Fintech Avec quer ser o banco dos salões de beleza

O maior alvo da fintech são salões de beleza, para os quais oferece serviços financeiros como a maquininha e soluções para pagar boletos e salários

Como o mercado de beleza no Brasil é um dos maiores no mundo, é também alvo de empresas e startups, que buscam ganhar com novos modelos de negócios. A Avec, que surgiu como uma plataforma de agendamento de serviços e procedimentos, quer se tornar o banco do setor e oferecer maquininha, cartões e empréstimos para salões de beleza.

Fundada em 2013, a Avec já recebeu investimentos de mais 15 milhões de reais, passou pela aceleradora Wayra e conta com 10 sócios. Até o fim do ano, espera realizar outra captação e expandir para outros países da América Latina.

Apesar de focar em um nicho, não é um mercado pequeno. O Brasil é o terceiro maior país do mundo em consumo de produtos e serviços de beleza e há cerca de 10 vezes mais salões de beleza no país do que padarias, estima levantamento feito pela Avec.

Entre os clientes, estão mais de 20 mil estabelecimentos, como salões de beleza, clínicas de estética, barbearias, spas, centros de depilação, box de Crossfit, pilates, estúdios de yoga e academias.

A empresa, que tinha 48 funcionários há um ano, hoje tem mais de 160. A previsão é fechar o ano com 300 colaboradores. O faturamento deve chegar a 35 milhões de reais em 2019. Até 2020, a meta da empresa é se tornar uma instituição financeira.

Do lado do consumidor, a Avec oferece agendamento de manicure, pedicure e procedimentos em spas, entre outros. Ao ganhar escala, com 100 mil profissionais de beleza e bem-estar que usam o sistema e 650 mil clientes cadastrados na plataforma, a empresa criou uma nova divisão de negócios, o marketplace.

“O salão de beleza perdeu receita quando as vendas de produtos migraram para a internet e para farmácias especializadas”, diz Henrique Loyola, ex-sócio da XP Investimentos. Cada salão pode colocar seus produtos à venda na plataforma. Além disso, os profissionais, como cabeleireiros ou manicures, podem indicar produtos específicos para cada cliente.

No entanto, o maior alvo da fintech são os próprios estabelecimentos, para os quais oferece serviços financeiros. A Avec tem uma maquininha e soluções para pagar boletos e salários, por exemplo. Os meios de pagamento são desenvolvidos pelos parceiros VTEX e Zoop, a startup financeira do grupo Movile.

A Avec começou um projeto piloto de cartões e empréstimos para os clientes, que já emitiu 2 mil cartões e pagou mais de 10 milhões de reais em crédito.

O foco no mercado de beleza ajuda a identificar melhor as dificuldades do setor e oportunidades de negócios, segundo Loyola. Além disso, ao conhecer melhor o perfil do cliente, é possível oferecer empréstimos e outros serviços financeiros com mais segurança e precisão, diz.

A Avec não é a única a enxergar potencial no setor. A Singu, criada em 2016 pelas mãos do criador do Easy Taxi, Tallis Gomes, foca no agendamento e delivery de profissionais do ramo. São cerca de 3 mil profissionais cadastrados e plano para este ano é triplicar o faturamento. A startup firmou uma parceria com a Rappi, que permite pedir manicure, massagista ou esteticista pelo aplicativo. Outra competidora é a startup LaPag, que atende mais de cem clientes e obteve um aporte do fundo de investimentos Canary.