Com triciclos motorizados, Bauducco olha expansão e renda a franqueados

A Casa Bauducco abrirá mais 25 franquias neste ano. Quatro serão no formato tuk tuk, testado há seis meses

A indústria alimentícia Bauducco, que inaugurou sua primeira fábrica no ano de 1962 em Guarulhos (São Paulo), expandiu para o varejo franqueado há sete anos. Com 60 lojas e quiosques, a marca agora pretende expandir com o modelo de franquia tuk tuk, triciclo motorizado de grandes proporções voltado ao incremento de renda dos já franqueados, com investimento inicial enxuto.

Para 2019, o plano é abrir mais 25 unidades franqueadas. Dessas, quatro deverão ser tuk tuks. O formato passou por um teste de seis meses em um colégio. Agora, outros três triciclos motorizados estão em produção para serem colocados em aeroportos e eventos corporativos ainda neste ano.

Casa Bauducco

A primeira Casa Bauducco foi criada em 2012, como um modelo de negócios complementar à indústria. A cafeteria serve como geradora de experiências ao cliente, enquanto as compras dos produtos tradicionais ficam nos supermercados. Cerca de 70% do faturamento anual vem de itens de cafeteria, como café gelado e fatias de panetone. Os outros 30% vêm dos produtos colocados nas prateleiras das unidades. Cerca de 85% dos itens comercializados na Casa Bauducco vêm de fábrica em Guarulhos.

Após lojas e quiosques em ruas e shopping centers, a Casa Bauducco começou a estudar sua expansão em aeroportos, hospitais e prédios comerciais. A estratégia levou a outro plano: pensar em modelos mais enxutos de franquias, oferecidos aos empreendedores que já são franqueados pela Casa Bauducco. “A loja é um centro de negócios e temos de pensar em outras formas de ampliar a receita de nosso franqueado”, afirma Renata Rouchou, diretora de expansão e franquias da Casa Bauducco.

Expansão e triciclos motorizados

No começo deste ano, a Casa Bauducco começou a testar uma franquia de tuk tuk, espécie de triciclo motorizado de grandes proporções, no colégio de alto padrão Dante Alighieri, na cidade de São Paulo. A unidade comercializou 70% do mix de produtos das lojas da Casa Bauducco e apresentou 60% do faturamento médio mensal tradicional, estimado em 100 a 150 mil reais e com lucratividade média de 12 a 15%. 

“A taxa de lucratividade no tuk tuk pode até ser maior, devido ao menor custo de operação”, analisa Rouchou. O prazo de retorno de um triciclo motorizado é de 24 meses, contra 24 a 36 meses da loja. Os tuk tuks pedem até dois funcionários por turno, contra os sete presentes em uma loja.

Tuk tuk da Bauducco Tuk tuk da Bauducco

Tuk tuk da Bauducco (Bauducco/Divulgação)

Os resultados levaram à produção de mais três tuk tuks, a serem implementados entre agosto e setembro — o objetivo é aproveitar as vendas sazonais de final de ano. Um dos triciclos motorizados irá para eventos corporativos, enquanto os outros dois serão instalados em aeroportos.

Em 2018, a Casa Bauducco cresceu 62% e faturou 60 milhões de reais. A marca pretende alcançar 85 unidades até o fim deste ano, com um faturamento de 85 milhões de reais em 2019, e chegar a 300 lojas distribuídas pelo país até 2024. Cerca de 100 franqueados deverão cuidar desses negócios, seguindo a estratégia dos empreendedores terem mais de um negócio. Um ou mais deles podem ser triciclos motorizados.