Luxo | O Pulso da vez

O guia EXAME VIP de relógios traz as tendências e as novidades do ano

Não é exagero dizer que o universo da relojoaria vive em função de duas feiras anuais, ambas realizadas na Suíça: o Salão Internacional da Alta Relojoaria, em Genebra, que reúne as marcas de luxo do grupo Richemont; e a Baselworld, na Basileia, o maior evento de joalheria e relojoaria do mundo, que acontece há mais de 100 anos e recebe mais de 500 marcas. Desses dois salões saem as novidades que abastecerão as butiques nos meses seguintes.

Junto com os lançamentos do ano surge uma pergunta recorrente: o que ex-plica o preço de um relógio mecânico? Existem, basicamente, duas explicações, uma racional e uma emocional. A justificativa racional é que cada relógio é produto de anos de pesquisa e desenvolvimento, o famoso R&D, na sigla em inglês. Os artesãos recebem treinamentos por muitos meses antes de se dedicarem a montar os movimentos mecânicos, ou mecanismos. A produção das pequenas e delicadas peças demanda milhões de horas de trabalho. No fim, você terá um produto com o mesmo número de componentes e sofisticação de montagem de um motor de automóvel, mas que vai durar muito mais e poderá ser deixado de herança para seu filho.

Agora, a razão emocional. Somos condicionados a valorizar produtos exclusivos, e relógios são produzidos em quantidades limitadas. O grupo Richemont chegou a gastar 300 milhões de dólares para comprar peças que estavam encalhadas em revendedores para que não perdessem valor de mercado. As marcas também sabem explorar o legado de seus modelos, o famoso storytelling. Quem compra um Rolex Daytona, por exemplo,  não quer apenas um excelente cronógrafo, e sim a história por trás — Daytona é a praia da Flórida onde inúmeros recordes de velocidade foram batidos no início do século 20 e era o modelo favorito do ator e piloto Paul Newman.

O fato é que as pessoas não precisam de um relógio mecânico. Elas querem ter um. Por aqui, selecionamos algumas novidades de acordo com as tendências apresentadas nos dois salões de relojoaria deste ano. Medida com a precisão de um cronógrafo, a leitura deste guia vai tomar 678 segundos, ou pouco mais de 11 minutos, de seu tempo. Boa diversão. 


MERGULHO

A maioria das pessoas que têm um relógio de mergulho querem apenas o estilo. Relógios profissionais estão em alta, particularmente os chamados dive watches.

Fotos: Divulgação

Rolex Oyster Perpetual Sea-Dweller (43 mm)

O modelo ícone entre os mergulhadores de todo o mundo, impermeável até 1 220 metros, vem sendo aprimorado desde 1967 em colaboração com os pioneiros do mergulho profissional em grande profundidade e de longa duração. A luneta giratória unidirecional graduada em 60 minutos do Sea-Dweller permite aos mergulhadores monitorarem com segurança os tempos de mergulho e descompressão. R$ 72 650

Panerai Submersible Mike Horn – PAM 00984 (47 mm)

Inspirado em Mike Horn, um dos maiores exploradores em atividade e embaixador da Panerai. Os profissionais do mergulho podem ficar tranquilos: ele é hermético a uma profundidade de até 300 metros. O mostrador é preto, mas com pontos e índices luminescentes para facilitar a visualização embaixo da água. A reserva de marcha é de 72 horas. O toque sustentável fica por conta da caixa feita de eco titanium, e a correia preta é de PET reciclado. R$ 91.100


VELOCIDADE

É fácil entender a relação entre velocidade e tempo. Motores e relógios dependem de boas engrenagens e desempenho, além de aparência e legado, para atingir o máximo de excelência.

TAG Heuer Autavia (42 mm)

A coleção Autavia é inspirada em carros de corrida e aeronaves do meio do século passado. Usados como instrumento de bordo por esses aventureiros, os relógios agora atualizados capturam a energia dos ralis. A nova verão tem pulseira de couro, caixa de aço inoxidável e apresenta movimento automático com 38 horas de reserva de marcha. R$ 18.725

Cartier Santos Chronograph (43,3 mm)

Em 1904, Louis Cartier realizou o sonho do aviador Alberto Santos Dumont de poder ver as horas em pleno voo. O cronógrafo em homenagem ao brasileiro lançado neste ano possui movimento mecânico com corda automática, pulseira de borracha e caixa de aço com -12,5 mm de espessura. R$ 42.300

IWC Big Pilot Spitfire Calendário Perpétuo (46,2 mm)

O design é inspirado no modelo de instrumentos purista do Mark 11. O primeiro relógio de navegação da marca foi produzido para a Força Aérea Real (RAF) em 1948. O mais novo modelo tem caixa de bronze, pulseira de couro, reserva de marcha de sete dias e calendário perpétuo, que exibe dia do mês e da semana, mês e ano. R$ 120.000

Hublot Classic Fusion Ferrari GT Titanium (45 mm)

A Hublot e a Ferrari vêm criando relógios com design e motorização exclusivos. O novo relógio faz referência a uma categoria de carros de luxo com alto desempenho e produção limitada, o chamado Grand Touring. O cronógrafo com flyback tem movimento de corda automática e reserva de marcha de três dias. US$ 22.000 + taxas e impostos


ARQUITETURA

Cada vez mais as marcas da alta relojoaria suíça buscam inspirações nas artes para seus novos modelos de relógios. São detalhes nos mostradores, formatos e acabamentos que revelam algo maior por trás de um design.

Bvlgari Octo Roma (41 mm)

O design italiano foi inspirado na Basílica de Magêncio (Roma, 310 d.C.). O mais icônico modelo da marca agora vem com linhas mais suaves. Com movimento mecânico de corda automática, possui caixa e pulseira de aço inoxidável, octógono de ouro rosa e reserva de marcha de 42 horas. Preço sob consulta


HERITAGE

Releituras de modelos clássicos estão por toda parte, permitindo acesso a história, legado e conceito de cada marca.

Omega Speedmaster Moonwatch (42 mm)

O lendário relógio da marca suíça esteve no pulso dos astronautas de todas as seis missões lunares realizadas até hoje. O cronógrafo apresentado neste ano possui movimento de corda manual com escape coaxial, taquímetro, reserva de marcha de 50 horas e acabamento revestido de ouro. R$ 136.600

Montblanc 1858 Automatic Chronograph Limited Edition (42 mm)

Inspirada no espírito de exploração da montanha, a linha 1858 faz referência ao ano de fundação da manufatura Minerva, comprada em 2008 pela Montblanc. O novo modelo da coleção aproxima-se da natureza com caixas de bronze e mostradores verde-cáqui, combinando com pulseiras coloridas Nato. O cronógrafo possui movimento com corda automática e reserva de marcha de 48 horas. R$ 23.600

Jaeger-LeCoultre Rendez-Vous Moon

A clássica linha feminina vem com versão em ouro e em aço e revela as fases da lua. O mostrador em guilhochê prateado e os ponteiros e algarismos florais proporcionam uma elegância discreta e sofisticada. O movimento automático tem reserva de marcha de 40 horas. Vem com pulseiras intercambiáveis. R$ 80.500