SouSmile, de aparelhos invisíveis e acessíveis, recebe R$ 20 mi

SouSmile abre unidades em locais de alto movimento para conquistar quem nunca ouviu de falar de alinhadores transparentes ou os acha caros demais

A SouSmile é uma startup que atua em um setor incomum para empresas escaláveis e de tecnologia: o seu sorriso e a jornada incômoda para deixá-los perfeitos. Agora, a SouSmile conseguiu um investimento de 20 milhões de reais para expandir essa missão.

A startup captou um aporte série A liderado pelo fundo KaszeK Ventures. Criado por fundadores do Mercado Livre, o KaszeK investiu em startups como Quinto Andar, Gympass e Nubank. Acompanharam o novo investimento na SouSmile os fundos Canary (Buser, Loft, SmartMEI e Volanty) e Global Founders Capital (Facebook, LinkedIn, Slack e Trivago). O negócio já havia captado 1,5 milhão de reais entre sócios, amigos e familiares e uma rodada semente de 1,1 milhão de dólares (cerca de 4,5 milhões de reais) com os mesmos fundos Global Founders Capital e Canary.

Os novos 20 milhões de reais irão para expansão de lojas, investimento em tecnologia e contratação de novos funcionários. “Os alinhadores dentários transparentes eram superiores às alternativas, mas ainda tinham uma penetração muito baixa por conta de um preço proibitivo”, afirmou anteriormente a EXAME Michael Ruah, português e presidente da SouSmile.

SouSmile

A SouSmile começou a operar em outubro de 2018. Além de Ruah, que já foi gerente executivo de planejamento financeira na gigante BRF, a startup conta com os sócios Andrea Nazare (cirurgiã dentista), Alexandre Gama (ex-diretor de engenharia na startup Gympass), Ornella Moraes (ex-diretora de produto na marca de moda PatBo) e Natalia Lombardo (ortodentista).

O cliente agenda online um horário para realizar o escaneamento dos seus dentes e raio-x em uma das unidades físicas. A sessão demora menos de uma hora. Após ajustes finos por ortodentistas próprios das redes, o paciente recebe uma simulação do sorriso final, das movimentações necessárias, do tempo de tratamento e do preço. Se o projeto for aprovado, os moldes são produzidos e entregues ao paciente. A cada dois meses em média, o consumidor passa na unidade para pegar novos moldes e avaliar seu progresso. Os tratamentos costumam durar de três a nove meses.

Loja da SouSmile Loja da SouSmile

Loja da SouSmile (SouSmile/Divulgação)

A SouSmile tem quatro centros de atendimento nas regiões paulistanas da Mooca, do Morumbi, da Paulista e de Pinheiros e obteve mais de 5 mil agendamentos. “As lojas físicas ajudam na marca, mas principalmente na experiência do consumidor. Oferecemos escova e pasta de dentes, manteiga de cacau e música ambiente. Os detalhes são fundamentais para conseguirmos aprender com a resposta do cliente e melhorar mais rápido”, afirmou anteriormente Ruah. 

Até o final deste ano, a empresa irá abrir outros cinco centros. No futuro, expandirá para além do estado de São Paulo. A SouSmile tem um preço único de 3.850 reais, parcelado em até 12 vezes. O negócio afirma já ter instalado “centenas” de alinhadores. Na comparação entre dezembro deste ano com o do ano passado, a SouSmile espera multiplicar as vendas quinze vezes.

O mercado de aparelhos invisíveis e acessíveis

Negócios como Smilink e SouSmile têm como missão popularizar um modelo de aparelho ainda pouco usado no Brasil: alinhadores dentários transparentes. Ambas enxergaram uma oportunidade no amplo mercado consumidor nacional, especialmente no setor de estética. Para isso, essas empresas estão usando a tecnologia para cortar intermediários e investir em produção local, lojas físicas e comunicação virtual constante.

Alinhador dentário transparente da SouSmile Alinhador dentário transparente da SouSmile

Alinhador dentário transparente da SouSmile (SouSmile/Divulgação)

O maior desafio é o mesmo das outras quase 400 startups nacionais mapeadas no setor de saúde: convencer brasileiros a apostarem em novas tecnologias em um mercado apegado ao tradicional. Na SouSmile, grandes investidores já estão convencidos.