15 corretoras indicam as melhores ações para setembro

Para analistas, queda nas cotações da Vale foi exagerada e, agora, é hora de aproveitar o preço baixo para ir às compras

Nos últimos três meses, as ações da Vale do Rio Doce perderam mais de 35% de seu valor na Bolsa. Os papéis, que no final de maio eram negociados a 58 reais, hoje podem ser comprados por 37 reais – uma pechincha, garantem os analistas. “A queda dos últimos tempos foi exacerbada. Não reflete os fundamentos da companhia”, explica a analista da corretora Ágora Cristiane Viana.

Em 2007, a empresa registrou o maior lucro líquido no Brasil: 12,8 bilhões de dólares, segundo o anuário EXAME Melhores e Maiores. Trata-se também da companhia com o segundo maior patrimônio no país: 51,3 bilhões de dólares. É, ainda, a empresa que elevou em 10% suas vendas no ano passado, contabilizando 13,6 bilhões de dólares de faturamento. E o mais animador: é a empresa que, pelas projeções dos analistas, pode permitir aos investidores dobrar suas economias até o final do ano.

Das 15 instituições consultadas pelo Portal EXAME, 12 recomendam a compra dos papéis da Vale (veja abaixo). A expectativa de valorização em 2008 varia de 63% a 99%.

Por que tanto otimismo? Devido à forte demanda contínua pelo minério de ferro, principal produto da companhia. Nesta quarta-feira (3/9), a Steel Business Briefieng (SBB), agência especializada no setor de siderurgia e mineração, informou que a Vale conseguiu elevar em cerca de 20% o minério de ferro destinado ao mercado chinês por meio de um adendo em seu contrato. Em comunicado, a companhia diz desconhecer tal reajuste, mas afirma que “mantém permanente diálogo com seus clientes, buscando a negociação, em termos mutuamente satisfatórios, de condições comerciais, envolvendo entre outros fatores qualidade, volumes e prazos de fornecimento”.

Os analistas acreditam que, mesmo com um cenário de desaquecimento global, a empresa poderá reajustar seus preços em 30% no próximo ano. “O aumento no minério de ferro será mais que suficiente para neutralizar as perdas com o níquel”, ressalta Cristiane.

A matéria-prima também deverá conferir à mineradora brasileira um desempenho superior ao de suas concorrentes. Uma pesquisa realizada pela Bloomberg junto a analistas de seis instituições internacionais revelou que a valorização das ações da Vale nos próximos 12 meses deverá ser até duas vezes maior que a das ações da Rio Tinto e da BHP Billiton. Isso porque a expectativa é de que o minério de ferro responda por 67% das vendas da Vale em 2009, ante 35% da Rio Tinto e 22% da BHP.

E essas projeções não incluem novas aquisições. Em julho, a Vale realizou uma nova oferta pública de ações, captando quase 20 bilhões de reais. Na época, muito se especulou sobre a possível compra de uma das gigantes do setor – Anglo American, Xstrata ou Freeport-McMoran. Hoje, no entanto, o mercado já não espera mais uma aquisição desse porte. “A empresa precisaria levantar ainda mais recursos para financiar a compra, e o momento não está propício a isso”, diz Jayme Alves, analista da corretora Spinelli.

A possibilidade de endividamento, aliás, foi um dos fatores que derrubaram os papéis da Vale nos últimos meses. Os investidores temiam que a empresa perdesse o título de grau de investimento, o que provocaria um aumento nos custos da mineradora e dificultaria as aplicações por parte dos investidores estrangeiros.

Embora os analistas acreditem que a pior fase para os papéis da Vale já passou, ainda não dá para esperar tempos de calmaria. “Os papéis são fortemente influenciados pelo sobe-e-desce do Ibovespa. Enquanto o mercado externo mexer com o índice, as ações também sofrerão”, diz Cristiane.

As previsões das corretoras para setembro

Ágora
Empresa Ação Preço-alvo (R$) Preço atual (R$)* Potencial de alta (%)
Petrobras PETR4 56,00 34,90 60,46
Vale do Rio Doce VALE 3 70,81 43,47 62,89
CSN CSNA3 97,15 56,50 71,95
Confab CNFB4 8,74 6,35 37,64
Suzano Papel SUZB5 34,00 20,70 64,25
Gerdau GGBR4 48,88 30,70 59,22
Itaúsa ITSA4 13,04 9,53 36,83
SulAmérica SULA11 42,60 25,80 65,12
Tractebel TBLE3 29,85 20,15 48,14
Cemig CMIG4 46,95 35,19 33,42
Alterações
Não houve
Ativa
Empresa Ação Preço-alvo (R$) Preço atual (R$)* Potencial de alta (%)
Weg WEGE3 Não informado 17,90
Lojas Americanas LAME4 Não informado 32,60
Cesp CESP6 Não informado 26,12
CSN CSNA3 Não informado 56,50
Transmissão Paulista TRPL4 Não informado 46,04
Bradesco BBDC4 Não informado 29,95
Banco do Brasil BBAS3 Não informado 23,79
Bradespar BRAP4 Não informado 32,60
Vale do Rio Doce VALE5 Não informado 38,00
Petrobras PETR4 Não informado 34,90
Usiminas USIM5 Não informado 57,20
Tegma TGMA3 Não informado 13,99
Alterações
Entra: CSN
Sai: Cemig
Alpes
Empresa Ação Preço-alvo (R$) Preço atual (R$)* Potencial de alta (%)
Petrobras PETR4 46,80 34,90 34,10
Bradespar BRAP4 42,50 32,60 30,37
Bradesco BBDC4 38,00 29,95 26,88
Itaúsa ITSA4 12,00 9,53 25,92
Usiminas USIM5 75,00 57,20 31,12
Alterações
Não houve
Corretora Geral
Empresa Ação Preço-alvo (R$)** Preço atual (R$)* Potencial de alta (%)
Petrobras PETR4 60,00 34,90 71,92
Vale do Rio Doce VALE5 65,00 38,00 71,05
VCP VCPA4 65,00 34,93 86,09
Bradesco BBDC4 54,00 29,95 80,30
Gerdau Metalúrgica GOAU4 70,00 41,50 68,67
CPFL Energia CPFE3 48,00 34,00 41,18
Lojas Renner LREN3 47,00 29,50 59,32
Usiminas USIM5 90,00 57,20 57,34
Souza Cruz CRUZ3 61,00 42,63 43,09
Itaúsa ITSA4 15,57 9,53 63,38
Alterações
Não houve
Fator
Empresa Ação Preço-alvo (R$) Preço atual (R$)* Potencial de alta (%)
Petrobras PETR4 50,00 34,90 43,27
Vale do Rio Doce VALE5 Em revisão 38,00
Eletrobrás ELET6 40,00 25,04 59,74
Telesp TLPP4 73,16 46,50 57,33
Ambev AMBV4 192,91 100,32 92,29
Itaúsa ITSA4 Em revisão 9,53
B2W BTOW3 122,62 58,15 110,87
ALL ALLL11 33,00 18,85 75,07
Weg WEGW3 29,60 17,90 65,36
Net NETC4 37,37 18,80 98,78
Ultrapar UGPA4 90,00 58,54 53,74
Telemar TNLP3 84,97 40,03 112,27
CCR Rodovias CCRO3 43,00 29,82 44,20
Banco do Brasil BBAS3 Em revisão 23,79
Alterações
Entram: Vale do Rio Doce, B2W
HSBC
Empresa Ação Preço-alvo (R$) Preço atual (R$)* Potencial de alta (%)
ALL ALLL11 Não informado 18,85
Vale do Rio Doce VALE5 Não informado 38,00
Sadia SDIA4 Não informado 10,77
Energias do Brasil ENBR3 Não informado 28,48
Usiminas USIM5 Não informado 57,20
Petrobras PETR4 Não informado 34,90
Itaú ITAU4 Não informado 30,75
Alterações
Entram: Usiminas, Vale do Rio Doce, Energias do Brasil, Sadia
Saem: Tractebel, Eletropaulo, CSN, Embraer, BR Malls
Intra
Empresa Ação Preço-alvo (R$) Preço atual (R$)* Potencial de alta (%)
Souza Cruz CRUZ3 Não informado 42,63
Itaúsa ITSA4 Não informado 9,53
Petrobras PETR4 Não informado 34,90
Vale do Rio Doce VALE5 Não informado 38,00
Sadia SDIA4 Não informado 10,77
Bradesco BBDC4 Não informado 29,95
CSN CSNA3 Não informado 56,50
Gerdau GGBR4 Não informado 30,70
Confab CNFB4 Não informado 6,35
Copel CPLE6 Não informado 28,00
Randon RAPT4 Não informado 13,30
Transmissão Paulista TRPL4 Não informado 46,04
Alterações
Não houve
Link
Empresa Ação Preço-alvo (R$) Preço atual (R$)* Potencial de alta (%)
AES Tietê GETI4 21,25 15,27 39,16
ALL ALLL11 28,00 18,85 48,54
B2W BTOW3 96,00 58,15 65,09
CCR Rodovias CCRO3 39,00 29,82 30,78
Cemig CMIG4 50,00 35,19 42,09
CSN CSNA3 102,00 56,50 80,53