Cultura | Remakes e revisões estão entre as estreias desta quinzena

O olhar fresco sobre duas refilmagens, a biografia de uma brasileira histórica e o velho blues do Mississípi

CINEMA

Dumbo vive

Tim Burton é um diretor de grandes fantasias visuais, de Edward Mãos de Tesoura ou A Noiva Cadáver a reinterpretações peculiares de histórias e personagens, como Batman e Alice no País das Maravilhas. Ele agora volta a recorrer a um clássico infantil. Dumbo é uma versão com atores (como Colin Farrell, Danny DeVito e Michael Keaton) do desenho animado de 1941 da Disney. O personagem-título foi criado digitalmente em minúcias e Burton descartou que os animais da trama pudessem falar em busca de verossimilhança. A visão de um elefante flutuante “de verdade” deve impressionar todas as faixas etárias.

Dumbo | Direção de Tim Burton | Com Colin Farrell, Danny DeVito e Michael Keaton | Estreia em 28/3


CINEMA

Terror recriado

Hoje com 78 anos, o cineasta italiano Dario Argento construiu sua reputação nos anos 70 e 80 com filmes de terror capazes de apresentar doses de sangue com uma elegância europeia. O longa Suspiria (1977) é sério candidato a seu filme mais célebre. A história sinistra de uma academia de balé que abriga um grupo de bruxas retorna em Suspíria – A Dança do Medo, do diretor italiano Luca Guadagnino (de Me Chame pelo Seu Nome), com Dakota Johnson, Chloë Grace Moretz e Tilda Swinton. Cinéfilos detestaram a conspurcação de uma obra cult, algo comum a remakes como este. A trilha é de Thom Yorke.

Suspíria – A Dança do MedoDireção de Luca Guadagnino | Com Dakota Johnson e Tilda Swinton | Estreia em 28/3


LIVRO

Nossa Jackie

Nos dois anos e meio em que seu marido presidiu o Brasil, Maria Thereza Goulart foi badalada como a nossa Jacqueline Kennedy, a mais chique das primeiras-damas dos Estados Unidos. Com apenas 21 anos quando João Goulart assumiu o mandato em setembro de 1961, a jovem, bela e tímida gaúcha de São Borja foi jogada aos holofotes e tratada como celebridade, com figurinos feitos por Dener, então o mais notório estilista brasileiro, e sujeita a maledicências. Com o golpe militar de 1964, foi para o exílio no Uruguai, até ficar viúva aos 36 anos. Discreta e em silêncio por décadas, ela finalmente se abriu para sua esperada e necessária biografia.

Uma Mulher Vestida de Silêncio: A Biografia de Maria Thereza GoulartDe Wagner William | Record | R$ 74,90


MÚSICA

Blues moderno

Guitarrista de blues capaz de respeitar a tradição sem perder a identidade, o texano Gary Clark Jr. não se conforma em apenas reproduzir mecanicamente o que os grandes do gênero fizeram na primeira metade do século 20. A cada trabalho, ele incorpora mais soul, rock e recursos eletrônicos. This Land, seu quinto álbum de estúdio, prossegue nessa falta de medo de modernizar o blues com outros ingredientes. Clark pode cantar em falsete suave ou ser feroz, como na antirracista faixa-título. É capaz de lembrar Prince em Pearl Cadillac, ser punk rock em Gotta Get Into Something e simular os bluesmen antigos em The Governor.

This Land | Gary Clark Jr. | Warner Bros. Records | Disponível em streaming