Por dentro do escritório novo do QuintoAndar em São Paulo

Startup de locação de imóveis se mudou para a Vila Madalena, em São Paulo, para acomodar seus mil funcionários em um único endereço

A startup brasileira QuintoAndar, que intermedeia o aluguel de imóveis em 30 cidades no Brasil, está de casa nova. A empresa, fundada em Campinas em 2013 por Gabriel Braga e André Penha, inaugurou na última segunda-feira, 16, sua nova sede na Vila Madalena, em São Paulo.

A sede antiga, em um prédio da WeWork na avenida Paulista, já não comportava todos os empregados da companhia, que passou de 350 funcionários em janeiro para 1.080 em dezembro de 2019. O crescimento rápido foi intensificado pela captação de 250 milhões de dólares em uma rodada de investimentos, liderada pelo conglomerado japonês SoftBank em setembro, que precificou a companhia em 1,3 bilhão de dólares.

Antes de ocupar o prédio 555 da Rua Girassol, os mais de mil funcionários da startup estavam divididos em três prédios na avenida Paulista e no escritório de tecnologia de Campinas. O maior benefício da mudança para o chamado Campus QuintoAndar é permitir essa integração das equipes que ficam alocadas na cidade de São Paulo.

André Penha, fundador e diretor de tecnologia da empresa, está animado com a possibilidade de concentrar os funcionários em um mesmo endereço. Até agora, as equipes de tecnologia, produtos, design e ciência de dados que ele comanda estavam fisicamente divididas, o que o obrigava a se deslocar constantemente e tornava a comunicação mais impessoal.

“Gosto de quando a gente senta pertinho um do outro, aí as conversas fluem, os times diferentes conversam entre si. Essa integração faz com que a resolução dos problemas aconteça mais depressa e de maneira mais interdisciplinar”, diz o fundador.

Penha ressalta que a ideia da mudança é trazer conforto para os funcionários, com espaços de convivência agradáveis ao ar livre. “Temos ambientes super interessantes, mas não é nada luxuoso e não tem brinquedo, mesa de ping pong, nada disso”, comenta.

O campus QuintoAndar

O espaço ocupado pelo QuintoAndar na Vila Madalena é exclusivo da empresa, mas administrado pela companhia de aluguéis de espaços corporativos WeWork, que customizou o espaço para a startup. O projeto do edifício é do premiado arquiteto Isay Weinfeld. Os andares têm pé direito duplo, janelas que vão até o chão e varandas circundando as estações de trabalho.

São três prédios no número 555 da rua Girassol, um azul, um rosa e um verde. Os dois primeiros já estão funcionando e acomodam os mil funcionários da empresa. Em fevereiro, a unidade esverdeada será liberada para poder alocar mais 600 pessoas da startup.

Os funcionários estão animados principalmente com o maior número de salas de reunião e com as novas salas de atendimento, pensadas para ter uma acústica melhor para os funcionários que passam boa parte do dia falando no telefone. “Dois andares do prédio azul foram preparados para as equipes de atendimento, com pé direito mais baixo, para garantir uma acústica melhor para quem está no telefone seis horas por dia e também para o cliente que está do outro lado da linha”, diz Penha.

Para evitar que cada equipe fique isolada em seu prédio do campus, a empresa centralizou o espaço de comida e confraternização no piso térreo do edifício rosa. Lá há dezenas de mesas, cadeiras, sofás, microondas e geladeiras que os funcionários podem utilizar. Além disso, a sala foi projetada com um palco, para que os fundadores possam conduzir reuniões gerais com a empresa toda. Às sextas-feiras, no final da tarde, acontecem happy hours com chopp à vontade das 17h30 às 20h30.

Pensando ainda no conforto, o QuintoAndar vai oferecer vans das estações de metrô Vila Madalena e Fradique Coutinho nos horários de pico de entrada e saída dos funcionários. “Foi importante para a gente encontrar um lugar acessível de transporte público, as estações estão há 10 minutos de caminhada do escritório, as vans entram para complementar, especialmente em dias difíceis de chuva”, explica Penha.

Nova casa, novos desafios

No primeiro semestre de 2020, com o espaço novo funcionando, os fundadores querem focar em dois novos desafios: a consolidação do modelo de compra e venda de imóveis e o desenvolvimento de tecnologia para que a operação ganhe escala.

O QuintoAndar tem mais de dois mil pedidos por mês de clientes que precisam de ajuda para comprar e vender um imóvel. No começo do ano que vem, as equipes estarão focadas no desafio de desburocratizar essa etapa da vida das pessoas. “Estamos investindo forte em tecnologia. O serviço entra no ar em janeiro e vai evoluir semana a semana”, diz Penha.

A segunda prioridade, relacionada à escala da operação, é pensada para que a tecnologia permita que a empresa cresça sem a necessidade de novas contratações. O objetivo do time de engenharia de software da empresa é desenvolver mecanismos para automatizar e tornar mais eficiente o atendimento ao cliente.

“Nós temos muitas informações dos clientes, então temos que encontrar formas de antecipar e resolver rapidamente os problemas de quem usa nossa plataforma”, diz o fundador. A equipe liderada por Penha trabalha a todo vapor para desenvolver uma ferramenta capaz de olhar os dados, entendê-los, moldar o atendimento, entender se a estratégia utilizada foi bem sucedida e se modificar sozinha mês a mês.

Com esses mecanismos de aprendizado de máquina, o QuintoAndar quer responder mais rapidamente ao crescimento da própria empresa. Para isso, é necessário trazer mais profissionais experientes em desenvolvimento de software e gestão de times de engenharia. A expectativa é ampliar o time de desenvolvedores de 300 para cerca de 400 pessoas. Hoje, a companhia tem 150 vagas abertas.

No final de 2020, a meta dos fundadores é estar com o segmento de vendas consolidado e ter três vezes mais volume de negócio do que no final de 2019. Com isso posto, a companhia planeja dar seus primeiros passos rumo à internacionalização da operação, em local que ainda está sendo estudado.

Nos próximos anos, o objetivo do QuintoAndar é chegar a 1 milhão de imóveis alugados. Hoje a empresa fecha 5.000 contratos por mês e projeta fechar o ano com mais de 2 milhões de visitas agendadas.