Site para democratizar terapia reúne 10 mil pacientes e cresce em empresas

Com regulamentação do Conselho Federal de Psicologia, a Vittude explora atendimento a pacientes de classe média, distantes das metrópoles ou funcionários

Consultas com psicólogos ainda são para poucos. Mas uma recente mudança no mercado poderá incentivar soluções mais acessíveis e o crescimento de startups que miram o mercado da saúde mental.

Há poucos meses, vigorou uma norma do Conselho Federal de Psicologia que ampliou o atendimento psicológico por plataformas digitais. Uma dessas soluções é a Vittude. O site de consultas online se aproxima dos 10 mil pacientes cadastrados, com três mil atendimentos feitos mensalmente.

Agora, a startup capta recursos para financiar a entrada da terapia virtual nas empresas, o que gera produtividade para os negócios — e diminui o custo de aquisição de clientes da Vittude.

Terapia para mais pessoas

Tatiana Pimenta, fundadora da Vittude, é engenheira de formação e trabalhou principalmente em gigantes do setor, como Grupo Votorantim, Camargo Corrêa e Hilti. Pimenta teve sua primeira percepção de oportunidades no mercado de psicologia em 2012, ao encontrar dificuldades ao procurar um profissional para si, em São Paulo, e para seus pais, que moram em Corumbá (Mato Grosso do Sul). No material do plano saúde, só havia o nome, o endereço e o telefone dos profissionais, sem seu histórico de carreira e especializações. Na internet, a situação não era muito melhor.

“A maioria dos bons profissionais ficam em bairros específicos das grandes capitais. Deveria ser mais fácil ter acesso a um serviço que é cada vez mais disseminado e essencial”, afirma Pimenta. O Brasil possui cerca de 150 mil psicólogos, mas 60% deles se concentram na região Sudeste. Outro obstáculo está no custo: uma consulta sai por 226,38 reais em média, de acordo com o Conselho Federal de Psicologia.

A Vittude começou a operar como um blog no meio de 2016, após falar com centenas de potenciais usuários nas portas de hospitais e em seções de autoajuda de livrarias e construir um mínimo produto viável em cinco semanas. Depois do blog, inaugurou um buscador estabelecimentos físicos de psicólogos. O investimento inicial foi de 56 mil reais.

Em setembro do mesmo, obteve a autorização do Conselho Federal de Psicologia para operar consultas online. Hoje, 80% dos atendimentos são feitos virtualmente.

Como monetização, a Vittude cobra planos trimestrais dos psicólogos e um percentual sobre cada consulta. No plano mais barato, de 179 reais o trimestre, a taxa é de 15%. O mais assinado é o de 359 reais, com taxa de 5% sobre cada consulta.

Os atendimentos psicológicos online possuem alguns poréns: não são recomendadas a crianças e adolescentes, cujos atendimentos costumam ter exercícios lúdicos e sensoriais, e nem para quadros graves de saúde mental.

A Vittude atende três perfis comuns de pacientes: o brasileiro que vive no exterior; o brasileiro que mora em pequenas cidades do interior, com pouca oferta de psicólogos; e o brasileiro que mora em grandes cidades e não quer perder tempo e dinheiro com deslocamento.

O principal canal de indicação são amigos que testaram a plataforma, que possui um Net Promoter Score (NPS) de 89/100. As categorias mais procurados são ansiedade, relacionamento amoroso, depressão e estresse.

Os consumidores mais comuns (37,5%) possuem renda mensal de mil a três mil reais, seguidos pelos que apresentam ganhos de três a cinco mil reais por mês (23,4%). Sete a cada atendimentos estão na faixa de 50 a 90 reais por sessão.

“As pessoas fazem ao menos uma sessão por semana e não podem gastar mais do que 10% do seu salário com isso. É necessário termos preços mais acessíveis do que os vistos no consultório, e profissionais em cidades menores ou que atendem em horários que ficaram sem agendamentos podem oferecer isso”, afirma Pimenta.

As startups de saúde digital receberam sete bilhões de investimentos globalmente, de acordo com a empresa de análises CB Insights. As principais concorrentes internacionais da Vittude são KRY (sediada na Suécia, com 79,1 milhões de euros em investimentos); Babylon Health (Reino Unido, 85,3 milhões de dólares); Lyra Health (Estados Unidos, 83,1 milhões de dólares); Talkspace (Estados Unidos, 56,7 milhões de dólares); AbleTo (Estados Unidos, 46,6 milhões de dólares); e Ieso Digital Health (Reino Unido, 18,7 milhões de euros). O estudo Healthtec Mining Report – Primeiro Semestre 2018 mapeou mais de 1.000 startups brasileiras, das quais 288 empresas foram colocadas no setor de saúde, incluindo a Vittude.

Expansão

A nova decisão do Conselho Federal de Psicologia ajudou a tornar a terapia online mais conhecida — por consequência, a Vittude. Na regulamentação anterior do CFP, criada em 2012, só era possível realizar no máximo 20 consultas e em “caráter experimental”.

“Com a novidade, os psicólogos se abriram mais. Eles tinham medo de ter seu registro cassado. Nossa plataforma é uma solução especializada para manter o sigilo da consulta, uma obrigação da profissão”, afirma Pimenta. A consulta online possui seus dados criptografados e gravados de maneira anonimizada, de acordo com o protocolo americano de privacidade na saúde HIIPA.

A Vittude realiza três mil atendimentos por mês, com 2.850 psicólogos e 9.116 pacientes na plataforma. O negócio se expande, em média, de 20 a 30% por mês. Antes da mudança proferida pelo CFP, crescia 10% no mesmo período.

Em 2019, a plataforma de psicologia online espera atingir 50 mil atendimentos e crescer sete vezes em relação ao ano anterior, impulsionada pelo relacionamento com empresas. A Vittude já atende quatro corporações, que dão o consultório online como um benefício aos empregados. Até o final do ano, espera ter 20 clientes do tipo.

A corporação banca parte das consultas — geralmente, 50%. A maior empresa atendida hoje pela Vittude é a Resultados Digitais, com cerca de 700 funcionários. “Primeiro houve uma onda de empresas oferecerem saúde física. Agora, vemos o mesmo com saúde mental. As corporações sabem que a atitude traz dinheiro: cada dólar gasto com saúde mental gera quatro dólares em produtividade”, afirma Pimenta. Caso a telemedicina siga o exemplo das terapias online e seja regulamentada, a Vittude estuda inserir psiquiatras em sua plataforma nos próximos anos.

Para financiar essa expansão, a Vittude espera captar um investimento de série A. O negócio passou por acelerações da Startup Farm e da Artemisia/Facebook e recebeu uma bolsa de 17 mil dólares do Google. Também já ganhou 30 mil dólares por ser finalista do Cartier Women’s Initiative Awards, prêmio que reúne empreendedoras e dá mentorias e contato com investidoras. Agora, a startup concorre ao prêmio de 100 mil dólares. Saúde mental é cada vez mais uma necessidade dos pacientes — e uma oportunidade para seus investidores.