BB espera alta de 35% no crédito a pequena empresa

Crescimento é na comparação com os desembolsos de março, quando as taxas de juros não haviam sido cortadas

São Paulo – O Banco do Brasil espera crescimento de 25% a 35% em maio nas linhas de crédito para micro e pequenas empresas em que reduziu os juros, na comparação com os desembolsos de março, quando as taxas não haviam sido cortadas, de acordo com o diretor do segmento no BB, Adilson Anísio, que participa de teleconferência com a imprensa para comentar mais uma redução dos juros para pessoas jurídicas, anunciada na manhã desta quarta-feira.

Em abril, primeiro mês com juros menores, as linhas de crédito para micro e pequenas empresas com cortes tiveram desembolsos 20% a 25% maiores na comparação com março. O BB já desembolsou R$ 4,4 bilhões nas linhas em que houve corte de juros, que incluem capital de giro, cheque especial, desconto de cheques e cartão de crédito.

O vice-presidente de Agronegócios e Micro e Pequenas Empresas do Banco do Brasil, Osmar Fernandes Dias, disse que a instituição tem 2,1 milhões de empresas de menor porte como clientes e a meta desse programa de corte de juros e outros incentivos é aumentar essa fatia. O BB tem 28% das pequenas empresas existentes no País como clientes. No banco, uma companhia é considerada de menor porte quando fatura até R$ 25 milhões por ano.

Dentro de incentivos oferecidos para empresas que querem levar suas dívidas de outros bancos para o BB, Dias diz que já foram atraídas 6,582 mil pequenas empresas, em operações de empréstimo que somam R$ 400 milhões. Algumas destas operações estão dentro da portabilidade (quando um cliente transfere a dívida para outro banco) e outras são companhias que tomam empréstimo no BB com juro menor e quitam a dívida que tinham em outra instituição financeira.