Quer abrir uma franquia? Siga estes 5 passos para fugir de furadas

Independente do segmento e franqueadora de escolha, algumas atitudes são essenciais para entrar em um bom negócio. Conheça algumas delas

Abrir uma franquia é a opção de muitos empreendedores de primeira viagem. O crescimento do setor nos últimos anos, com 7,1% de expansão e receita de quase 175 bilhões de reais apenas em 2018, reforçou a ideia de pagar taxas de franquia e royalties em troca do poder de marca e de experiência.

Mesmo os empreendimentos mais sólidos possuem um grau de incerteza e, portanto, risco de cair em furadas e enfrentar falências.

No caso das redes de franquia, os cuidados estão em escolher a franqueadora certa. Uma boa rede lhe indicará o melhor ponto comercial e a melhor estratégia de negócio para seu segmento — pontos que o dono de uma empresa própria teria se descobrir sozinho.

Quer abrir uma franquia? Siga estes cinco passos para escolher a franqueadora certa e fugir de furadas:

1 — Analise sua capacidade financeira

Antes de procurar a melhor franqueadora, olhe para sua própria capacidade de investir dinheiro e tempo em um negócio.

Segundo Lyana Bittencourt, da consultoria empresarial em franchising Grupo Bittencourt, um futuro franqueado deve calcular os recursos não apenas para o investimento total na franquia. Também deve reservar dinheiro para seu capital de giro, o valor que compensa o tempo que entre contas a pagar e pagamentos a receber, e para uma renda mínima ao empreendedor enquanto a unidade não gerar tais lucros.

Outro ponto a se pensar é se a projeção financeira da franquia atende suas expectativas de ganho — ou se seria melhor aplicar o valor gasto na franquia em aplicações financeiras ou imóveis, por exemplo. “Fazer essa análise minimiza as chances de frustrações futuras”, diz Bittencourt.

2 — Não sabe se está no segmento certo? Peça um “test drive”

Você pode ter elencando alguns segmentos que você se identifica, como Alimentação ou Entretenimento. Mas como ter certeza de que você se daria bem na rotina de uma franquia do tipo? Algumas franqueadoras oferecem a possibilidade de realizar um “test drive”, vivenciando a operação antes da assinatura do contrato. É uma boa chance de verificar se aquele segmento lhe agrada não apenas no visual e nos números, mas no trabalho.

Veja também

3 — Converse não só com a franqueadora, mas com franqueados

Uma boa forma de comprovar se a franqueadora é confiável e provê dados financeiros reais é conversar com quem negocia ou já negociou com ela. Invista tempo em buscar franqueados e ex-franqueados da marca e tire todas as suas dúvidas sobre operação e números.

“Eles são o melhor meio de obter informações sobre a franquia escolhida, sobre o suporte fornecido pela franqueadora e sobre a rentabilidade do negócio”, afirma Bittencourt.

4 — Não saia com dúvidas antes de assinar contrato

Não se acanhe em tirar as dúvidas mais simples: a franqueadora deve estar disposta a esclarecer todas as questões de um potencial franqueado antes de assinar o contrato.

Entenda a fundo os detalhes da operação; qual tipo de suporte a rede irá lhe fornecer; quanto e que tipo de taxas serão cobradas; e dados como taxa de lucratividade e prazo de retorno do investimento. Mais uma vez, confirme as declarações da franqueadora com os franqueados e ex-franqueados.

“A falta de suporte da franqueadora, por exemplo, é uma das principais reclamações dos investidores. Eles se sentem isolados e com a sensação de que foram enganados”, afirma Gustavo de Freitas, especialista em franquias e diretor da rede Mercadão dos Óculos. Só dê o aperto de mão quando você tiver certeza de que está entrando no negócio certo para você.

5 — Procure reputação, e não modas

Tenha cuidado com negócios que aparecem demais e não apresentam dados financeiros e histórico para acompanhar todo o visual. Uma boa fonte de informação é buscar marcar associadas ao Selo de Excelência em Franchising, dado pela Associação Brasileira de Franchising (ABF) a partir de consultas com os próprios franqueados das redes.

“Essa franquia ainda será um bom negócio daqui a dois anos ou é só uma onda do momento? Procure por segmentos que há anos apresentam rentabilidade ou que oferecem uma solução atemporal”, recomenda Freitas.