Cartas & E-mails — Funkeira e empresária

Confira cartas e e-mails que chegaram à redação de EXAME sobre a edição 1177 da revista, que traz a cantora Anitta na capa

CAPA – A STARTUP ANITTA

Para quem ainda se pergunta o que uma funkeira de 25 anos tem a dizer sobre negócios (A Startup Anitta, 23 de janeiro), pergunte-se também o que um empresário faz para criar um produto de destaque, que sobreviva por mais de cinco anos em ascensão. Pergunte-se o que ele faz para pagar impostos e tocar o negócio respeitando as leis e ainda assim ter lucro no final. Pergunte-se como ele consegue sobreviver a tempos de crise mantendo as dezenas de empregos que gera. Por fim, pergunte-se como fazer isso dos 18 aos 25 anos de idade. É sobre isso que eu falo na revista.

Anitta
Cantora e empresária

Até que enfim o negócio musical foi observado pela perspectiva de negócios. Toda a estratégia usada pela Startup Anitta (23 de janeiro) mostra quanto as empresas devem se reinventar e inovar em meio a tantas transformações do mercado, inclusive no musical!

João Kleber Santos
Via LinkedIn

A Anitta é um exemplo para todas as jovens que buscam seu lugar ao sol. Nunca desiste, escolhe bem o que faz e planeja tudo com humildade, determinação e disciplina. Usa muito bem seu talento musical e paira com classe e elegância sobre “as invejosas”. Admirável, Anitta! Sou seu fã desde sempre.

Antônio Cláudio
Macapá, AP

Posso não gostar da música ou do jeito que ela dança. Mas não posso negar que Anitta tem o instinto, aquele feeling, para os negócios. Tanto que ela esperou e foi muito cautelosa para se lançar internacionalmente. Assisti a uma entrevista e pude ver que ela tem profundidade, é uma pessoa que estuda, quer ir além. Não é simplesmente um rebolado.

Andreza Castro
Via Facebook


POLÍTICA

A reforma da Previdência é muito necessária (Convicção, Presidente, 23 de janeiro). O povo precisa entender que, sem ela, o governo pode falir. Podemos discutir a forma como ela será feita, é claro, mas ser contra a medida é uma atitude inconsequente. Todos deveriam se unir a favor dela, porque se trata do futuro do Brasil.

Matheus Schmidt
Via Facebook


ECONOMIA

Estamos iniciando uma nova era, de produtividade e competitividade, em que o governo deixará de ser um obstáculo ao crescimento (Crescimento sem subsídio, 23 de janeiro). Nos próximos anos, trabalharemos arduamente para remover as amarras e transformar nosso ambiente de negócios. Isso significará menos regulações, menor burocracia, serviços públicos mais eficientes e focados, e apoio do governo onde o mercado falhe, de preferência apenas temporariamente.

Carlos Alexandre da Costa
Secretário Especial de Competitividade e Produtividade


VAREJO

Para mim, shopping sempre foi um local de entretenimento que acaba levando às compras (Corra que o futuro chegou, 23 de janeiro). Principalmente nos grandes centros urbanos, o fator segurança leva milhares de pessoas aos centros de compras para tomar sorvete com os filhos, mas sem sacolas nas mãos. Por isso, concordo que o desafio dos shoppings é fazer o entretenimento se converter em compras.

Marcelo dos Reis Bandeira
Via Facebook


CIDADANIA

Comecei minha carreira no programa Jovem Aprendiz da Latam e foi uma experiência incrível (Bom para o presente. E para o futuro, 23 de janeiro). Aprendi muito, tive ótimos gestores e trabalhei com excelentes profissionais. Nós aprendizes devemos buscar nosso caminho, sim, mas ter a oportunidade de aprender a “pescar” é ainda melhor. Se não fosse por essa experiência, eu não seria a profissional que me tornei hoje. Ótima reportagem!

Carolina Navarro
Via LinkedIn


Comentários sobre o conteúdo editorial de EXAME, sugestões e críticas a reportagens:
redacao.exame@abril.com.br

Fax (11) 3037-2027, Caixa Postal 11079,  CEP 05422-970, São Paulo, SP