O que é boostrapping?

Saiba mais sobre a arte de se atirar em um negócio sem o apoio de recursos externos

O que é boostrapping?
Respondido por Yuri Gitahy, especialista em startup

O termo é difícil de traduzir, mas é fácil de entender e muito importante para empreendedores de startups. Bootstrap significa criar sua startup usando somente recursos próprios, apertando os cintos do time e não recorrendo a investidores externos. Se há alguma entrada de capital, ela vem dos primeiros clientes.

A tradução literal de “bootstrap” é alça de bota – aquele pedaço de couro ou tecido que fica atrás da bota e acima do calcanhar, facilitando puxá-la com as mãos na hora de calçar. O termo “levantar a si próprio pelas alças da bota” era usado desde o século XIX para ilustrar tarefas impossíveis, como pular uma cerca alta puxando suas próprias botas com as mãos. A metáfora de fazer o boostrapping da sua startup indica justamente esse processo auto-sustentável de alavancar a si próprio.

Cuidado para não confundir bootstrapping com “fazer um bico”, ou gerar um pequeno produto que pague as contas enquanto se materializa a proposição de valor da sua startup. Bootstrappers costumam ser empreendedores com capacidade muito acima da média, e raramente são iniciantes. Empresas que você conhece e respeita – como Microsoft e Dell, além de muitas outras com produtos mais tradicionais – foram criadas por bootstrapping, com um grande esforço do empreendedor e seu time inicial. Esses “bootstrappers” costumam ter um foco muito claro no cliente desde o primeiro momento, especulando menos e validando todas suas suposições – além de terem uma intuição muito forte sobre o caminho certo a seguir. Bootstrappers são quase sempre outliers, pontos fora da curva.

Empreender não é para qualquer um. Bootstrapping, muito menos. Demora-se no mínimo o dobro do tempo para se lançar uma startup dessa forma. Também pode não ser benéfico: em mercados muito dinâmicos, não vale a pena aguardar demais e deve-se buscar capital de risco para ser um first-mover; em outros casos, o empreendedor pode não ter condições financeiras de se auto-alavancar. Mesmo assim, bootstrapping deve ser sempre a primeira tentativa do empreendedor, pois ele não precisará dar um percentual considerável da startup para terceiros.

Para saber mais sobre o tema, leia o “Bootstrapper’s Bible” de Seth Godin: o livro é gratuito e está disponível na web.

O que é uma startup?

 

Yuri Gitahy é investidor-anjo, conselheiro de empresas de tecnologia e fundador da Aceleradora, que apoia startups com gestão e capital semente

Envie suas dúvidas sobre startups para examecanalpme@abril.com.br.