WeWork pode cobrar por hora em coworking para aeroporto

Imobiliária tecnológica abrirá em dezembro unidade no Bossa Nova Mall, integrado ao aeroporto Santos Dumont

A WeWork, empresa americana de espaço compartilhados que chegou ao Brasil há dois anos, estuda novos modelos de cobrança para seu coworking dedicado ao aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro. O pagamento talvez seja feito por diária e até por hora de uso, afirmou a EXAME Lucas Mendes, diretor da WeWork no Brasil. 

O modelo de monetização seria adaptado ao movimento natural dos aeroportos, recebendo membros que gostariam de aproveitar os serviços da imobiliária tecnológica apenas por um curto período de tempo. Hoje, apenas os 460 mil membros que já possuem uma posição em edifícios da WeWork podem aproveitar os 485 espaços de trabalho compartilhado em 105 cidades de 28 países.

A unidade será inaugurada em dezembro deste ano no Bossa Nova Mall, de propriedade da Hemisfério Sul Investimentos e administrado pela Saphyr Shopping Centers, integrado ao aeroporto Santos Dumont. O espaço abrigará 550 posições de trabalho, distribuídas em quatro andares.

Histórico de coworkings

Não é a primeira vez que a WeWork aposta nos aeroportos como oportunidades para seus espaços de trabalho compartilhado. Neste mês, a imobiliária tecnológica inaugurou um espaço temporário no Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão), também no Rio de Janeiro. Em parceria com a rede Suplicy Cafés, o espaço tem 32 posições de trabalho e é de uso gratuito.

Presente no Brasil desde julho de 2017, a WeWork tem 21 mil membros e 19 unidades nas cidades de Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo.