Como definir o tamanho ideal do seu plano de negócio

Especialista afirma que muitos investidores já orientam os empreendedores sobre o tamanho, o formato e o conteúdo do plano que gostam de receber

É preciso estabelecer um tamanho para o plano de negócios?
Respondido por Eduardo Vilas Boas, especialista em plano de negócio

Sempre existe a dúvida sobre o tamanho do plano de negócios. Se muito extenso ele pode ser prolixo e maçante, se muito curto pode não esclarecer tudo que é necessário.

Antes de preocupar-se com o tamanho, o empreendedor deve saber qual é a sua finalidade. O tamanho exigido é diferente para os planos que serão apresentados a investidores, para os que participarão de concursos ou ainda para os que serão utilizados pela própria empresa.

Recomendo que planos de negócios que serão apresentados a investidores tenham, no máximo, 20 páginas, sem contar os anexos. Essa é uma recomendação geral.

O empreendedor deve sempre buscar informações específicas sobre o investidor que irá abordar. Muitos investidores profissionais já orientam os empreendedores sobre o tamanho, o formato e o conteúdo do plano que gostam de receber. Essas orientações devem ser seguidas, não ache que o seu negócio é uma exceção e merece fugir do padrão.

No caso dos planos que são feitos para participar de concursos, também é preciso seguir a regra, que costuma variar bastante. O concurso da universidade americana Wharton exige um plano de, no máximo, sete páginas e o de Harvard sugere uma apresentação com até 15 slides e um sumário executivo de até três páginas.

A utilização de slides, para fazer um plano bem sucinto, vem sendo muito recomendada, tanto em concursos quanto por investidores. Os slides devem ser bastante diretos, com pouco texto. Neste caso, recomendo não mais do que 15 slides. Mesmo que tenha optado por utilizar apenas slides, é recomendável que o empreendedor tenha um plano escrito completo pronto, para ser enviado caso mais informações sejam solicitadas.

A única possibilidade de o plano ser extenso é se for elaborado com o intuito de ser utilizado pelo próprio empreendedor e pela empresa. Neste caso não há limites para o tamanho, mas se muito extenso ele não é interessante. Se o empreendedor fizer uma versão extensa e detalhada, sugiro que faça uma versão resumida para ser compartilhada com a equipe, por exemplo.

Ter um plano de negócios sucinto é o ideal. Deixar o gostinho de quero mais no leitor e ser chamado para uma possível apresentação para esclarecer as dúvidas é muito melhor do que cansar o leitor com um plano cheio de detalhes irrelevantes. Neste caso, menos é mais.

Eduardo Vilas Boas é empreendedor, doutor em administração de empresas pela FEA/USP, sócio da Empreende e criador do site Empreende.vc.