Ferramenta permite rastrear produção em tempo real

Desenvolvido em Pernambuco, o Opara é caso de sucesso que será apresentado durante a Campus Party Recife

Recife – Imagine uma mãe que vai ao supermercado em busca de um produto que possa auxiliá-la a manter a saúde de seu filho. E se, por meio de seu smartphone, ela pudesse detectar quais alimentos são de baixa qualidade e quais foram produzidos com o uso de pesticidas? Essa realidade pode estar mais próxima do nosso cotidiano.

Há menos de dois anos foi criado em Pernambuco o Opara, plataforma on line cuja função é aumentar o controle e a rastreabilidade da produção de alimentos perecíveis do campo ao supermercado. “Somos uma ferramenta de gerenciamento. Entregamos inteligência ao produtor”, explica Gustavo Monteiro, um dos sócios da startup que criou a plataforma, cujo nome representa a forma como os indígenas chamavam o Rio São Francisco.

Desenvolvida com o objetivo de auxiliar produtores, embaladores e distribuidores a gerenciar cada passo da produção em tempo real, a ferramenta surgiu a partir da demanda por tecnologia dos arranjos produtivos locais do setor de fruticultura. “Meu sócio, Felipe Gabardo, viajou para Petrolina e constatou que realmente havia essa necessidade. Foi quando decidimos fazer o Opara”, diz Monteiro sobre a criação da plataforma, cujos primeiros passos contaram com o apoio do Sebrae em Pernambuco.

“O Sebrae sempre nos ajudou nessa questão de contatos, sendo um elo forte entre a gente e o mercado, além de ser um dos apoiadores da incubadora”, reconhece Gustavo Monteiro. Atualmente, a startup também possui escritório na cidade de Dublin, na Irlanda, como parte de programa de aceleração de empresas patrocinado pela IBM.

Além do rastreamento de frutas, a ferramenta pode ser utilizada na produção de flores, peixes e camarões, fornecendo informações em tempo real por meio do uso de tablets ou smartphones. Entre suas vantagens, está a possibilidade de adicionar valor ao produto, bem como a garantia de conformidade.


Em seu primeiro grande teste no mercado, o Opara auxiliou um grupo holandês que possui quatro fazendas no Brasil a aumentar em 30% sua produtividade e a reduzir as perdas em 4% em relação à safra anterior. “A ideia é começar a gerar receita, pois o software já está pronto”, afirma Gustavo Monteiro, cujas atenções estão voltadas para as empresas do Vale do São Francisco.

A história do Opara é um dos casos de sucesso que serão apresentados durante o painel Empreendedorismo digital: do Nordeste para o mundo, que o Sebrae promove durante a Campus Party Recife. O objetivo é mostrar empreendedores nordestinos que conquistaram mercado mundo afora, além de apontar que caminhos deve-se percorrer para criar uma startup de sucesso.

“No nosso caso, foi fundamental participar de competições que pudessem nos ajudar a realizar nosso plano de negócios e fazer network”, revela Gustavo Monteiro. “A partir dessas competições, conseguimos ir para Dublin e participar desse programa de aceleração, que deu uma visibilidade muito grande aqui no Brasil e na Europa, chamando a atenção de investidores e parceiros”, completa.

A Campus Party Recife ocorre de quinta-feira (26) a segunda-feira (30), no Centro de Convenções de Pernambuco e no Chevrolet Hall, em Olinda. O evento promoverá o encontro entre grandes nomes da web nacional e palestrantes internacionais, além de talentos locais, totalizando mais de 200 horas de conteúdo.