Investimento-anjo cresce 25%, diz pesquisa

Uma pesquisa da Anjos do Brasil mostrou que o número de investidores-anjo brasileiros cresceu 2,3%

São Paulo – Entre junho de 2012 a julho de 2013, o investimento-anjo, destinado a startups, cresceu 25% no Brasil. O dado foi apresentado hoje pela Anjos do Brasil, organização sem fins lucrativos de fomento ao investimento-anjo, durante a segunda Conferência Nacional da instituição.

Em volume, os investidores aplicaram 619 milhões de reais no período, contra 495 milhões de reais entre 2011 e 2012.

Em relação ao número de investidores, o crescimento foi menos expressivo, de apenas 2,3%, saltando de 6.300 para 6.450 pessoas físicas que apoiam startups. “A gente ainda tem uma dificuldade para crescer o número de investidores-anjo no Brasil. Em comparação com os Estados Unidos, o número é pequeno. É um desafio, mas podemos usar a base já existente para crescer”, diz Cassio Spina, presidente da Anjos do Brasil, durante a abertura do evento.

Segundo o estudo, o valor médio aplicado nestas transações foi de 79 mil para 96 mil reais. Ainda de acordo com a pesquisa, 80% dos investidores afirmaram que só fazem investimentos quando são procurados por empreendedores.

Na primeira edição da conferência, em junho, a Anjos do Brasil divulgou que os investidores têm interesse em aplicar até 208 mil reais ao ano em startups. “Existe uma capacidade de investimento que não está sendo explorada. Não falta dinheiro, faltam oportunidades. A gente poderia ter, no mínimo, o dobro de investimento que a gente tem hoje”, opina Spina.

Sobre os tipos de negócios mais desejados para investimento, Spina citou TI, internet, saúde e biotecnologia. “Hoje, a gente tem empreendedores que estão cada vez mais com vontade de criar negócios inovadores e de alta escalabilidade”, afirma. 

* Colaborou Camila Lam