Evento conecta empreendedores a investidores

Mais de 150 pessoas participaram das discussões sobre modelos de financiamento de novos negócios

Natal – Mais de 150 pessoas reuniram-se para discutir as novas formas de empreendedorismo. O Circuito Startup Natal levou à capital potiguar personalidades de renome no cenários da empresas digitais brasileiras para mostrar os caminhos que uma ideia deve seguir até que se transforme em um negócio. O evento, realizado nesta quinta-feira (18) em Natal, percorre capitais brasileiras levando conhecimento para fortalecer negócios nessa área e aproximar <a href="https://exame.abril.com.br/topicos/empreendedores" target="_blank"><strong>empreendedores </strong></a>dos investidores do setor.</p>

Tornar uma startup bem-sucedida não é uma tarefa tão simples, mas para Edson Mackeenzy, da VideoLog, existem características que tornam o processo mais fácil. Uma delas é ter atitude e se preparar para ouvir “não”. Segundo ele, é importante apaixonar-se e compartilhar boas ideiais. “Quando se acredita, pode-se criar muito mais. Compartilhar é fundamental, pois as boas ideias nunca morrem”, disse.

Segundo Mackeenzy, outro item fundamental para os empreendedores inovadores é manter o foco. Em relação ao capital para o negócio, a recomendação é analisar se o projeto é viável. Caso afirmativo, o empreendedor deve partir em busca de um investidor-anjo, pessoa que aposta no projeto e o financia para evoluir.

Os negócios digitais requerem um investimento inicial baixo, normalmente em valores que não ultrapassam R$ 100 mil. Mas, antes de pleitear os recursos, é preciso estabelecer planos para a empresa ficar no azul e dar retorno ao investidor-anjo. Além disso, os empreendedores precisam pensar grande, entender o que os clientes querem e ter um plano de negócio, recomenda Mackeenzy.

“Tenho um modelo de plano que contraria a maioria dos consultores. A fórmula é trabalhar, ter ideias e ganhar dinheiro. Se isso não ocorrer, repensar a ideia que não deu certo e ganhar dinheiro. Se nada disso funcionar, é porque a ideia é uma porcaria mesmo”, brinca.


A principal forma de obter recursos para viabilizar uma ideia inovadora é através de um investimento-anjo. Atualmente, existem mais de cinco mil pessoas físicas no Brasil que aplicam recursos em startups. Isso representa um volume de R$ 450 milhões. Estimativas indicam que, nos próximos anos, o número de investidores-anjos será de 50 mil, movimentando bilhões de reais. Geralmente, são empresários bem-sucedidos e com capital que apostam nos novos negócios.

Diferencial

“O risco é grande. Cinco de cada dez empresas que o investidor-anjo apoia, ele perde capital. A que prospera e cresce cobre o investimento perdido nas outras apostas. Por isso, para conseguir recursos, é preciso ter um diferencial, o que faz qualquer negócio crescer e ser lucrativo”, defende Maria Rita Spina, da Anjos do Brasil, organização criada para fomentar o crescimento da modalidade de investimento no país e apoiar o desenvolvimento do empreendedorismo inovador.

A representante do Anjos do Brasil também ensinou o passo a passo a ser seguido antes de se procurar o investidor. É necessário montar o time certo, com competências distintas, e saber em que estágio encontra-se o negócio. “Quanto mais consolidado, mais fácil obter o financiamento”, diz. É preciso também conhecer bem o mercado e mostrar protótipos ou modelos que comprovem a viabilidade da ideia.