Não queira ser o Facebook, dizem criadores do The Next Web

Para os fundadores do evento de internet e tendências tecnológicas, querer resolver grandes problemas pode atrapalhar o desenvolvimento das startups

São Paulo – A internet é o local ideal para que empreendedores possam pesquisar, criar e testar suas ideias. Patrick de Laive e Boris Veldhuijzen van Zanten, empreendedores e cofundadores do The Next Web, evento de internet e tendências tecnológicas criado em 2006, na Holanda, contam que para uma startup ter sucesso não é recomendável ter como principal ambição ser o próximo Facebook.

Zanten afirma que grandes empresas como o Google ou Twitter começaram pequenas e se tornaram escaláveis depois. Ele recomenda que donos de startups foquem nos consumidores do seu negócio e não só nos resultados – e status – que pretende alcançar.

O The Next Web acontecerá pela primeira vez fora da Europa, na semana que vem, em São Paulo. Há um ano, Anderson Criativo e Leandro Palmieri, co-fundadores da  MobMob, entraram em contato com Laive interessados em trazer o evento para o Brasil. Após muita conversa, eles resolveram realizar o The Next Web no país.

Em entrevista a EXAME.com, Laive e Zanten contam que o mais interessante de trabalhar com internet é que ela muda constantemente. Confira abaixo quatro recomendações para empreendedores brasileiros.

1. Ter foco é o mais importante

O Facebook é uma grande empresa hoje, mas talvez Mark Zuckerberg não tivesse a ambição de ser uma das redes sociais mais populares do mundo. Por isso, Zanten explica que é importante que empreendedores, primeiramente, coloquem suas ideias em prática e fiquem atentos às oportunidades. “Algumas pessoas dizem que empreendedores deveriam resolver grandes problemas e serem mais ambiciosos, eu acho que é aceitável começar com pequenas coisas e ver se elas funcionam primeiro”, afirma.

Geralmente, os empreendedores no comando de startups só se preocupam com tecnologias e quantidade de usuários. Para Laive, na hora de crescer, é preciso aprender a pensar como grande empresa. Contratar um bom time e lidar com aspectos financeiros e jurídicos se tornam tão importantes quanto conquistar milhões de usuários. “Para ser o próximo Facebook, é preciso passar por várias etapas”, diz.


2. Não se acomode

A internet está sempre em transição e o que pode ser tendência hoje vira uma coisa ultrapassada em poucos anos. “Todo dia na internet pode ser um dia diferente. Por isso, você tem que permanecer jovem na mente também”, afirma Laive.

Estar atento às oportunidades e construir soluções que consumidores achem legais e sejam fáceis de usar são desafios. É preciso encontrar uma maneira de não se acomodar. Para Zanten, as Olimpíadas e a Copa do Mundo, que acontecerão no Brasil, são boas oportunidades de negócio para empreendedores brasileiros.

3. O Vale do Silício não é o único lugar para empreendedores

O sonho de muitos empreendedores é chamar a atenção de investidores ou grandes empresas localizadas em São Francisco, nos Estados Unidos. “Há tantos empreendedores lá no Vale do Silício que é mais difícil chamar a atenção. Acho que as oportunidades aqui são enormes”, afirma Zanten.

Além disso, conquistar o mercado consumidor norte-americano não é tarefa fácil. “Acredito que há empresas brasileiras como Mercado Livre, Peixe Urbano e Boo Box que podem levar suas tecnologias para o mundo”, diz Laive. Para ele, é importante ter contatos no Vale, mas a empresa não precisa necessariamente estar lá para ter sucesso.

4. Aproveite a internet ao máximo

Encontrar as pessoas online é muito mais fácil do que marcar um encontro pessoalmente. Para Laive, essa é uma das vantagens de se trabalhar com internet.

Para quem tem interesse em aprender mais sobre determinado assunto, a internet é o meio ideal para obter conteúdo.  “Pessoas que saibam criar aplicativos e sites estão em falta. Se você é jovem, leia sobre isso, o mais legal é que todas informações estão disponíveis online e de graça”, diz.