Como fazer | A Sorvetes Rochinha foi de empresa familiar a profissional

Para transformar a empresa familiar numa organização de médio porte, a Rochinha seguiu um plano de negócios de cinco anos

Em 2014, a família Lopes vivia as consequências de seu sucesso: mais de 30 anos depois de criar, de maneira quase intuitiva, a Sorvetes Rochinha, em São Sebastião, no litoral paulista, os fundadores viam um grande potencial de crescimento, mas não tinham o conhecimento para dar um passo maior. Decidiram, então, aliar-se a uma consultoria — que, dois anos depois, acabou comprando a empresa. “Na época, a única estrutura que existia era a fábrica”, diz o então consultor e atual presidente, Lupercio Moraes. “Não havia uma área administrativa e o poder da marca era muito superior à sua capacidade de distribuição de produtos.”

Para tornar a empresa familiar numa organização de médio porte, foi elaborado um plano de negócios de cinco anos, concluído em janeiro. O conjunto de ações envolveu mudanças básicas, como a renovação das embalagens dos sorvetes, e outras mais significativas, como o aumento da capacidade de produção e a expansão da presença da marca, antes restrita ao litoral paulista, para a capital e o interior. A execução do plano deu resultados: as dez lojas existentes em 2014 foram padronizadas e viraram franquias. Outras 13 foram abertas. Depois de fortalecer os negócios em São Paulo, a Rochinha deve investir na presença em outros estados.