Cartas & E-mails | O governo digital

Confira mensagens que chegaram à redação de EXAME sobre a edição 1186 da revista, que traz os avanços tecnológicos na administração pública em destaque

CAPA – GOVERNO 4.0

A mudança deve ser sempre constante (A hora e vez do governo 4.0, 29 de maio). Nós, cidadãos, já mudamos nossos hábitos de consumo e até a forma como fazemos compras no ambiente virtual. Muitas profissões surgiram por causa da internet e tantas outras já foram extintas ou modernizadas. Era inevitável que todas essas mudanças promovidas pela tecnologia chegassem aos governos para mudar a forma de governar. A tecnologia veio para agilizar e facilitar o acesso à informação. Precisamos fazer um bom uso dela.

Nelson Oliveira, Via Instagram

O uso de tecnologias, como a inteligência artificial, é nossa última esperança para vivermos em um país menos corrupto. Isso vale não somente para os políticos mas também para nós, a população.

Leandro Criary, Via Instagram


NEGÓCIOS

Não é só a frustração na bolsa que bate recorde (O ano da frustração, 29 de maio). É também a frustração da classe média. Os trabalhadores têm seus salários fixos atacados pela inflação, que é um roubo. E, além disso, o país continua com milhões de desempregados.

Douglas Gonçalves, Via Facebook

Se fosse só a bolsa que estivesse assim, dava-se um jeito. O país segue sem saúde, educação, segurança, moradia, empregos, justiça e futuro para seu povo.

Fabian Rocha, Via Facebook


TECNOLOGIA

Este é o momento perfeito para falar sobre a internet 5G, agora que a Anatel aprovou a liberação das faixas de frequências para utilização da tecnologia (O futuro além do smartphone, 29 de maio). Realmente, o fato de a Samsung já ter um ecossistema conectado de smartphones e eletrodomésticos a coloca na frente de suas principais rivais.

Priscilla Garcez, Via Facebook

Está mais que na hora de darmos um passo na próxima onda de inovação, e é bom saber o olhar da Samsung para o futuro.

Armindo Ferreira, Via Facebook


ALIMENTAÇÃO

A carne de laboratório poderia ter outro nome (Do laboratório para o prato, 29 de maio). Não acredito que isso seja carne como a conhecemos.

Felipe Rezende, Via Facebook


J.R. GUZZO

O artigo sobre governos passados lança graves acusações sobre o corpo técnico do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (Até tu, BNDES?, 15 de maio). Em tais circunstâncias, o Banco não pode se eximir de esclarecer o público a respeito do seu funcionamento. Nos últimos 67 anos, os profissionais do BNDES executaram com rigor e prudência bancária as políticas públicas que lhes foram designadas pelos governos legalmente constituídos, com resultados financeiros que demonstram o compromisso de seus funcionários, e continuam contribuindo para o resultado primário da União. A atuação do BNDES é permanentemente escrutinada pelos órgãos de controle do Estado brasileiro — BC, CVM, CGU, TCU e, quando provocada, a Justiça Federal, que recentemente determinou não ter encontrado dolo na ação do corpo funcional do Banco, ou interferência política nas decisões de seus técnicos. A nossa responsabilidade com a sociedade e as diretrizes da Lei das Estatais nos dão confiança de que o Banco continuará cioso da qualidade da sua governança e de seus processos, focado em sua missão de melhorar a qualidade de vida desta e das próximas gerações de brasileiros.

Helena Tenório, Superintendente da Área de Comunicação e Relacionamento Institucional do BNDES


Comentários sobre o conteúdo editorial de EXAME, sugestões e críticas a reportagens

redacao.exame@abril.com.br

Fax (11) 3037-2027, Caixa Postal 11079,  CEP 05422-970, São Paulo, SPA