Rodízio e motores eficientes baixam poluição na Cidade do México

Rodízio "linha dura" tira de circulação os carros mais poluentes nos dias em que a qualidade do ar está prejudicada na capital mexicana

São Paulo – A Cidade do México é um exemplo de uma metrópole que reduziu o nível de poluição atmosférica nas duas últimas décadas. Se em 1994 a cidade passou quase o ano todo com um índice de qualidade do ar considerado “muito ruim”, em 2016 foram apenas 18 dias.

A melhoria tem a ver com o avanço tecnológico dos motores e também com a adoção de um rodízio de veículos que leva em conta não só a placa mas também a emissão de poluentes dos carros. Nos dias em que a qualidade do ar piora, os veículos mais poluidores são proibidos de circular. No fim de maio, por exemplo, a restrição precisou ser acionada durante cinco dias seguidos, o período mais longo desde 2000.

Para a OCDE, o grupo de países ricos, episódios assim mostram que a poluição ainda é um problema grave e é preciso fazer mais. Em um relatório recente, a organização dá sugestões para melhorar o ar na capital mexicana, entre elas definir uma área onde os veículos mais poluidores sejam proibidos de circular.