Ele apostou em vender camarão a preço popular e hoje fatura R$ 145 milhões

Uma crise no negócio do pai fez o empreendedor Sylvio Drummond de Mattos apostar em pratos de camarão a preço popular. Negócio hoje tem 57 unidades.

São Paulo – Você conhece alguém que não gosta de comer camarão? O empreendedor Sylvio Drummond de Mattos não conhecia e, a partir desta constatação, deu início a um negócio de sucesso: o Grupo Drumattos, que faturou 145 milhões de reais em 2017.

Dono das marcas Camarão & Cia e Camarada Camarão, além de redes ainda em fase de implementação, o grupo nasceu a partir de uma loja em Recife. A primeira marca foi a Camarão & Cia, focada em vender pratos com camarão a preços competitivos nas praças de alimentação de shoppings.

O ano era 1999, e a crise de desvalorização do real trouxe problemas para o negócio de seu pai, Sylvio Mattos, que vendia frutos do mar para restaurantes e supermercados. Ele tinha uma fazenda de camarões no Piauí e importava itens como kani, bacalhau e salmão para completar o mix de produtos oferecidos.

Porém, com a alta do dólar, as importações se tornaram inviáveis. Resultado: da noite para o dia, o mercado interno ficou proibitivo para o negócio, e o jeito foi voltar as atenções para a exportação do camarão produzido aqui.

“Foi uma situação complicada. Eu trabalhava na empresa justamente na parte de mercado interno e, de repente, fiquei sem o camarão e sem os produtos importados”, lembra Mattos. Aos 29 anos, ele se tornou “desempregado na empresa do próprio pai”.

Buscando uma solução para se manter no mercado interno, Mattos decidiu se arriscar no universo dos restaurantes. “Percebi que não conhecia uma só pessoa que dissesse categoricamente não gostar de camarão, e enxerguei nisso uma oportunidade”, conta. Surgia assim a Camarão & Cia.

O empreendedor Sylvio Drummond de Mattos, dono da Camarão & Cia O empreendedor Sylvio Drummond de Mattos, dono da Camarão & Cia

O empreendedor Sylvio Drummond de Mattos, dono da Camarão & Cia (Foto/Divulgação)

Sem intermediários

O grande diferencial do negócio, na visão do empreendedor, foi eliminar intermediários.

“Antes vendíamos para restaurantes e supermercados, mas havia muita inadimplência e perda de produto, porque muitas vezes os lugares não tinham estrutura para lidar com o camarão congelado. Então nossa margem era muito pequena”, explica Mattos.

Com a criação do Camarão & Cia, foi possível usar a expertise da fazenda do pai para lidar com o camarão de forma a evitar desperdícios, aumentar a margem e ao mesmo tempo oferecer o produto a um preço mais acessível ao consumidor final.

“Hoje numa praça de alimentação competimos com sanduíches. Você consegue almoçar camarão por 21 reais dependendo do prato e da localização da loja. Conseguimos popularizar”, comemora.

Franquia

O restaurante começou em 1999 com uma unidade em Recife e rapidamente atingiu a marca de seis lojas próprias, todas em praças de alimentação de shoppings. Dois anos depois, Mattos decidiu expandir a marca via franchising. Hoje a rede tem 57 unidades pelo país, e faturou 100 milhões de reais no ano passado.

O investimento inicial para uma unidade é de 600 mil reais, já incluindo a taxa de franquia. O faturamento médio fica em 130 mil reais, com lucratividade de 10% a 12%.

Com o sucesso da rede, Mattos logo viu oportunidade para criar uma nova marca, desta vez mais sofisticada. Nascia assim, em 2005, a Camarada Camarão, que atualmente tem cinco unidades, sendo três em Recife e duas no Rio de Janeiro.

Diferentemente da primeira rede, nesta todas as lojas são próprias e a ideia é continuar assim. Enquanto o ticket médio da Camarão & Cia gira em torno de 22 reais , na Camarada Camarão ele varia entre 50 e 70 reais.

O crescimento das redes de restaurantes fez com que a produção de camarão da fazenda no Piauí passasse a ser toda direcionada para as redes do Grupo Drumattos, que ainda precisa comprar 60% do produto de outros fornecedores.

Futuro

Agora, o empreendedor começa a voltar seus olhos para outros tipos de cardápio. Mattos tornou-se master franqueado da marca americana Pizza Studio, de pizza customizada. A meta, ambiciosa, é abrir até 90 unidades da rede no Brasil nos próximos dez anos.

Outra aposta do grupo é a marca Recife’s, criada com foco no mercado externo. O grupo se prepara para abrir uma unidade no aeroporto de Recife, mas Mattos avisa que a rede não deve se expandir por aqui, e sim nos Estados Unidos.

Já para a Camarão & Cia, o plano é repaginar a marca, que completa 20 anos no ano que vem, e  ter mais 30 unidades nos próximos cinco anos. Enquanto isso, a Camarada Camarão espera mais 15 unidades no mesmo período.

Com tantos planos, trabalho não vai faltar para o empreendedor.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s