De cliente mal atendido a empreendedor. Este paulistano ousou na inovação

Depois de passar pela empresa familiar e de abrir uma companhia de rolamentos, este empreendedor resolveu mudar de ramo e investir em uma butique erótica

O paulistano Thiago Andrada, de 40 anos, não sabia muito qual faculdade cursar. Mas tendo a certeza de que era “de humanas”, decidiu estudar publicidade e propaganda.

Apesar da escolha, nunca exerceu a profissão — seguiu carreira trabalhando em indústria, na empresa da família, que importava e distribuía máquinas de costura.

Saiu em 2005, quando decidiu abrir uma companhia de rolamentos com o irmão, Daniel Andrada. Mas estava infeliz. “Eram 15 anos de carreira e a dinâmica sempre muito parecida.”

A insatisfação, aliada à crise econômica que atingiu seu ramo, o fez tomar uma decisão — abrir um negócio novo. Pesquisando mercados em potencial, encontrou o de artigos eróticos. “Como consumidor eu me sentia mal atendido: as lojas não eram legais e não encontrava produtos que me dessem vontade de comprar.”

Foi assim que, em 2018, ele fundou, ao lado do irmão, a Innuendo, uma butique erótica que mescla a venda de mercadorias nacionais e importadas com palestras e workshops sobre sexualidade, saúde e qualidade de vida.

O investimento foi de 1 milhão de reais, a loja tem uma equipe de cinco funcionários e o plano é de expansão. Até 2022, Thiago pretende abrir dez lojas.

Embora ainda seja cedo para o retorno financeiro, o empresário está feliz. “Às vezes, atendemos alguém de 40 e poucos anos que nunca teve um orgasmo. Explicando o benefício de cada produto, podemos fazer a diferença. Conseguimos mudar a vida das pessoas.”