Cartas & E-mails | A nova era dos serviços

Confira mensagens que chegaram à redação de EXAME sobre a edição 1191 da revista, que traz as vendas por assinatura como destaque

VENDA POR ASSINATURA

Achei excelente a reportagem de capa de EXAME sobre o crescimento do modelo de assinatura nos negócios (Tudo por assinatura,  7 de agosto). O fenômeno da troca da venda do produto pela oferta do serviço baseado no consumo atingiu em cheio o mercado de tecnologia da informação nos últimos cinco anos. Várias empresas tradicionais no mundo todo mudaram o modelo de negócios para atender à nova demanda dos clientes. Muitas outras não. Hoje temo pela sobrevivência dessas.

Sergio Basílio, São Paulo, SP


Parabéns a EXAME pela reportagem Tudo por assinatura. O Brasil precisa ver esse tema mais vezes nas publicações de negócios. Tratar o cliente como membro de um clube significa envolvê-lo com a empresa de um modo mais amplo.

Augusto Nascimento, Diretor do Grupo BBI


O mercado de tecnologia já migrou quase em definitivo de uma economia de produtos para outra de contratos de serviços mensais. Agora o formato de “assinaturas” tem se tornado a regra-padrão de mercado até mesmo para setores tradicionais. E isso é bom para todo mundo.

Cristhiano Faé, Via LinkedIn


EMPRESAS

Sobre o dado divulgado na reportagem  Um passo à frente em um ano difícil (7 de agosto), na qual a CSP — Companhia Siderúrgica do Pecém — é citada em ranking das 500 maiores empresas do Brasil, é importante contextualizar que a CSP é uma empresa jovem, com apenas três anos de operação. O prejuízo líquido apresentado em 2018 refere-se, em 90%, à variação cambial negativa da dívida da empresa em dólar (valor captado para a viabilização do projeto de implantação da siderúrgica), mas não necessariamente representa impactos financeiros, considerando que é uma dívida de longo prazo, além do fato de que, naturalmente, esse efeito financeiro negativo da variação cambial da dívida ser neutralizado pelo efeito positivo das receitas com exportações, todas em dólar. O resultado ajustado em 2018, chamado Ebitda, que exclui efeitos financeiros e depreciação e por onde a performance operacional da empresa é medida, mostra que houve em 2018 um saldo positivo de 1,2 bilhão de reais. A siderúrgica mantém permanentemente o acompanhamento do mercado, buscando melhorias de processo e gerando valor para clientes, acionistas, empregados e para as comunidades da região onde está instalada.

Nilton Cláudio da Costa, Gerente-geral de Contabilidade e Tributos da Companhia Siderúrgica do Pecém


FINANÇAS

A reportagem sobre a euforia na bolsa de valores mostra quanto os investidores estavam ansiosos pela reforma da Previdência (A euforia chegou, mas só à bolsa, 24 de julho). Mas tenho dúvidas se a Previdência é o calcanhar de aquiles do Brasil. Não creio que a reforma seja a salvação.

Paulo César Sales Lemes, Viamão, RS


TECNOLOGIA

É chocante ver que o Brasil ocupa o segundo lugar no ranking mundial de uso da internet, com mais de 9 horas diárias (Digite com moderação, 24 de julho). Infelizmente, chegamos a um ponto em que os aparelhos precisam estar equipados com sistemas para controlar a compulsão.

Luiza Miranda, Salvador, BA


Hoje é possível obter tudo que precisamos por meio dos smartphones. No entanto, o meio digital não podia deixar de trazer prejuízos. Agora lidamos com o desafio diário de nos desprender da tecnologia.

Mariana Carvalho, Salvador, BA


CORREÇÃO

O serviço Amazon Prime tem mensalidade de 12,99 dólares nos Estados Unidos. A anuidade custa 119 dólares (Tudo por assinatura, 7 de agosto).


Comentários sobre o conteúdo editorial de EXAME, sugestões e críticas a reportagens 

redacao.exame@abril.com.br

Fax (11) 3037-2027, Caixa Postal 11079,  CEP 05422-970, São Paulo, SP