Casal fatura R$ 10 milhões com site de viagens para quem tem filhos

O Clube de Viagens Moms começou como um grupo no Facebook e hoje vende milhares de pacotes turísticos voltados para famílias com crianças

São Paulo – A empreendedora Miriam Vargas ama viajar. Por isso, quando pediu demissão de seu emprego corporativo para passar mais tempo com a família, decidiu transformar o hobby em uma profissão.

Deu certo. Sua empresa, Clube de Viagens Moms, vende milhares de pacotes turísticos voltados para famílias com crianças e faturou 10 milhões de reais em 2017. Hoje ela lidera a agência de viagens ao lado do marido, Luciano Santos. O próximo passo é abrir um escritório em Orlando, nos Estados Unidos.

Tudo começou em 2007, quando Miriam Vargas engravidou do primeiro filho. Decidiu deixar o emprego como gerente de marketing para poder dedicar mais tempo à família. De casa, ela buscou novos negócios: organizou algumas festas e começou uma empresa de eventos corporativos.

Já seu marido, Luciano Santos, continuava trabalhando em uma multinacional. Por conta de seu trabalho, ele viajava muito e, sempre que possível, Miriam e os dois filhos o acompanhavam.

Ao viajar com crianças, ela passou a escrever sobre a experiência em um grupo no Facebook, a partir de 2012. Formada em comunicação social, a escrita já fazia parte de sua vida e carreira. Ela divulgava dicas sobre os melhores passeios para quem viaja com crianças pequenas e orientações de como montar um roteiro para os pontos turísticos mais procurados por esse público.

O grupo, que hoje tem 53 mil inscritos, é fechado e apenas pessoas aprovadas pelo casal entram. “Selecionamos muito bem quem entra, porque queremos pessoas que tenham o perfil que buscamos”, afirma Luciano Santos. O perfil buscado são famílias com crianças e que gostem de viajar.

A empreendedora percebeu que suas dicas e recomendações poderiam virar um negócio e começou, então, a organizar viagens para as pessoas próximas e integrantes do grupo. O primeiro pacote foi vendido para um grupo de escola. Era uma excursão de pais e alunos para um hotel fazenda no Rio de Janeiro, modelo que hoje é um ponto forte da companhia.

Com o aumento dos pedidos, ela decidiu ampliar a aposta no negócio. Em 2015, saiu do home office, abriu um escritório físico e contratou uma funcionária. O investimento foi de 500 mil reais, do próprio bolso.

Já no ano seguinte, Luciano se juntou ao negócio. Ele hoje coordena a gestão da empresa, enquanto Miriam se dedica a conhecer bem os destinos e formar os melhores pacotes.

Crescimento

O Clube de Viagens Moms faturou 10 milhões de reais em 2017 e prevê faturar 15 milhões de reais em 2018. Em um escritório no Rio de Janeiro, trabalham 18 funcionários.

Como o destino de muitos dos pacotes internacionais são os parques em Orlando, nos Estados Unidos, a empresa irá abrir um novo escritório na cidade até outubro deste ano. O local terá sete funcionários dedicados ao atendimento dos clientes que viajarem aos parques da Disney e Universal na Flórida, com serviços exclusivos. Também servirá para estreitar as parcerias com os hotéis e parques da região para fechar preços melhores.

Diferenciais

A agência de viagens é completamente online, sem pontos de vendas físicos. Mesmo assim, Luciano diz que o atendimento é bem humanizado, já que todos que chegam ao site são atendidos por um funcionário.

Há inclusive funcionários dedicados a um destino, que sabem exatamente quais são os melhores passeios, hotéis e programas para famílias com crianças pequenas.

“Quem vai viajar normalmente começa sua pesquisa pela internet, mas fica inseguro com tantas informações e opções”, diz o empreendedor. É aí que entra o trabalho da agência, ao ajudar a fechar um pacote personalizado.

Para que os funcionários conheçam bem o destino, a empresa também realiza treinamentos sobre os principais destinos, como os parques da Disney ou resorts nacionais.

O valor médio de um pacote internacional, para uma família de quatro pessoas, é de 20 a 30 mil reais, com hotel, aéreo, carro e passeios. Já um pacote nacional para o parque Beto Carreiro, por exemplo, sai por 5 mil a 10 mil reais e um fim de semana em resort, sem passagem aérea, de 1,5 mil a 3 mil reais.