App de descontos criado por ex-VP do Facebook capta novo aporte

Comércio eletrônico social Facily junta amigos para aproveitar descontos de até 80% por compras coletivas

O comércio eletrônico social Facily foi criado há apenas seis meses, mas atraiu investidores de peso. Depois de obter um investimento do fundo de investimento semente Canary, a startup anuncia agora uma captação com o fundo de investimento Monashees.

A startup, que pretende conectar usuários aos melhores preços de produtos que vão de acessórios de celular a frutas, já alcançou 100 mil pedidos mediados. Depois do novo aporte, tem projeções ambiciosas: transformar seus atuais 500 mil downloads atuais em 1 milhão até o final deste ano e em 100 milhões até o final de 2020.

Do Facebook ao negócio próprio

Criada em abril deste ano, o Facily é um comércio eletrônico social para juntar amigos e aproveitar descontos de até 80% por compras coletivas, jogos ou uso de moedas acumuladas na plataforma.

A maior inspiração para o empreendimento foi o chinês WeChat. Criado pela gigante de tecnologia Tencent, o mensageiro também serve como rede social, meio de pagamento, plataforma de jogos e até para agendar consultas médicas. Outra inspiração foi o crescimento da plataforma de compras coletivas Peixe Urbano, que mostrou como as pessoas gostam de comprar em grupo. Mas o Peixe Urbano é mais anônimo e focado em serviços do que a Facily, que aposta na compra coletiva de produtos para ganhar escalabilidade. 

Diego Dzodan, ex-vice presidente do Facebook no Brasil, saiu da gigante de tecnologia em outubro de 2018, já com a ideia de negócio em mente. Inaugurou em abril deste ano a Facily junto dos executivos Luciano Freitas (ex-Airbnb e Uber) e Vitor Zaninotto (ex-SAP).

Como funciona a Facily?

Na Facily, o WeChat se transformou em WhatsApp como principal aplicativo de mensageria para compartilhar ofertas na modalidade “Compre Junto”. Facebook e Instagram também são usados. É preciso ter um número mínimo de pessoas comprando junto para aproveitar as promoções, variável dependendo da oferta — pode ser trazer apenas mais um usuário, ou mais seis deles. 

Os descontos vão até 80% do valor original, com uma média de 60 a 70%. Os preços menores são obtidos a partir da negociação com fornecedores, que diminuem sua margem diante das compras em lotes de usuários. “Se você conecta produtos diretamente ao consumidor final, evitando os intermediários, os custos se reduzem muito”, diz Dzodan. Os itens são entregues a partir de centros de distribuição próprios e parceiros em São Paulo, Belo Horizonte e Rio de Janeiro.

Além da compra social, a Facily acrescentou outras funções ao seu superaplicativo. Na modalidade “Jogue Junto”, usuários trazem amigos e cada um paga um real para concorrer a super ofertas, como uma televisão de 60 polegadas da marca LG por um real. Quantos mais amigos, maiores as chances. Caso não ganhem, o dinheiro pago para jogar é reembolsado.

Outra modalidade é a “Moedas de Ouro”. Elas são recebidas ao trazer amigos para a plataforma, jogar ou fazer compras. Elas são usadas para realizar novas ações na Facily, em uma espécie de cashback de uso interno.

Tela do aplicativo da Facily Tela do aplicativo da Facily: marketplace apresenta desconto médio em produtos entre 60 a 70%

Tela do aplicativo da Facily: marketplace apresenta desconto médio em produtos entre 60 a 70% (Facily/Divulgação)

As duas principais categorias vendidas na Facily são a de acessórios para celular e a de frutas e verduras. Os usuários realizam, em média, três compras semanais. O tíquete médio vai de 12 a 15 reais. 

Segundo Dzodan, o foco da Facily é obter um bom volume de compradores e vendedores. Esse equilíbrio, conhecido como liquidez, é fundamental para todo marketplace. Não há cobrança de comissões nem dos vendedores nem dos compradores, e sim taxas adicionais para os estabelecimentos aparecerem em posição prioritária nas buscas. 

Novo investimento e planos de expansão

O negócio obteve em abril deste ano um aporte semente do fundo de investimentos Canary. O novo investimento é uma continuação do seed e também não teve seu valor revelado. O aporte foi liderado pelo fundo Monashees (investidor de comércios eletrônicos como Elo7, Enjoei, Get Ninjas e MadeiraMadeira) e completado por outros três fundos. 

O aporte servirá para sustentar as taxas de crescimento atuais da Facily. O número de pedidos cresce entre 20 e 50% semanalmente, enquanto o número de vendedores ativos (que recebem pedidos) cresce entre 50 a 150% também a cada sete dias.

Os recursos irão melhorar as recomendações de produtos interessantes a cada usuário, por aprendizado de máquina (machine learning); ampliar os centros de distribuição e parcerias logísticas; e desenvolver a captação de usuários para além dos grandes centros brasileiros.

A Facily tem 500 mil downloads hoje. A projeção é chegar a 1 milhão deles até o final deste ano. Em 2020, a meta é alcançar 100 milhões de downloads.

A experiência em gigantes de tecnologia ensinou os executivos a não pensarem pequeno — e a colocarem crescimento à frente dos lucros, pelo menos por enquanto.