“Netflix” dos seguros, startup recebe US$ 60 milhões em investimentos

A startup oferece produtos em parceria com cerca de 20 seguradoras e, desde sua criação, vendeu 480 mil apólices

A Minuto Seguros, corretora de seguro online, já recebeu 60 milhões de dólares em aportes. O valor foi investido ao longo dos últimos cinco anos, principalmente pelos fundos Redpoint eventures, sediada em São Paulo, e a Intact Ventures, com sede em Toronto, no Canadá.

Em troca de uma participação de 45% na startup, os aportes foram usados, em grande parte, na aquisição de clientes e em mídia digital. Ela também investiu em tecnologia e na automatização de certos processos, para melhorar a experiência do cliente e criar mecanismos antifraude, diz Marcelo Blay, fundador e presidente da Minuto.

História de negócio

Antes de criar a Minuto, há oito anos, Blay trabalhou no setor de seguros por 28 anos, em empresas como Porto Seguro e a Itaú Seguros. A startup oferece produtos em parceria com cerca de 20 seguradoras e, desde sua criação, vendeu 480 mil apólices. “As seguradoras normalmente tentam vender os produtos que têm na prateleira. Para ganhar mercado, precisamos entender a necessidade do cliente e adaptar nosso produto”, diz o presidente. 

O maior obstáculo é convencer os clientes da importância de um seguro e alcançar clientes que nunca contrataram um produto do tipo antes.

“Dos quase 50 milhões de carros no país, apenas 18 milhões são cobertos por algum seguro. A quantidade de seguro residência é muito menor e de vida, nem se fala”, afirma Blay. Por isso, é essencial oferecer o produto certo, para que o consumidor não pague mais do que o necessário e esteja protegido.

Com o investimento em tecnologia e uso de banco de dados, consegue recomendar os melhores seguros para cada usuário com base no que outros usuários com o mesmo perfil preferem, assim como as recomendações da Amazon ou Netflix.

Nova injeção de capital

Após o aporte, a startup tem grandes planos. Embora esse valor tenha sido aportado em um longo período de tempo, o empreendedor conta que a startup recebeu um aporte relevante nos últimos meses, que dará força para sua expansão.

Se hoje ela tem uma carteira de 120 mil veículos segurados, planeja chegar a 350 mil em dois anos. Também busca ampliar as fontes de receita, aumentando o número de outros tipos de seguro em sua carteira.

Além de conquistar clientes, um dos desafios da startup é atrair talentos, diz Blay. “Competimos com grandes empresas e startups mais famosas”, afirma. A startup tem 450 funcionários e projeta fechar o ano com 650.