Tem brasileira na lista: as melhores fintechs do mundo em 2018

O CB Insights divulgou seu ranking Fintech 250, com as startups financeiras mais relevantes do ano

São Paulo – 2018 foi mais um bom ano para as startups brasileiras que lidam com finanças, também conhecidas como fintechs. Os últimos doze meses foram tão satisfatórios que algumas até entraram para o rol das melhores do mundo.

A empresa de análises CB Insights divulgou o ranking Fintech 250, com as startups financeiras mais relevantes de 2018. Cerca de 4.000 negócios foram avaliados em fatores como dados financeiros submetidos, modelo de negócios, timing de mercado e algoritmos próprios do CB Insights para medir potencial de crescimento e saudabilidade das empresas. As 250 fintechs selecionadas levantaram juntas 53 bilhões de dólares em investimentos desde 2013 (cerca de 206 bilhões de reais), espalhados por 947 acordos.

30 delas são unicórnios, startups avalliadas em um bilhão de dólares ou mais. A maior rodada do ano foi protagonizada pela Ant Financial, do grupo Alibaba, que levantou 14 bilhões de dólares em um investimento série C. Ao todo, a Ant Financial captou 19,1 bilhões de dólares.

Enquanto isso, a maior aquisição do ano em fintechs foi a compra da iZettle pelo PayPal, por 2,2 bilhões de dólares. Outro dado interessante é de 44% das selecionadas não são dos Estados Unidos – o segundo lugar em presença de fintechs relevantes está com o Reino Unido, seguido pela Índia.

Brasileiras premiadas

Temos representantes brasileiras na lista: Conta Azul, Creditas, Neon, Nubank e Toro Investimentos. A fintech Brex, fundada por dois brasileiros e com sede no Vale do Silício (Estados Unidos), também marca presença na lista.

A Conta Azul nasceu em 2012, com a proposta de dar uma plataforma de gestão financeira em nuvem ao pequeno e médio negócio. Após estudar casos como o do unicórnio neozelandês Xero, a Conta Azul passou a focar nos contadoresa. A ContaAzul não divulga números exatos de usuários, mas mais de 800 mil empresas assinaram algum dia o serviço, que recebe ultimamente três mil clientes novos por mês. Ao todo, o negócio já recebeu 37 milhões de dólares em investimentos.

Veja também

Criada em 2012, a Creditas oferece crédito tomando imóveis ou veículos como garantia, em parceria com instituições financeiras Sorocred, Santana, CHP e Fapa. A fintech registrou em maio deste ano um pedido no Banco Central para se tornar uma instituição financeira. A Creditas deve liberar cerca de 340 milhões de reais neste ano, dentro do plano de tornar a companhia a maior de empréstimos com garantia na América Latina. Ao todo, o negócio já recebeu 88 milhões de dólares em aportes.

A Neon Pagamentos aparece na lista em meio a um momento tenso: sua recuperação após a quebra do banco Neon, instituição onde ficava depositado o dinheiro dos seus clientes até maio deste ano. Mesmo com a obtenção de um novo parceiro, o Banco Votorantim, a fintech perdeu clientes e demitiu uma série de funcionários. Por e-mail, a startup afirmou que superou os problemas e teve um crescimento expressivo em 2018, atingindo a marca de 1 milhão de clientes, 1,6 milhão de usuários e 190 funcionários (ante 140 no começo deste ano). Ao todo, a Neon pagamentos já recebeu 25,5 milhões de dólares em investimentos.

O Nubank afirma que já ter emitido 5 milhões de cartões de crédito, carro-chefe da marca por prometer fim de anualidades e uma operação 100% online, por exemplo. Com isso, o Nubank seria umas das cinco maiores emissoras de cartões do país e o maior desafiante de banco do mundo fora da Ásia. A fintech também tem 2,5 milhões de inscritos para ter uma conta digital, serviço lançado há cerca de um ano. O Nubank já captou 707,6 milhões de dólares em aportes.

A Toro é uma fintech criada há oito anos com foco em educação financeira, mas que se tornou neste ano uma corretora de investimento com um modelo agressivo de captação de clientes que queiram investir em ações. Se o usuário tiver prejuízo em investimentos acionários indicados pelos seus 13 analistas, a Toro não vai cobrar taxa de corretagem. Por outro lado, caso as aplicações financeiras tenham lucro, a nova instituição financeira ficará com 10% do valor. O CB Insights não possui informações de investimentos na fintech.

A Brex é uma fintech de cartões de crédito corporativos que foi de zero a 1,1 bilhão de dólares de valor estimado em menos de dois anos de vida. Seus fundadores são o paulista Henrique Dugubras e o carioca Pedro Franceschi, ambos de apenas 22 anos. Antes da Brex, a dupla já havia criado a startup de pagamentos Pagar.me, vendida para a Stone Pagamentos.

Veja, abaixo, a lista completa do Fintech 250:

Ranking Fintech 250 2018 Ranking Fintech 250 2018

Ranking Fintech 250 2018 (CB Insights/Reprodução)

Atualizado às 15h05 para incluir posicionamento da Neon Pagamentos.