Como foi feita a pesquisa de imóveis de EXAME

Veja a metodologia do levantamento de preços de imóveis feito pela Fipe

O objetivo da pesquisa é permitir a avaliação do preço dos imóveis tipicamente ofertado no mercado imobiliário. Trata-se de uma pesquisa com grande abrangência territorial (41 cidades) e que cobriu parcela significativa da população brasileira. As cidades pesquisadas e os respectivos PIBs municipais são listados na tabela abaixo.

Metodologia

As fontes de dados utilizadas para a pesquisa de imóveis usados foram sites de classificados de imóveis de todo o país, além do Índice FipeZap de Preços de Imóveis Anunciados. Os preços anunciados foram coletados durante todo o mês de março de 2012, sendo que para algumas cidades foram utilizados dados coletados em março e setembro de 2011 para permitir o cálculo da variação em seis e doze meses.

Para cada bairro de cada município foi calculado o preço mediano anunciado do metro quadrado, sendo que anúncios repetidos e inválidos foram excluídos da amostra. As cidades foram estratificadas segundo bairros ou áreas de ponderação definidas pelo IBGE e os preços de cada cidade são calculados levando-se em conta essa divisão.

Para os imóveis novos, a fonte de dados primária foi o Anuário do Mercado Imobiliário Brasileiro 2011 da divisão de inteligência de mercado da imobiliária Lopes. Algumas incorporadoras também enviaram diretamente para a Fipe seus dados de preços para que fosse possível a verificação e confirmação externa dos dados.

Cabe ressaltar que a comparação dos preços de imóveis novos e de imóveis usados deve ser feita com cautela. Os preços dos imóveis usados refletem o estoque dos imóveis disponíveis no momento da pesquisa, enquanto o preço dos lançamentos reflete aquilo que está sendo incorporado e vendido.

Por isso, é possível que o preço de imóveis novos para determinado bairro ou cidade seja menor do que o preço dos usados, já que o perfil desses imóveis novos pode diferir significativamente do perfil do estoque de imóveis usados.

No caso específico dessa pesquisa, alguns bairros tiveram um número reduzido de lançamentos e que foram concentrados em terrenos com localização menos valorizada do que a mediana. Além disso, os preços de lançamentos foram coletados durante todo o ano de 2011, havendo portanto casos de preços registrados antes da alta medida nos imóveis usados.

Município PIB (R$ 2009)
Barueri 26.908.070
Belo Horizonte 44.595.205
Brasília 131.487.268
Cabo Frio 4.596.004
Campinas 31.654.719
Contagem 15.410.450
Cotia 5.427.421
Cuiabá 9.816.819
Curitiba 45.762.418
Florianópolis 8.287.890
Fortaleza 31.789.186
Goiânia 21.386.530
Guarujá 3.429.098
Guarulhos 32.473.827
Indaiatuba 5.156.608
João Pessoa 8.638.329
Jundiaí 16.585.137
Natal 10.369.581
Niterói 10.800.670
Osasco 31.616.451
Porto Alegre 37.787.913
Praia Grande 2.780.735
Recife 24.835.340
Ribeirão Preto 14.688.064
Rio de Janeiro 175.739.349
Salvador 32.824.229
Santo André 14.709.603
Santos 22.546.134
São Bernardo do Campo 28.935.767
São Caetano do Sul 8.920.202
São Gonçalo 9.615.568
São José do Rio Preto 7.879.048
São José dos Campos 22.018.043
São Leopoldo 3.302.153
São Luís 15.337.347
São Paulo 389.317.167
Sorocaba 14.182.597
Taboão da Serra 4.035.663
Valinhos 3.042.457
Vila Velha 6.041.447
Vitória 19.782.628