Como a Coelce transforma lixo em energia

A Coelce investe em programas para reduzir a conta de luz de seus clientes de baixa renda e recebe reconhecimento internacional pela iniciativa

Terceira maior distribuidora de energia da Região Nordeste, a Coelce atende à população de 184 municípios do Ceará. Do total de 2,8 milhões de clientes, 57% são consumidores de baixa renda, com contas de energia mensais que não passam de 20 reais. Levando em consideração esse perfil, a companhia elegeu como prioridade em termos de sustentabilidade a criação de programas sociais em comunidades carentes.

Uma de suas iniciativas é a reforma de instalações elétricas das casas dos clientes e a substituição de lâmpadas e refrigeradores por modelos que consomem menos energia, um programa que exigiu um investimento de 5,8 milhões de reais em 2008.

Desde que iniciou a troca de geladeiras por modelos mais econômicos, há dois anos, a Coelce beneficiou mais de 20 000 famílias. “São consumidores que poderiam ficar inadimplentes e agora conseguem pagar pela energia que consomem, o que diminui a inadimplência”, diz Abel Rochinha, presidente da Coelce.

Entre as ações da empresa voltadas para comunidades de baixa renda, uma das mais inovadoras é a Ecoelce, programa que incentiva a troca de lixo reciclável por descontos na conta de luz. Por meio da coleta seletiva, o material levado pelos clientes até os locais credenciados é pesado e transformado em bônus na conta de energia elétrica.

De fevereiro de 2007, quando o Ecoelce foi lançado, a junho deste ano, a companhia concedeu 749 000 reais em créditos nas contas de energia de seus clientes como pagamento por aproximadamente 6 000 toneladas de resíduos recicláveis (papel, plástico e vidro).

O Ecoelce foi eleito em 2008 um dos dez vencedores em todo o mundo do World Business and Development Awards, entregue pela Organização das Nações Unidas às empresas que mais contribuíram para atingir os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio.

Cerca de 100 projetos de sustentabilidade de 44 países concorreram à premiação. Graças à projeção internacional, o Ecoelce começou a ser reproduzido em outras regiões do Brasil. “As concessionárias de energia elétrica da Grande Rio, da Bahia e de Pernambuco já implantaram projetos semelhantes, inspiradas em nosso exemplo”, afirma José Nunes, diretor institucional da Coelce.

No esforço para multiplicar as ações sustentáveis, a Coelce investiu 27 milhões de reais em meio ambiente em 2008, 30% acima do valor gasto no ano anterior. Parte do dinheiro foi destinada a uma pesquisa sobre o uso de óleo vegetal em transformadores elétricos, um projeto desenvolvido em parceria com a Universidade Federal do Ceará. “Queremos substituir o óleo combustível utilizado nos transformadores por óleo vegetal obtido da castanha de caju, da mamona e de outras oleaginosas ecologicamente mais amigáveis”, afirma Rochinha.