Carta da Exame | Hora de pensar e repensar

A pandemia reforça a fragilidade do sistema de saúde e a dificuldade de responder a uma grave crise, mas também força as melhores mentes a repensar

Quando a edição anterior da revista EXAME foi às bancas com a manchete “O vírus que devorou 2020”, o número de contaminados pelo coronavírus era de 120.000 pessoas, a maioria delas na China. Duas semanas depois, quando foi concluída esta nova edição da EXAME, com novo logotipo, novo projeto gráfico e novas seções, o número de casos passava de 380.000 — com mais de 300.000 fora da China. O Brasil já tem 2.000 casos, num ritmo de contágio que, segundo o Ministério da Saúde, deve continuar crescendo por meses.

A pandemia reforça a fragilidade do sistema de saúde e a dificuldade do poder público de se organizar para responder rapidamente a uma grave crise. Mas também tem o poder de, subitamente, forçar as melhores mentes do planeta a repensar a economia e o desenvolvimento social. Nesta edição mostramos que propostas até semanas atrás tidas como radicais nos Estados Unidos, como um sistema de saúde universal, passam a ser discutidas até em alas mais liberais do Partido Republicano.

Mérito do senador Bernie Sanders, um socialista de 78 anos que deve perder a corrida pela indicação democrata, mas, graças à covid-19, manterá muitas de suas ideias vivas na campanha. Outra reportagem mostra como empresas e governos mundo afora tentam evitar um cataclismo no sistema de saúde — e também na economia. É uma crise que demanda uma análise desapaixonada e sem ideologias. Reduzir juros, ampliar programas sociais e reforçar políticas anticíclicas são medidas que podem exigir deixar a austeridade de lado por um tempo — mas por quanto tempo?

E como achatar a curva de contágio sem fazer a curva de desemprego explodir? São temas tratados a partir da pág. 56. A reportagem de capa mostra como as implicações da pandemia, de um jeito trágico, anteciparam hábitos que levariam anos para ganhar escala em áreas como trabalho, lazer e educação. Em algumas funções, trabalhar de casa pode aumentar a produtividade. Mas a falta de interação pode matar a capacidade da sociedade de inovar, como aponta o economista Edward Glaeser em entrevista.

Numa das novidades desta nova EXAME,­ numa grande entrevista quinzenal, Salim Ismail, um dos fundadores da Singularity University, explica como as instituições podem ser menos reticentes à inovação — e assim acelerar até a cura de doenças. A pandemia do coronavírus é uma tragédia humana, econômica e social, mas pode fazer com que comunidades, cidades e países se fortaleçam. Aprender com as grandes crises e com os desa­fios do dia a dia é uma das missões desta nova ­EXAME. Boa leitura.