Como não surtar nos primeiros dias do seu negócio

De acordo com especialistas, é importante que o empreendedor tenha um plano de negócios bem estruturado

São Paulo – Você é um empreendedor que acabou de começar o seu negócio? Com ou sem experiência, é normal que a ansiedade tome conta nesse estágio inicial. “Nesses primeiros meses da empresa é preciso estar atento para as funções básicas. É preciso conseguir pagar as contas, contratar as pessoas certas para que seu negócio cresça, aprender a lidar com as burocracias, entre outros”, diz Gilberto Sarfati, professor de Administração de Empresas da Fundação Getúlio Vargas.

Geralmente, essas novas tarefas vêm acompanhadas de um sentimento que faz com que diversas pessoas queiram jogar tudo para o ar antes mesmo de tentar: o medo.

“As pessoas têm medo do fracasso, de falhar, de serem julgadas, de não dar certo. O risco de terem algum tipo de prejuízo não lhes permite avançar”, afirma Christian Barbosa, especialista em administração de tempo.

Nesse caso, uma maneira para que esses entraves não apareçam é criar um plano de negócio para ser seguido. “O estudo de mercado, estudo da localização do seu empreendimento e de tudo o que está relacionado ao seu negócio com toda certeza minimiza a insegurança inicial, além de fazer com que você se sinta mais confiante para seguir em frente”, conta Sarfati.

Para o especialista, as dúvidas persistirão, mas o plano de negócio fará com que você tenha em que se apoiar, caso os clientes demorem um pouco mais para aparecer, por exemplo. Situação semelhante é quando você percebe que um funcionário ainda não entrou no ritmo de trabalho que você gostaria. “Lembre-se de que o significado de ser empreendedor é saber lidar com o incerto, pois a ansiedade existe e é preciso saber lidar com ela”, diz Sarfati.

Entretanto, isso não significa que você deva focar somente no trabalho esquecer tudo o que não está ligado a ele. “O empreendedor padrão é aquele cara que tem uma tendência a ser workaholic, deixa de lado coisas importantes em função do crescimento da empresa. A maioria dos empreendedores vira escravo do próprio negócio e acaba não percebendo o quanto está se afundando no próprio estresse”, alerta Barbosa.


E, o estresse é decorrente da falta de planejamento. “Muitos empresários não fazem um plano de ação antes de abrir a empresa e não definem o tempo que irão se dedicar a ela. É necessário determinar o tempo de dedicação para cada área de sua vida. Você precisa ter equilíbrio emocional para que tudo dê certo”, avalia Lizandra Arita, psicóloga da Arita Treinamentos.

Outra recomendação dos especialistas é delegar o máximo que puder. É compreensível que a definição de metas ou estratégias não pode ser repassada, mas determinadas funções operacionais podem ser realizadas pelos funcionários.

“O empreendedor precisa ter a consciência de que outras pessoas também podem realizar o trabalho que ele faz. Isso não tira a sua responsabilidade, mas liberta-o para focar em outras atividades mais importantes. ”, recomenda Barbosa.

Aprender a lidar com as urgências e organizar a sua rotina para que ela seja mais produtiva também podem ajudar. Para Barbosa, quando algo urgente acontecer na empresa, o empreendedor deve parar e pensar no que pode ser feito para que esse problema não se repita.