
Pão de Açúcar* PCAR4 R$ 119,47* 8,0%
Taesa* TAEE11 R$ 24,42* 6,0%
Telefônica (Vivo)* VIVT4 R$ 51,19 6,0%
Ultrapar* UGPA3 R$ 65,86 6,0%
Vale VALE5 R$ 53,46 6,0%

(*) Preço médio segundo os analistas consultados pela Bloomberg.


Geração Futuro

Em novembro, a carteira da Geração Futuro registrou leve alta de 0,90%, e no ano acumula alta de 13,50%.

Papéis incluídos: Cosan, Odontoprev e Tupy. Papéis retirados: Bradesco, Ultrapar e BM&FBovespa.

A Cosan foi incluída por ser uma empresa diversificada, com potencialidade de investimentos em diversos campos. Sua melhora operacional tem sido significativa e a estratégia de expansão da Raízen no Sul do país deve abrir mais oportunidades de crescimento – há oportunidades de aquisições e forte demanda por serviços de conveniência. A Rumo pode ainda sair vencedora em algumas das licitações de terminais portuários. A Cosan tem também múltiplos operacionais mais atrativos frente às concorrentes.

A Odontoprev não deve sofrer com as alterações na estrutura societária (Bradesco Saúde alcançou participação de 50,01%) e na diretoria. O relacionamento com o Bradesco pode acelerar a venda de planos individuais, e a Brasildental (parceria com a BB Seguros) deve impulsionar o crescimento de curto prazo.

Finalmente, a empresa de fundição Tupy obteve mais liquidez com uma nova oferta de ações e negocia com desconto de 16% em relação a seus pares domésticos em termos de EV/Ebitda (Valor da Firma/ Lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização), apesar das projeções de crescimento forte nos lucros para os próximos anos. De acordo com a Geração Futuro, a companhia tem entregado uma melhora operacional consistente, que deve continuar nos próximos anos, tendo em vista os ganhos de produtividade com os investimentos em automação, as sinergias das aquisições no México, a menor despesa financeira devido à redução do endividamento e a depreciação do real, dado que 66% de suas receitas vêm do mercado externo.

Empresa Código Preço-alvo Pesos
Aliansce ALSC3 ND 5,0%
BB Seguridade BBSE3 ND 20,0%
Cielo CIEL3 ND 15,0%
Cosan CSAN3 ND 15,0%
Kroton KROT3 ND 10,0%
Odontoprev ODPV3 ND 5,0%
Randon RAPT4 ND 5,0%
Tupy TUPY3 ND 5,0%
Vale VALE5 ND 15,0%
Wilson Sons WSON3 ND 5,0%

Gradual Investimentos

Não foram divulgados os desempenhos da carteira Top 10 Gradual em novembro e no ano.

Papéis incluídos: Gafisa e Sonae Sierra Brasil. Papéis retirados: Suzano e SulAmérica.

Não foram divulgados comentários sobre a carteira recomendada de dezembro.

Ação Código Preço-alvo Peso
Saraiva SLED4 R$ 36,80 10,0%
Fibria FIBR3 R$ 31,00 10,0%
Vale VALE5 R$ 45,00 10,0%
Ambev ABEV3 R$ 20,00 10,0%
Gafisa GFSA3 R$ 5,00 10,0%
Bematech BEMA3 R$ 12,70 10,0%
BRF BRFS3 R$ 63,00 10,0%
Sonae Sierra Brasil SSBR3 R$ 28,00 10,0%
Oi OIBR4 R$ 6,00 10,0%
Metalúrgica Gerdau GOAU4 R$ 25,90 10,0%

HSBC

A carteira HSBC Top Picks teve queda de 0,98% em novembro. No ano, a carteira acumula queda de 1,05%.

Papéis incluídos: Gerdau. Papéis retirados: Petrobras.

A Gerdau foi incluída na carteira do HSBC em função da recuperação da atividade econômica nos EUA, dos seus novos projetos que devem começar durante 2014 e de um possível melhor cenário de preços, depreciação do real e consequente queda do montante de investimentos em bens de capital, o que deve sustentar a geração de caixa para o próximo ano e 2015. Segundo os analistas, o maior foco na rentabilidade, como direcionamento das vendas para o mercado local, que tem um prêmio de preço, deve ajudar a empresa. A desvalorização do real também é positiva, porque 40% do Ebitda (Lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) da empresa é denominado em dólar.

Ação Código Preço-alvo Pesos
AES Tietê GETI4 ND 10,0%
Ambev ABEV3 ND 15,0%
Gerdau GGBR4 ND 10,0%
Itaú Unibanco ITUB4 ND 10,0%
Mills MILS3 ND 10,0%
Pão de Açúcar PCAR4 ND 10,0%
Ultrapar UGPA3 ND 10,0%
Vale VALE5 ND 15,0%
WEG WEGE3 ND 10,0%

Omar Camargo

A carteira da Omar Camargo apresentou queda de 0,90% em novembro e no ano a queda acumulada é de 11,96%.

Papéis incluídos: BB Seguridade e Vale. Papéis retirados: Bradespar e Petrobras.

A corretora não fez comentários específicos sobre as trocas na carteira, apenas sobre o cenário macroeconômico. Segundo os analistas, a divulgação do Produto Interno Bruto (PIB) do terceiro trimestre, no dia 3 de dezembro, é o principal ponto de atenção do cenário doméstico para este mês. Apesar de o mercado esperar que o PIB fique perto de zero ou até mostre retração, a corretora não descarta um aumento da volatilidade após a divulgação, pois as reações em caso de um número negativo mais acentuado seriam exacerbadas pela piora recente do humor do mercado em relação ao Brasil.

Ação Código Preço-alvo Peso
BB Seguridade BBSE3 ND 6,0%
BR Malls BRML3 ND 6,0%
BRF BRFS3 ND 14,0%
CCR CCRO3 ND 12,0%
Cemig CMIG4 ND 5,0%
Cosan CSAN3 ND 15,0%
Embraer EMBR3 ND 7,0%
Klabin KLBN4 ND 18,0%
Vale VALE3 ND 10,0%
Vanguarda VAGR3 ND 7,0%

Pax

A carteira da Pax Corretora teve queda de 1,67% em novembro e no ano acumula valorização de 5,89%.

Papéis incluídos: Bradesco, Estácio, Lojas Renner e M. Dias Branco. Papéis retirados: BTG Pactual e Petrobras.

Os analistas afirmam que permanecem confiantes em relação às ações ligadas a commodities, amparados na tese de que a melhora da economia global segue no radar. Eles consideram que há espaço para uma alta da Vale, por isso optaram por manter seu peso em 15,0%. Foi reduzida a exposição à Magazine Luiza, porque a corretora considera que depois de uma forte alta a ação perdeu fôlego e que o setor agora vive um novo cenário, com a Via Varejo no radar. Os analistas ressaltam ainda que apesar da acentuada queda de Magazine Luiza, a grande decepção do mês de novembro foi a Petrobras. A petrolífera foi retirada da carteira porque os analistas acreditam que as decisões sobre a nova metodologia de reajuste de combustíveis ainda devem pesar bastante sobre as ações.

Ação Código Preço-alvo Peso
Bradesco BBDC4 ND 10,0%
Cemig CMIG4 ND 5,0%
Duratex DTEX3 ND 5,0%
Estácio ESTC3 ND 5,0%
Eztec EZTC3 ND 10,0%
Kroton KROT3 ND 5,0%
Localiza RENT3 ND 5,0%
Log-In LOGN3 ND 5,0%
Lojas Renner LREN3 ND 5,0%
M. Dias Branco MDIA3 ND 5,0%
Magazine Luiza MGLU3 ND 3,0%
Marcopolo POMO4 ND 5,0%
Marisa AMAR3 ND 5,0%
Pão de Açúcar PCAR4 ND 5,0%
Suzano SUZB5 ND 7,0%
Vale VALE5 ND 15,0%

Planner

A carteira Planner registrou desvalorização de 1,32% em novembro e queda de 6,19% no ano.

Papéis incluídos: Banco do Brasil, Grendene e Telefônica (Vivo). Papéis retirados: AES Tietê, Cyrela, RaiaDrogasil.

O BB foi incluído por suas ações estarem descontadas em relação aos seus principais pares, além de uma possibilidade de pagamento de bons dividendos. Quanto à Grendene, os analistas acreditam que o atual desconto atribuído às ações representa uma oportunidade, considerados os bons fundamentos da companhia e o potencial de valorização de suas ações. Já a Telefônica foi incluída por apresentar bom potencial de valorização e por se destacar por sua liderança no mercado de telefonia móvel, sobretudo no segmento pós-pago, por sua boa geração de caixa, baixo endividamento e excelência no pagamento de dividendos.

Ação Código Preço-alvo Pesos
Abril Educação ABRE11 R$ 42,00 10,0%
ALL ALLL3 R$ 11,00 9,0%
Banco do Brasil BBAS3 R$ 31,30 10,0%
Brasil Insurance BRIN3 R$ 25,70 8,0%
CCR CCRO3 R$ 20,50 12,0%
Duratex DTEX3 R$ 16,00 10,0%
Grendene GRND3 R$ 23,00 9,0%
Multiplan MULT3 R$ 60,00 10,0%
Telefônica (Vivo) VIVT4 R$ 57,00 10,0%
Vale VALE5 R$ 42,00 12,0%
 

Quantitas

A carteira da Quantitas apresentou alta de 4,88% em novembro e registra retorno de 0,52% no acumulado do ano.

Papéis incluídos: Estácio. Papéis retirados: Cetip e Even.

Não foram feitos comentários sobre a carteira.

Ação Código Preço-alvo Peso
Abril Educação ABRE11 ND 10%
Anhanguera AEDU3 ND 20%
Estácio ESTC3 ND 10%
Grazziotin CGRA4 ND 10%
Itaú Unibanco ITUB4 ND 20%
JSL JSLG3 ND 10%
Mills MILS3 ND 20%
 

Rico/Octo Investimentos

A Carteira 8+ do Rico, home broker da Octo Investimentos, registrou alta de 2,71% em novembro, e alta de 4,13% no acumulado do ano.

Papéis incluídos: Banco do Brasil, BRF, Grendene, Fibria e Hypermarcas. Papéis retirados: Kroton, Minerva, Raia Drogasil, Suzano e Duratex.

Os analistas do Rico, home broker da Octo Investimentos, realizaram cinco trocas de ativos, visando estar, em grande parte, mais próximos a empresas que tenham resultados atrelados ao dólar, em função da perspectiva de elevação da moeda americana frente ao real, e que apresentam foco na redução da dívida, além de consistência na estrega de bons resultados.

Ação Código Preço-alvo Pesos
Banco do Brasil BBAS3 ND 12,5%
BRF BRFS3 ND 12,5%
Fibria FIBR3 ND 12,5%
Gerdau GGBR4 ND 12,5%
Grendene GRND3 ND 12,5%
Hypermarcas HYPE3 ND 12,5%
Itaú Unibanco ITUB4 ND 12,5%
Vale VALE5 ND 12,5%

Santander

A carteira recomendada do Santander registrou desvalorização de 1,76% em novembro e queda de 4,24% no ano.

Papéis incluídos: Bradesco e Klabin. Papéis retirados: Banco do Brasil e Randon.

O Bradesco foi incluído no portfólio porque os analistas acreditam que a pressão sobre as ações do setor bancário diminuirá com o adiamento do julgamento sobre as correções da poupança durante os planos econômicos nas décadas de 1980 e 1990 para o ano que vem. E as ações da Klabin entram na carteira após o anúncio do aumento de capital, da ordem de 1,7 bilhões de reais, via emissão de debêntures conversíveis em ações. Segundo os analistas, a medida dissipa o principal catalisador negativo da ação, que seria o aumento de capital via oferta pública de ações, e isso deve abrir espaço para apreciação das ações nos próximos dias.

Ação Código Preço-alvo Peso
BB Seguridade BBSE3 Em revisão 11,0%
Bradesco BBDC4 R$ 39,00 20,0%
Iochpe-Maxion MYPK3 R$ 34,00* 7,0%
Klabin KLBN4 R$ 14,50 10,0%
Kroton KROT3 R$ 40,00 11,0%
Localiza RENT3 R$ 43,00* 10,0%
Petrobras PETR3 R$ 20,75 10,0%
Usiminas USIM5 R$ 12,50 9,0%
Vale VALE3 R$ 54,00 12,0%

*Preços-alvo em negrito são referentes ao final de 2013 e o restante é referente ao final de 2014.

Solidez

Em novembro a carteira da Solidez teve queda de 6,51% e no acumulado do ano registra desvalorização de 1,46%.

Papéis incluídos: Natura e Souza Cruz. Papéis retirados: Odontoprev e Petrobras.

Os analistas optaram por retirar a Petrobras da carteira em função da incerteza sobre a nova metodologia de reajuste dos combustíveis. E as ações da Odontoprev foram substituídas pela Natura, pois a corretora acredita que o desempenho da fabricante de cosméticos será melhor.

Ação Código Preço-alvo Peso
ALL ALL3 ND 10,0%
Brookfield BISA3 ND 15,0%
Marcopolo POMO4 ND 10,0%
Marfrig MRFG3 ND 15,0%
Natura NATU3 ND 10,0%
PDG Realty PDGR3 ND 10,0%
RaiaDrogasil RADL3 ND 15,0%
Souza Cruz CRUZ3 ND 15,0%

Souza Barros

A Souza Barros não divulgou o desempenho da sua carteira recomendada em novembro e no ano.

Papéis incluídos: Ambev e Gerdau. Papéis retirados: Cetip e Localiza.

Não foram divulgados comentários sobre a carteira recomendada.

Ação Código Preço-alvo Peso
Ambev ABEV3 ND 20,0%
Gerdau GGBR4 ND 20,0%
Petrobras PETR4 ND 20,0%
Tractebel TBLE3 ND 20,0%
Ultrapar UGPA3 ND 20,0%

Spinelli

Em novembro, a carteira da Spinelli apresentou desvalorização de 4,52%, e no acumulado do ano registra alta de 2,72%.

Papéis incluídos: Ambev, BB Seguridade. Papéis retirados: WEG.

A Ambev foi incluída na carteira porque deve ganhar importantes incrementos em função dos eventos esportivos de 2014 e 2016, segundo os analistas. E o BB Seguridade entra por apresentar um crescimento constante e acima da média do seu setor em questão de volume, além de também ter uma estratégia de forte contenção de custos. A corretora também ressalta que a inserção da classe média emergente na previdência privada e nos seguros também reforça o espaço no mercado que o braço de seguros do Banco do Brasil pode alcançar.

Ação Código Preço-alvo Pesos
Ambev ABEV3 ND 14,0%
BB Seguridade BBSE3 ND 14,0%
BR Malls BRML3 ND 14,0%
BRF BRFS3 ND 14,0%
Magazine Luiza MGLU3 ND 14,0%
Suzano SUZB5 ND 14,0%
Ultrapar UGPA3 ND 14,0%

TOV

A carteira recomendada da TOV registra desvalorização de 1,78% em novembro e queda de 6,45% no acumulado do ano.

Papéis incluídos: Pão de Açúcar. Papéis retirados: Itaú Unibanco.

As ações do Itaú foram retiradas da carteira em virtude do possível ajuste que os bancos terão que passar por causa das decisões sobre os planos econômicos Bresser, Verão, Collor I e Collor II , segundo afirmam os analistas. Para substituir o Itaú, a corretora incluiu as ações do Pão de Açúcar, devido à força que o setor varejista costuma ganhar no último mês do ano.

Empresa Código Preço-alvo Peso
Ambev ABEV3 ND 15
CCR CCRO3 ND 15
Pão De Açúcar PCAR4 ND 15
Petrobras PETR4 ND 20
Ultrapar UGPA4 ND 15
Vale VALE5 ND 20

Um Investimentos

A carteira recomendada da Um Investimentos registrou leve queda de 0,64% em novembro. No ano, a carteira teve leve alta de 0,50%.

Papéis incluídos: Magazine Luiza. Papéis retirados: Anhanguera.

O acréscimo das ações do Magazine Luiza se deve ao crescimento de dois dígitos esperado para o quarto trimestre graças às vendas da Black Friday e do Programa Minha Casa Melhor, do governo federal. Há ainda uma expectativa de ganho de margem bruta nas operações no Nordeste por reajustes de preços. Os fatores de risco desta ação são a redução da renda disponível dos consumidores e a retração da economia brasileira.

Ação Código Preço-alvo Peso
BRF BRFS3 R$ 61,30 5,0%
Cosan CSAN3 R$ 54,11 10,0%
Hypermarcas HYPE3 R$ 23,00 10,0%
Itaú Unibanco ITUB4 R$ 39,50 15,0%
Magazine Luiza MGLU3 R$ 10,50 5,0%
Pão de Açúcar PCAR4 R$ 125,50 7,0%
Petrobras PETR4 R$ 23,50 11,0%
Qualicorp QUAL3 R$ 25,70 15,0%
Randon RAPT4 R$ 14,20 7,0%
Vale VALE5 R$ 45,77 15,0%

Walpires

Não foi divulgado o desempenho da carteira em novembro e no acumulado do ano.

Papéis incluídos: Ambev, Anhanguera, ALL, BB Seguridade, BRF, Embraer e Vale. Papéis retirados: Fibria, Gerdau, Itaú Unibanco, Kroton, Localiza, Pão de Açúcar e Suzano.

A corretora também não divulgou comentários sobre a carteira do mês.

Ação Código Preço-alvo Peso
ALL ALLL3 ND 10,0%
Ambev ABEV3 ND 10,0%
Anhanguera AEDU3 ND 10,0%
BB Seguridade BBSE3 ND 10,0%
Braskem BRKM5 ND 10,0%
BRF BRFS3 ND 10,0%
Cesp CESP6 ND 10,0%
Cielo CIEL3 ND 10,0%
Embraer EMBR3 ND 10,0%
Vale VALE5 ND 10,0%

XP Investimentos

Não foi divulgado o desempenho da carteira.

Papéis incluídos: Ambev. Papéis retirados: BM&FBovespa.

A XP não fez comentários sobre as alterações na carteira, apenas comentou que reduziu a participação das ações do Itaú Unibanco e elevou a exposição à Vale.

Ação Código Preço-alvo Pesos
Ambev ABEV3 ND 10,0%
BB Seguridade BBSE3 ND 10,0%
Cemig CMIG4 ND 10,0%
Cielo CIEL3 ND 10,0%
Cosan CSAN3 ND 10,0%
Direcional Engenharia DIRR3 ND 5,0%
Estácio ESTC3 ND 10,0%
Itaú Unibanco ITUB4 ND 10,0%
Multiplus MPLU3 ND 10,0%
Vale VALE5 ND 15,0%