Negócio próprio pode dar mais lucro, mas é preciso boa estratégia

No comércio de bairro, empreendimentos têm gestão independente e contam com clientes fiéis

Rio de Janeiro — Com a experiência de um comércio familiar de 33 anos no Leblon, na Zona Sul do Rio, Marcelo Vaz, de 49 anos, decidiu abrir seu próprio empreendimento há dois meses no bairro lado, o Jardim Botânico: lá criou um bazar elétrico e hidráulico com os mais diversos artigos para casa. A ideia surgiu após perceber uma carência na região.

“Vi não que não tinha nada parecido nesse segmento. Fiz pesquisa com moradores e decidi investir”, conta Vaz.

A vantagem em relação a uma franquia, segundo ele, é o valor reduzido — seu investimento inicial foi de R$ 150 mil — e a desobrigação de pagar taxas ou seguir normas de uma matriz. A aposta tem dado certo. De dezembro de 2019 a janeiro deste ano, o faturamento cresceu 25%. A pesquisa de mercado e a experiência prévia foram fundamentais.

“É muito importante nesse tipo de negócio conhecer bem o bairro, a população e seu potencial de compra. além de ver se é possível oferecer algo diferente da concorrência”, afirma Denise Schalom, coordenadora do escritório regional do Sebrae.

Veja também

Vaz atribui o sucesso a estratégias de marketing que agradam aos clientes.

“No Natal, fiz promoções. Por exemplo, quem comprava até R$ 50 ganhava 10% de desconto. O percentual chegava a 20%, se o valor fosse maior. Além disso, coloco os preços baixos para atrair a clientela. Prefiro vender mais e ganhar na quantidade a manter uma margem de lucro alta e ter pouca saída”, revela.

Desenvolver a estratégia de negócios é uma das maiores vantagens de ter sua própria loja. Mas isso só é útil para quem já tem conhecimento.

“É preciso estar preparado para fazer a gestão do negócio. Se não estiver, pode ser muito arriscado não estar com o suporte de uma grande rede”, alerta André Diz, professor de economia do Ibmec.

Presença

O grande diferencial que uma loja local pode oferecer é o relacionamento com o cliente. Para Denise Schalom, coordenadora do Sebrae, é fundamental a presença do próprio empreendedor no local para atender:

“Relacionamento é tudo. O cliente sempre busca algo mais humanizado, e isso só é possível com o próprio dono estando no dia a dia, convivendo com as pessoas e vendo o que elas necessitam. E isso é essencial para fidelizar o consumidor.”

A aposentada Sonia Regina Braz, de 64 anos, cliente de Marcelo, concorda e elogia. Para ela, é cômodo ter uma loja que “tem tudo” perto de casa, porque não precisa recorrer ao carro para achar os produtos de que necessita.

“Meu dia é muito corrido porque cuido dos meus netos. São muitos compromissos: escola, aula de natação… Então, é ótimo ter disponível um bazar onde posso ir andando”, comemora.

Sonia ainda acrescenta que o diferencial é a atenção dada a cada cliente:

“O Marcelo recomenda eletricistas, bombeiros e marceneiros de confiança, o que facilita muito. Não preciso ter o trabalho de procurar um prestador de serviço.”

Diferenças de administração

Para ficar atento

  • Montar um modelo de negócios – Em uma franquia já há um modelo de negócios preestabelecido, uma rede de fornecedores e uma marca já consolidada. Antes de montar o negócio local é preciso fazer uma pesquisa de mercado e ver o que tem demanda e como atendê-la. Como não se tem suporte, é preciso conhecer bem o ramo do negócio que pretende seguir.
  • Divulgar bem – Abrindo uma loja própria é preciso fazer também seu próprio marketing. Conhecer bem o público alvo é importante para ver a melhor forma de divulgação, como pela internet, panfletos e lojas parceiras.
  • Invista em um bom ponto de venda – O grande diferencial de um negócio local é a comodidade. Estar em um local de fácil acesso no bairro e de grande movimento é crucial para atrair e manter a clientela

Use a seu favor

  • Flexibilidade nos produtos – Em uma franquia é preciso seguir um padrão de produto que nem sempre é o que melhor atende ao público de uma região. Com a loja própria, o empreendedor que captar gostos específicos de uma localidade e ofertá-los pode sair em vantagem.
  • Relacionamento com o cliente – Uma loja de bairro pode oferecer um atendimento mais personalizado e com mais comodidade para o cliente, como entrega em domicílio, que agrega um grande valor. É importante estar presente no negócio e ficar atento às necessidades dos consumidores, o que torna a relação mais humana.
  • Fidelização – O cliente que chegar à loja deve ser conquistado e fidelizado. Uma estratégia pode ser dar vantagens em compras recorrentes ou avisar ao cliente diretamente de ofertas e serviços.