Os principais erros na hora de escalar sua startup

Especialista Camila Farani afirma que a escalabilidade precoce de uma startup pode prejudicar a empresa

Quais os principais erros na hora de escalar?

Respondido por Camila Farani, especialista em startups

Temos notado uma crescente onda de surgimento de startups no mundo. Uma série de grandes negócios que começaram como pequenos vêm inspirando e atraindo investidores com as mais variadas experiências, dinamizando e contribuindo para um aquecimento financeiro a respeito do ecossistema de startups.

Por um lado, o aporte de capital, que antes era mais difícil de ser alcançado, hoje vem aumentando, pois oferece ao investidor a possibilidade de diversificar seu portfólio de investimentos. Por outro lado, o empreendedor notando uma ilusória facilidade em atraí-lo tende a acreditar que sua escalabilidade encontra-se em obter mais dinheiro.

Aí está o engano. Segundo uma pesquisa da Forbes, cerca de 70% das startups não vão pra frente por conta de uma escala prematura. Aliás, a escalabilidade precoce também é causadora da morte de inúmeros novos projetos no mundo dos negócios como um todo.

Nessa linha, um erro bastante comum é a não atenção ao fluxo de caixa. As saídas e entradas de dinheiro do caixa da empresa devem ser analisadas com total cuidado, obedecendo a prioridades e necessidades do negócio. Contratação de pessoal, gastos excessivos com marketing e novas estruturas de escritório são alguns dos gastos mais comuns que o empreendedor realiza antes de buscar o produto/mercado ideal. Não se trata de fazer as atitudes certas, mas sim de fazê-las na ordem certa.

É sobre essa incessante busca que recai o erro número um do empreendedor na hora de escalar. Aprender bastante com o mercado e direcionar o produto para atender uma necessidade real, mesmo com as limitações do produto mínimo viável de uma startup, deve ser o foco na cabeça do gestor do negócio, pois é ele quem vai nortear seu crescimento.