Burocracia freia venda de imóveis na região metropolitana de SP

O número de unidades lançadas na região metropolitana em 2017 foi de 7.900, queda de 19% em relação ao ano anterior.

A recuperação do mercado imobiliário ainda passa longe da região metropolitana de São Paulo. Enquanto na capital todos os indicadores melhoraram em 2017, as cidades vizinhas tiveram mais um ano de queda nas vendas. “Várias cidades no entorno da capital apresentaram problemas na liberação de projetos, o que levou muitos empreendedores a se voltarem para a capital”, diz Flavio Amary, presidente do Secovi-SP, o sindicato do mercado imobiliário.

O número de unidades lançadas na região metropolitana em 2017 foi de 7.900, queda de 19% em relação ao ano anterior. Já as vendas somaram 7.800 unidades, um recuo de 13%. Os maiores problemas estão na região do ABCD. Mudanças na lei de uso do solo levaram São Bernardo do Campo a sofrer uma queda de 71% no número de lançamentos. Em São Caetano do Sul, o problema são as restrições legais à verticalização. Os municípios em que a burocracia não atrapalhou até que foram bem. “Já vemos o começo da recuperação”, diz Dante Seferian, presidente da construtora Danpris, que atua em Osasco, a terceira da região em número de lançamentos, atrás de Guarulhos e Diadema. (J. C.)






Toque para ampliar


Este conteúdo é exclusivo para assinantes do site. Assine agora e tenha acesso ilimitado.

Conheça os planos de assinaturaOU

Já é assinante? Faça o login