Cartas & E-mails | Um exemplo para o Brasil

Confira mensagens que chegaram à redação de EXAME sobre a edição 1187 da revista, que traz a expansão global da Natura como destaque

 

CAPA – NATURA

A ousadia da Natura em comprar o gigante de cosméticos americano Avon é uma prova de que é possível conquistar o mundo mesmo em tempos de crise econômica (A ambição global da Natura, 12 de junho). Os fundadores da empresa, Guilherme Leal, Pedro Passos e Luiz Seabra, são protagonistas entre os gigantes dos cosméticos mundiais. Eles são motivo de orgulho para nós, brasileiros. Eu, como brasileira, ainda acredito em dias de prosperidade, mesmo com toda a instabilidade do nosso país.

Roberta Rolim, Campinas, SP


Muito interessante a reportagem da capa. Acredito que a missão de integrar as culturas das duas empresas dará muito trabalho. Fui colaboradora da Natura e acompanhei as duas empresas. A Natura tinha o apelo da brasilidade e valores ambientais fortes. Já a Avon tinha a seu favor suas campanhas agressivas para impulsionar os canais de vendas. Desejo sucesso na fusão e que a economia brasileira também ganhe com esse grande negócio.

Ruth Rosa Martins, Via LinkedIn


A Natura tem uma boa administração e utiliza a tecnologia como uma ferramenta para crescer. Fora isso, ela tem ainda boas estratégias de negócios e de inovação. Aposto que as duas empresas vão longe após essa compra.

Cintia Vieira, Via Instagram


Parabéns à Natura e à Avon. O Brasil precisa de mais empresas que saibam transformar matéria-prima em produtos de alto valor agregado.

Phillipe Lazaro, Via Instagram


BRASIL

Vivemos uma crise institucional (As duas agendas brasileiras, 12 de junho). O Poder Judiciário está moralmente falido e é usado como mecanismo político. Temos ainda um presidente sem lastro político. Ele não consegue nem controlar o próprio partido. Na minha opinião, estamos à beira de um colapso.

Rafael Musselli, Via Facebook


Após a reforma da Previdência e a reforma tributária, o Brasil vai decolar. O pior é ver que a esquerda e seus apoiadores preferem torcer contra essas mudanças.

Fernando Gouvêa, Via Facebook


GUERRA COMERCIAL

Os Estados Unidos são o tipo de jogador que não segue as regras. Ele se move para mudá-las e impedir que o outro jogue (A Cortina de Ferro digital, 12 de junho).

Guilherme Henrique, Via Facebook


Este é um precedente perigoso: os governos interferindo nos negócios das empresas. Não deveria acontecer. A China deveria fazer a mesma coisa com a Apple.

José Couto, Via Facebook


FINANÇAS

Quem diria que apenas dez anos atrás tínhamos somente duas empresas de pagamentos no país, Cielo e Rede, que dominavam o mercado e cobravam horrores pelo serviço das maquininhas (Uma pedra do sapato, 12 de junho). O exemplo do setor de pagamentos mostra como um mercado mais livre, com menos burocracia, é melhor para o consumidor final. O lado bom é que a situação está melhorando.

Fabiano Santos, Via Facebook


INFRAESTRUTURA

O preço da energia elétrica está nas alturas (A retomada do setor elétrico, 12 de junho). Hoje pago três vezes mais pelo consumo de eletricidade, mesmo tendo os mesmos eletrodomésticos e morando na mesma residência. Não podemos nos esquecer de que a retomada do lucro das empresas elétricas em 2018, mencionada na reportagem, vem do povo.

Josefa Conceição, Via Facebook